CENTROS DE INTELIGÊNCIA: UM CAMINHO PARA A EFETIVAÇÃO DA AGENDA 2030 NO JUDICIÁRIO

Frederico Augusto Leopoldino Koehler, André Luiz Cavalcanti Silveira, Raquel Barofaldi Bueno

Resumo


RESUMO: Este artigo examina a correlação entre as atribuições dos centros de inteligência do Judiciário e a concretização da Agenda 2030 da ONU. Analisa a evolução do conceito de sustentabilidade, a abordagem multidimensional e sistêmica e o papel do Judiciário na efetivação da Agenda 2030. Apresenta as atribuições dos centros de inteligência e suas potencialidades relacionadas à efetivação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Conclui propondo a implementação de sistemática de indicação, quando da afetação de matérias, dos objetivos e metas da Agenda 2030 relacionados ao respectivo tema e, ainda, novos indicadores para os centros de inteligência no relatório Justiça em Números do CNJ.


Palavras-chave


Sustentabilidade; Agenda 2030; Objetivos de Desenvolvimento Sustentável; Centros de Inteligência; Indicadores do Poder Judiciário

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/redp.2022.65430



Direitos autorais 2022 Frederico Augusto Leopoldino Koehler, André Luiz Cavalcanti Silveira, Raquel Barofaldi Bueno

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Eletrônica de Direito Processual (REDP). e-ISSN: 1982-7636

 

Campus Maracanã, Pavilhão João Lyra Filho, 7º andar

Bloco F, sala 7123. Rio de Janeiro/RJ. Brasil

Telefones: (21) 2334-0072 ou 2334-0312. E-mail: fhrevistaprocessual@gmail.com