Arte e alteridade: dialogando com a escuta das identidades no primeiro ciclo do ensino fundamental

Johnny chaves de Oliveira

Resumo


Doi: 10.12957/riae.2015.11722

O presente trabalho tem por objetivo problematizar as experiências e reflexões decorrentes das rodas de conversas realizadas ao longo de um semestre numa escola municipal da baixada fluminense, integrante do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), que tem como intuito articular teoria e prática educacional pautando a valorização do magistério e a formação dos docentes na educação básica. Os encontros foram estruturados visando compreender as relações existentes entre in-disciplina como ruptura nas relações pedagógicas e sexualidade com suas implicações na construção das identidades desses alunos do 4º ano escolar. Dessa forma, reinventando através das produções artísticas a maneira desses estudantes se relacionarem com a escola, com o próprio corpo e com as outras pessoas. A partir das observações e análises evidenciou-se que as dificuldades iniciais de aprendizagem apresentadas por 7 (sete) estudantes “bagunceiros” coexistiam com a emergência de questões sexuais e étnico-raciais, apontando a ausência de um espaço dialógico dentro escola para tais temas transversais previstos nos PCNs, mas que são silenciados, reprimidos ou vigiados pela falsa função social da escola diante do fracasso escolar.

 

 

 

 


Palavras-chave


Alteridade; sexualidade; gêneros

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Rio de Janeiro: Vozes, 1990.

CHARLOT, B. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Sociologias, Porto Alegre, ano 4, n. 8, p. 432-443, jul/dez 2002.

CHERVEL, André. L'histoire des disciplines scolaires. Paris: Histoire de L'educacion, n. 38, 1988, p. 59-119.

DE LAURETIS, Teresa (Ed.). Feminist Studies/Critical Studies. Bloomington and Indianapolis: Indiana University Press, 1986.

FARACO, Carlos Alberto. Linguagem e diálogo: as ideias linguísticas de Bakhtin. Curitiba: Criar Edições, 2003.

HECKERT, A. L. C. (2004). Narrativas de Resistência: educação e políticas. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ.

LARROSA, Jorge. Tecnologias do eu e educação. In: SILVA, Tomaz T. (Org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho. Ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

SILVA, M.C.P. (Org.) Sexualidade começa na infância. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

SPARGO, Tamisin. Foucault y la teoria queer. Barcelona: Gedisa, 2007.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2015.11722

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: