O corpo ao pé da letra: O sintoma entre o saber e o gozo

João Pedro Gomes Previdello, Isadora Nicastro Salvador, Claudia Maria de Sousa Palma

Resumo


O artigo se propõe a analisar a especificidade do conceito de corpo, a partir da pulsão e da formação sintomática, a fim de refletir sobre a diferença no tratamento das configurações clínicas que escapam à construção simbólica. Essas organizações, ao prescindirem dos mecanismos psíquicos ordenados pelo recalque e pelo trabalho inconsciente de condensação e deslocamento, desnudam um corpo malvestido pelo simbólico, portanto, com importantes entraves ao endereçamento e à inclusão da alteridade. Como consequência, o sintoma não se encadeia pela via da associação livre, nem se orienta pela busca de algo no outro. Aparece enquanto real no corpo, atrelando-se ao caráter pulsional da compulsão à repetição. Assim, destacamos a prevalência de um arranjo em que o objeto a predomina como letra, resto, cuja função está em representar um sujeito analfabeto, no sentido de desavisado do que produz em seu corpo. Para o manejo clínico, o analista é, então, convocado a um outro lugar, diferente do ocupado no tratamento com os sintomas neuróticos. Trata-se de uma clínica do ato, orientada a um remanejamento de letras a realizar a necessária demarcação nesse gozo que irrompe no corpo.

Palavras-chave


psicanálise lacaniana; corpo em psicanálise; letra

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2019.43012

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com