O caso Vera: Análise fenomenológico-existencial de uma experiência “fracassada” ou dos dilemas e dos impasses dos psicoterapeutas iniciantes

Georges Daniel Janja Bloc Boris

Resumo


O texto visa a demonstrar como a falta de conhecimento e de vivência dos diversos fundamentos dos enfoques fenomenológico-existenciais pode dificultar ou mesmo impedir o sucesso na prática do psicoterapeuta iniciante. De início, são feitas uma descrição e uma análise de alguns processos psicoterápicos de uma mesma cliente, acompanhada por diversos estagiários supervisionados pelo autor do artigo ao longo de três anos, apontando certos equívocos atribuídos às referidas limitações do aprendiz de psicoterapeuta. Em seguida, os dilemas e os conflitos do psicoterapeuta iniciante são discutidos, propondo sugestões para dar conta de tal situação. Finalmente, são apresentados alguns dos seus te­mas, a sua origem diversificada e parte dos múltiplos significados de uma orientação fenomenológico-existencial, apontando algumas de suas contribuições e aplicações à prática psicoterápica.

Palavras-chave


Psicoterapia fenomenológico-existencial; Supervisão; Estudo de caso

Texto completo:

PDF HTML


Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com