A família processual: Pensando a filiação e a transmissão na contemporaneidade

Andrea Máris Campos Guerra, Jacqueline de Oliveira Moreira, Amanda Lessa Malta, Leandro Galhardo

Resumo


As mudanças societárias nos modos e costumes referentes às composições familiares suscitam novos questionamentos acerca de como a filiação e a transmissão operam atualmente no interior das "novas" configurações familiares. Desenvolve-se, através da análise das Narrativas Memorialísticas de jovens moradores de periferia, envolvidos ou não com a criminalidade, a hipótese de que a família contemporânea opera seu espaço de transmissão através de uma lógica processual continuísta na qual não há mais um núcleo articulador e gerador de unidade semântica. Dessa forma, a transmissão acontece pela composição de diferentes lógicas que, em continuidade processual, incidem sobre o objeto de desejo a partir de seu ponto de impossibilidade de tradução.

Palavras-chave


família; juventude; criminalidade; processualidade; contemporaneidade

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2019.43014

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com