MICROAÇÕES AFIRMATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL – DIÁLOGOS COM PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

Regina de fatima de Jesus, Mairce da Silva Araújo, Luciana Santiago da Silva

Resumo


Este artigo traz ao diálogo situações cotidianas oriundas da prática pedagógica que possibilitaram aprofundar a compreensão sobre o papel docente na efetivação de “microações afirmativas”, ou seja, na construção de uma prática pedagógica antirracista. A pesquisa desenvolvida durante um Mestrado em Educação buscou refletir sobre o processo de construção identitária de uma professora negra e investigar os limites e as possibilidades das contribuições da prática pedagógica para a construção de uma identidade étnico-racial de crianças pequenas, em uma escola pública. As reflexões produzidas ao longo da investigação contribuíram tanto para desvendar, quanto para enfrentar desafios teórico-práticos, que continuam a se colocar na escola e na sociedade brasileira, para a construção de referenciais positivos para a população negra.

 


Palavras-chave


microações afirmativas; práticas pedagógicas; relações étnico-raciais;

Texto completo:

PDF

Referências


Referências Bibliográficas

ARAÚJO, Mairce da Silva. “Cenas do cotidiano de uma escola pública: olhando a escola pelo avesso”. In: GARCIA, R.L. (org.) Método: pesquisa com o cotidiano. Rio de Janeiro, DP&A Editora, 2003.

________ (Auto)formação docente e práticas interculturais: pistas para a construção de uma escola mais democrática In: Educação, justiça e Solidariedade na construção da paz. Chaves - Portugal : Associação Portuguesa de Animação e Pedagogia, 2010, v.1, p. 330-340.

BÂ, Amadou Hampâté. A tradição viva. In: KI-ZERBO, J. (org.). História Geral da África. São Paulo: Ática. 1982.

________. Amkoullel, o menino fula. São Paulo: Palas Athena: Casa das Áfricas. 2003.

BRASIL. MEC. SEPPIR. Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações etnicorraciais e para o ensino de historia e cultura afrobrasileira e africana. 2009.

________. Parecer CNE/CP nº 3. 2004.

COSTA, Madu. Meninas Negras. Mazza Edições. Belo Horizonte, 2005.

CUNHA JR, Henrique. NTU. Revista Espaço Acadêmico, nº 108 – maio, 2012.

ESTEBAN, Maria Teresa, ZACCUR, Edwiges. (orgs.). Professora-pesquisadora – uma práxis em construção. Rio de Janeiro: DP&A. 125p. (Coleção O sentido da Escola), 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo/Rio de Janeiro: Paz e Terra. 23ª reimpressão. 184p. Coleção: O mundo, hoje, v. 21. 1996.

GOMES, Nilma Lino. Sem perder a raiz – Corpo e cabelo como símbolos da identidade negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

_______“Alguns termos e conceitos presentes no embate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão”. In: Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº10.639/03. Secretaria de Educação continuada. Alfabetização e diversidade. – Brasília: Ministério da Educação, 2006.

GUSMÃO, Neusa Maria Mendes de. A Lei nº 10.639/2003 e a Formação Docente: Desafios e Conquistas. In: JESUS, Regina de Fatima de, ARAÚJO, Mairce da Silva, CUNHA Jr. Henrique. (orgs.) Dez Anos da Lei Nº 10.639/03 – Memórias e Perspectivas. Fortaleza: Edições UFC, 2013. (Coleção Diálogos intempestivos)

JESUS, Regina de Fatima de. Micro-ações afirmativas – possibilidades de superação da desigualdade étnico-racial nos cotidianos escolares In: VI Congresso Brasileiro de História da Educação, Vitória - ES. Invenção, Tradição e Escritas da História da Educação no Brasil. Vitória - ES: SBHE, 2011. v.001. p.001 – 014. 2011,

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez. 2004.

KAERCHER, Gládis E. P. Silva e ZEN, Maria I Dalla. Leituras de crianças sobre a diferença étnico-racial. 2010. http://www.anped.org.br/app/webroot/34reuniao/images/trabalhos/GT13/GT13-560%20int.pdf Acessado em junho de 2013.

MÜLLER, Tânia Mara Pedroso. Branca cor: a criança idealizada pela imprensa. In: ________; OLIVEIRA (orgs.). O negro na contemporaneidade e suas demandas. Cadernos Penesbe – Periódico do Programa de Educação sobre o Negro na Sociedade Brasileira – FEUFF Rio de Janeiro/Niterói (n.10) (janeiro/junho 2008/2010)

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

NÓVOA, António. Os Professores e as Histórias da sua Vida. (p. 11-30). In: _______. (org.) Vidas de Professores. Porto: Porto, 1992.

ROCHA, Margarida de Carvalho. Pedagogia da diferença: a tradição oral africana como subsídio para a prática pedagógica brasileira. Belo Horizonte: Nandyala, 2009 .

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In: _______; MENESES, M. P. (org). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e. Estudos Afro-Brasileiros: africanidades e cidadania. In: ABRAMOWICS, Anete; GOMES, Nilma Lino. (orgs.). (p 37-54). Educação e raça – perspectivas políticas, pedagógicas e estéticas. Belo Horizonte: Autêntica. 2010.

SOUZA, Elizeu Clementino. Memoriais (auto)biográficos, profissionalização docente e identidade: histórias de vida e formação na pós-graduação. In: PASSEGGI, Maria da Conceição, BARBOSA, Tatyana Mabel Nobre (orgs.) Memórias, memoriais: pesquisa e formação docente. São Paulo: Paulus, 2008.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2015.14140

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: