ENCONTRO COM A DOCÊNCIA: NARRATIVAS DE AUTOFORMAÇÃO QUE REVELAM APRENDIZAGENS AUTORREGUATÓRIAS

Lourdes Maria Bragagnolo Frison

Resumo


Esta pesquisa busca compreender os modos de fazer a docência em contextos escolares diversificados. Os dados coletados foram submetidos à metodologia de análise textual discursiva e dela emergiram dimensões e categorias. As dimensões reveladas nas ações dos professores iniciantes foram: prática educativa, atuação do professor e formação inicial. As categorias oriundas do processo da análise são: itinerários que revelam a articulação entre autoformação e autorregulação da aprendizagem e modos de produção relativos a autoformação. As narrativas mostram o quão importante tem sido o investimento na autoformação dos professores, no que tange ao desenvolvimento de competências para a atuação em sala de aula, acompanhado de um processo crítico e reflexivo sobre a prática profissional.


Palavras-chave


narrativas de autoformacão, autorregulação da aprendizagem, fazer docente

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAHÃO, M. H. M. B. Intencionalidade, reflexividade, experiência e identidade em pesquisa (auto)biográfica: dimensões epistemo-empíricas em narrativas de formação. In. BRAGANÇA, I. F. S; ABRAHÃO, M. H. M. B.; FERREIRA, M. S. (Orgs.). Perspectivas epistêmico-metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Curitiba: CRV, 2016, p. 29- 50.

_____________________. Fontes orais, escritas e (áudio)visuais em pesquisa (auto)biográfica: palavra dada, escuta atenta, compreensão cênica. O studium e o punctum possíveis. In: ABRAHÃO, M. H. M. B.; BRAGANÇA, I. F. S.; ARAÚJO, M. S. (Orgs.). Pesquisa (Auto)biográfica, Fontes e Questões. Curitiba: CRV, 2014, p.57-77.

_____________________. Pesquisar com professores na escola: contribuição da pesquisa dialógica para o desenvolvimento de aprendizagens autorreguladas. In: VEIGA SIMÃO, A. M., FRISON, L. M.; ABRAHÃO, M. H. M. B. (Orgs.) Autorregulação da aprendizagem e narrativas autobiográficas: epistemologia e práticas. Coleção: Pesquisa (Auto)biográfica ∞ Educação, 10, EDUFRN, EDIPUCRS, EDUNEB, Natal, Porto Alegre, Salvador. 2012, p. 113-154.

¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬ABRAHÃO, M. H. M. B.; FRISON, L. M. B. Narrativas (auto)biográficas de formação e o entrelaçamento com a autorregulação da apreendizagem. In: ABRAHÃO, M. H. M. B. (Auto)biografia e formação humana. (Org.). Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

ANDRÉ, M. Políticas e programas de apoio aos professores iniciantes no Brasil. Cadernos de Pesquisa. vol. 42 no.145 São Paulo jan./abr. 2012

BANDURA, A. A evolução da teoria social cognitiva. In: BANDURA, Albert; AZZI, Roberta; POLYDORO, Soely. (Org.). Teoria Social Cognitiva: conceitos básicos. Porto Alegre: Artmed, 2008. p. 15-42.

BOEKAERTS, M. Self-regulated learning at the junction of cognition and motivation. European Psychologist, 1, 1996, p. 100-112.

BOEKAERTS, M.; CORNO, L. Self-Regulation in the Classroom: A Perspective on Assessment and Intervention. Applied Psychology: As international Review, 54(2), 2005, p.199-231

BRASIL. 2001. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP 009/2001, de 8 de maio de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em: http:// portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/ rcp01_02.pdf. Acesso em: 03/03/2004.

_____________. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP 01, de 18 de fevereiro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em: http:// portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/ rcp01_02.pdf. Acesso em: 03/03/2004.

_____________. Conselho Nacional de Educação. BRASIL. Parecer CNE/ CP 28/2001, de 2 de outubro de 2001. Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, que estabelece a duração e a carga horária dos cursos de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Publicado no Diário Oficial da União de 18/1/2002, Seção 1, p. 31.

______. 2002. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP 2, de 19 de fevereiro de 2002. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 4 de mar de 2002, seção 1, p.9. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de pro- fessores da Educação Básica em nível superior. Disponível em: http://portal. mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP022002. pdf. Acesso em: 03/03/2004.

______. Decreto nº 7.219 de 25/06/2010. Dispõe sobre o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: setembro 2013.

DAMIANI, M. F.; PORTO, T. M. E.; SCHLEMMER, E. (Org.) Trabalho colaborativo/cooperativo em educação: uma possibilidade para ensinar e aprender. São Leopoldo: Oikos; Brasília: Liber Livro, 2009.

FRISON, L. M. B. Narrativas de professores iniciantes – ex-bolsistas do Pibid: dispositivos de formação articulado à autorregulação da aprendizagem. In. VICENTINI, P. P.; CUNHA, J. L.; CARDOSO, L. A. M. (Orgs.). Experiências formativas e práticas de iniciação à docência. Curitiba: CRV, 2016, p. 29- 50.

_______________. Auto-Regulação da Aprendizagem. Ciência e Conhecimento, ULBRA/São Jerônimo, v.2, 2007.p.1-14.

FRISON, L. M. B.; VEIGA SIMÃO, A. M. Abordagem (auto)biográfica: narrativas de formação e de autorregulação da aprendizagem reveladas em portfólios reflexivos. Educação, Porto Alegre, 34 (2), 2011, p.198-206.

FRISON, L. M. B; ABRAHÃO, M. H. M. B.. Formação de Professores, Memórias e Narrativas. In: ARAÚJO, M. da S.; MORAIS, J. dos S. Vozes da Educação: Formação de Professores, Narrativas, Políticas e Memórias. Rio de Janeiro : EDUERJ/FAPERJ, 2012, v.1, p. 59-74.

HUBERMAN, M.; O ciclo de vida professional de professores. In: Nóvoa, A. (Org) Vida de professores. Porto Editora. 2000.

GARCIA, M. M. A. Reformas curriculares e formação inicial: saberes e profissionalização. Educação. Unisinos 19 (1), janeiro/abril 2015, p. 57-67. Doi: 10.4013/edu.2015.191.05

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de Vida e Formação. Lisboa: Educa, 2002.

LOPES DA SILVA, A., DUARTE, A., SÁ, I.; VEIGA SIMÃO, A. M. A aprendizagem autorregulada pelo estudante: perspectivas psicológicas e educacionais. Porto: Porto Editora, 2004.

LOPES DA SILVA, A., VEIGA SIMÃO, A. M., SÁ, I. Autorregulação da aprendizagem: Estudos Teóricos e Empíricos. Intermeio: Revista do Mestrado em Educação da Universidade de Mato Grosso, 10 (19), 2004, p. 59-74.

MARCELO GARCIA, C. Desenvolvimento Profissional: passado e futuro. Sísifo – Revista das Ciências da Educação, n. 08, p. 7-22, jan./abr. 2009.

MAFFIOLETTI, L. A. Reflexões sobre os fundamentos do método (auto)biográfico: inventando relações. In. BRAGANÇA, I. F. S; ABRAHÃO, M. H. M. B.; FERREIRA, M. S. (Orgs.). Perspectivas epistêmico-metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Curitiba: CRV, 2016, p. 51- 66.

MARINAS, J. M. La escucha en la historia oral. Palabra dada. Madrid: Editorial Síntesis, 2007.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise Textual Discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, São Paulo, v. 12, n. 1, 2006, p.117-128.

_____________________________. Análise Textual Discursiva. Ijuí: Ed. Unijuí, 2007.

NÓVOA, A.; FINGER, M. (Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

OLIVEIRA, K.L., BORUCHOVITCH. E.; SANTOS, A. A. dos S. Estratégias de Aprendizagem e Desempenho Acadêmico: Evidências de Validade. Revista Psicologia: Teoria e Pesquisa. Universidade de Psicologia, Brasília. Out-Dez 2009, Vol. 25 n. 4, p. 531-536.

PINTRICH, P. R. A motivacional science perspective on the role of student motivation in learning and teaching contexts. Journal of Educational Psychology, v.95, n.4, p.667-686, 2003.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 6 ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 13 ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2012.

VEIGA SIMÃO, A. M. O conhecimento estratégico e a auto-regulação da aprendizagem: implicações em contexto escolar. In. DA SILVA, A; DUARTE, A.; SÁ, I.; VEIGA SIMÃO, A. Aprendizagem auto-regulada pelo estudante: perspectivas psicológicas e educacionais. Lisboa: Porto Editora, 2004. p. 77-94.

____________________. Auto-regulação da aprendizagem: um desafio para a formação de professores. In BIZARRRO, R.; BRAGA, F. (Org.). Formação de Professores de Línguas Estrangeiras: Reflexões, Estudos e Experiências. Porto: Porto Ed., 2006. p.192-206.

____________________. Ensinar para a aprendizagem escolar. In VEIGA, F. H. (Coord.). Psicologia da Educação: teoria, investigação e aplicação. Envolvimento dos alunos na escola. Lisboa: Climepsi Editores. 2013. p. 495-541

VEIGA SIMÃO, A. M.; FRISON, L. M. B. Autorregulação da Aprendizagem: abordagens teóricas e desafios para as práticas em contextos educativos. Cadernos de Educação, FAE/PPGE/UFPEL, n.45, jul/ago, 2013.

VEIGA SIMÃO, A. M.; LOPES DA SILVA, A.; SÁ, I. (Orgs.) Autorregulação da Aprendizagem: das Concepções às Práticas. Coleção Ciências da Educação. Lisboa: Educa & Ui&dCE. 2007.

ZIMMERMAN, B. J. Developing self-fulfilling cycles of academic regulation: na analysis of exemplary instructional models. In. SCHUNK, D.; ZIMMERMAN, B. Self-regulated learning: from teaching to self-reflective practice. New York: The Guilford Press, 1998.

_________________. Attaining self-regulation: a social-cognitive perspective. In: BOEKAERTS, M.; PINTRICH, P.; ZEIDNER, M. (Orgs.). Handbook of self-regulation. New York: Academic Press, 2000. p. 13-39.

_________________. Becoming a Self-regulated Learner: an overview. Theory into practice, v.41, n.2, 2002. p.64-70.

_________________. From cognitive modeling to self-regulation: a social cognitive carrer path. Educational psychologist, v. 48. n. 3, 2013. p.135-147.

ZIMMERMAN, B.J.; SCHUNK, D.J. (Eds.) Handbook of self-regulation of learning and performance. New York: Routledge, 2011.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2016.25507

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: