(CIBER)ATIVISMOS E LUGARES DE EXISTÊNCIA SOCIAL: VOZES PLURAIS NO COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Renata Cristiane Martins Coronel, Iracema Cristina Fernandes da Silva, Terezinha Fernandes Fernandes

Resumo


Este artigo apresenta o resultado de um projeto de extensão desenvolvido no final do ano de 2021 e início de 2022 para estudantes do curso de Licenciatura em Pedagogia, modalidade à distância, da Universidade Federal de Mato Grosso, com ações abertas à comunidade externa. O objetivo foi mobilizar o engajamento das estudantes no enfrentamento à violência contra as mulheres, por meio de ações educativas e de parcerias que pudessem servir de inspiração às práticas docentes e também às políticas de prevenção contra a violência de gênero. A base metodológica foi de inspiração na pesquisa-formação na cibercultura, por trazer a complexidade e heterogeneidade dos processos formativos que intensificam a emergência de saberes, de autorias cidadãs na formação pessoal e na história de vida de cada praticante envolvido no projeto (SANTOS, 2019). Os resultados descrevem e apontam as potencialidades dos encontros on-line para a formação de professoras por serem disparadores de reflexões sobre a mobilização e engajamento das estudantes no enfrentamento à violência contra as mulheres. Podemos concluir que as práticas e parcerias desenvolvidas inspiraram reflexões, debates e apropriações pelas estudantes participantes do projeto.


Palavras-chave


Ciberativismos. Violência contra a mulher. Pesquisa-formação.

Texto completo:

PDF

Referências


ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Para educar crianças feministas: um manifesto. Tradução: Denise Bottmann. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

AKOTIRENE, Carla. Interseccionalidade. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

ALMEIDA, Neide. Alfanje. In: Nossos poemas conjuram e gritam. São Paulo: Quelonio, 2019.

BERTH, Joice. O que é empoderamento? Belo Horizonte: Letramento, 2018.

CASTELL, Manuel. Sociedade em Rede. Tradução: Roneide Venâncio Majer; atualização para a 6. ed.: Jussara Simões. São Paulo: Paz e Terra, 2002. (A era da informação: economia, sociedade e cultura; v. 1)

CASTRO ALVES, Antônio de. Os escravos. Recife, 1863. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/jp000009.pdf. Acesso em: 13 jan. 2022.

CRENSHAW, Kimberly. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/mod/resource/view.php?id=2211784&forceview=1. Acesso em: 4 fev. 2022.

DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo Editorial, 2016, 255 p.

EVARISTO, Conceição. Insubmissas lágrimas de mulheres. [S. l.]: Editora Malê, 2016.

EVARISTO, Conceição. Vozes-Mulheres. In: Poemas de recordação e outros movimentos. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Malê, 2017.

FERNANDES, Terezinha; SANTOS, Edméa. Ciberfeminismo e multiletramentos críticos na cibercultura. Educar em Revista, [S. l.], dec. 2020. v. 36, Curitiba, 2020b. On-line. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/76124%20Acesso%20em:%2018/02/2021 Acesso em: 20 jan. 2022.

FERREIRA, Bia. De Dentro do Ap. Rio de Janeiro: Laba-Laba Comunicação e Coletivo Fuligem, 2019. (4:45 min)

G1. Mulheres negras são as principais vítimas de homicídios; já as brancas compõem quase metade dos casos de lesão corporal e estupro. O portal de notícias da Globo, 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/monitor-da-violencia/noticia/2020/09/16/mulheres-negras-sao-as-principais-vitimas-de-homicidios-ja-as-brancas-compoem-quase-metade-dos-casos-de-lesao-corporal-e-estupro.ghtml. Acesso em: 13 jan. 2022.

HIRIGOYEN, Marie-France. Assédio: a violência perversa no cotidiano. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. Tradução de Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo – diário de uma favelada. São Paulo: Francisco Alves, 1960.

JOSSO, Marie Christine. Experiências de Vida e Formação. Lisboa: [s. n.], 2002. (Educa. Formação, 8)

LAGARDE Y DE LOS RÍOS, Marcela. El Feminismo en mi vida: hitos, claves, y topías. 2012. Disponível em: www.inmujeres.df.gob.mx. Acesso em: 15 fev. 2022.

LEITE, Ian; CASTRO, Luiza de. O silêncio dos homens. PapodeHomem e Instituto PdH, 2019. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=NRom49UVXCE. Acesso em: 13 jan. 2022.

MORIN, Edgar. Ciências com consciência. Tradução de Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dória. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

PIEDADE, Vilma. Dororidade. São Paulo: Editora Nós, 2017.

PIEDADE, Vilma. Sororidade e Dororidade, juntas no combate da COVID-19! Vilma Piedade, SBPCSC e Ciência da Ciência, 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=j5B1VGqFo3s Acesso em: 19 jan. 2022.

PODCAST. Praia dos Ossos. Disponível em: https://open.spotify.com/show/2Kki0lWqyMWegWAFe2mZOg?si=X8XrQCCKQxWQiR6MbTBUow Acesso em:16 jan. 2022.

ROCHA, Telma Brito; BRANDÃO, Cleyton Williams G. da S. Violência, discursos de ódio, mulheres negras e interseccionalidade: o caso Tia Má. In: SILVA, Ana Lúcia Gomes da; SILVA, Jerônimo Jorge Cavalcante; AMAR, Victor (org.). Interseccionalidades em pauta: gênero, raça, sexualidade e classe social. Salvador: EDUFBA, 2020. Disponível em:

https://repositorio.ufba.br/handle/ri/32907 Acesso em: 13 jan. 2022.

SANTOS, Edméa. Pesquisa-formação na cibercultura. Teresina: EDUFPI, 2019. Edição E-book. Disponível em: http://www.edmeasantos.pro.br/livros Acesso em: 13 jan. 2022.

SARDENBERG, Cecilia M. B.; TAVARES, Márcia S. (org.) Violência de gênero contra mulheres: suas diferentes faces e estratégias de enfrentamento e monitoramento. Salvador: EDUFBA, 2016. 335 p. (Coleção Bahianas, v. 19)

SOARES, Elza. Maria da Vila Matilde. São Paulo: Selo Circus, 2015. (3:45 min)

SOUZA, Babi. Vamos juntas? – O guia da sororidade para todas. 1. ed. Rio de Janeiro: Galera Record, 2016. Disponível em: https://issuu.com/tita-nigri_editorial/docs/vamos_juntas_parte. Acesso em: 20 jan. 2022.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2022.65642

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexação:

           


 

Google Acadêmico::

 

(Citações /Métricas)

 

Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.