EXPOSIÇÃO VIRTUAL O CÉU QUE NOS CONECTA O PÚBLICO INFANTO JUVENIL OCUPA O MUSEU DE CIÊNCIAS

Victória Flório, Karlla Kamylla Passos dos Santos, Alanna Dahan Martins

Resumo


Neste trabalho, registramos e compartilhamos um relato sobre a idealização, construção e desdobramentos da primeira e maior exposição virtual realizada pelo Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST)/RJ, em seus mais de 35 anos de história: “O Céu que Nos Conecta”. Lançada em junho de 2020, a exposição resultou de uma colaboração entre a equipe do MAST (Coordenação de Educação e Popularização da Ciência - COEDU e Setor de Comunicação) e 140 crianças e adolescentes de todas as regiões do país, entre 3 e 15 anos de idade. Por meio de desenhos e narrativas, as crianças autoras da exposição comunicam seus imaginários sobre o céu num momento de isolamento social, conectando o Universo às artes e às ciências, e expandindo seus significados para as vidas humanas. A ideia central do projeto foi promover a diversidade de narrativas na comunicação de ciências, fortalecendo os laços entre Museu e públicos e gerando engajamento através da inclusão de crianças e adolescentes numa postura mais ativa. Expomos alguns dos desafios encarados nesse processo, sobretudo, pela curadoria de mulheres da COEDU durante a pandemia de Covid-19, a necessidade de localizar as ações do Museu no contexto digital, e de diversificar as formas de comunicar ciências e de falar sobre os céus, e a exclusão digital. As lacunas identificadas na exposição acabaram por fortalecer os laços entre Museu e públicos, repercutindo de forma positiva entre educadoras e educadores no país e inspirando outros projetos. Numa perspectiva multicultural, o imaginário infanto-juvenil sobre ciências e outras narrativas a respeito dos céus, levaram à formação de novas parcerias e atividades.


Palavras-chave


Exposição virtual. Público infanto-juvenil. Museu de ciências. Divulgação de ciências. Pandemia Covid-19.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Secretaria de Educação Média e Tecnologia. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação e Tecnologia (SEMTEC). PCN+ Ensino Médio: Orientações Educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 2002.

BROSSARD, D.; LEWENSTEIN, B. V. A critical appraisal of models of public understanding of science: using practice to inform theory. In: KAHLOR, L.; STOUT, P. (eds.) Communicating science: new agendas in communication. New York: Routledge, 2009, p. 11-39.

CASTRO, Fernanda Rabello de. Há sentido na Educação Não Formal na Perspectiva da Formação Integral? Museologia & Interdisciplinaridade. Vol. IV, nº 8. 2015.

CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS - CGEE. Percepção pública da C&T no Brasil – 2019. Resumo executivo. Brasília, DF: 2019. 24p.

CESARINO, Letícia. (2017). Colonialidade Interna, Cultura e Mestiçagem: repensando o conceito de colonialismo interno na antropologia contemporânea. ILHA. v. 19, n. 2, p. 73-105.

CONSOLOMAGNO, Guy J. “Astronomy, Science Fiction and Popular Culture – 1277 to 2001 (and beyond)”. Leonardo, v.29, no 2, pp 127-32, 1996.

da SILVA, Jhonathan Junior; MOREIRA, Camila Cardoso; MONTEIRO, Isabel Cristina de Castro. As formas de comunicação científicas nos museus e centros de ciências: o caso do Espaço InterCiências. XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – XI ENPEC Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC – 3 a 6 de julho de 2017.

DEBOM, Camila Riegel. Representações da astronomia. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Paz e Terra, 1996.

FLÓRIO, Victória. Projeto de Pesquisa Imaginando a Astronomia no Museu de Ciências. Universidade Federal do Espírito Santo, 2021.

FLÓRIO, Victória. Subprojeto de pesquisa. Imaginando a Astronomia no Museu de Ciências | Fuga da Gravidade: O imaginário sobre a Gravidade numa Exposição Virtual do MAST. Universidade Federal do Espírito Santo, 2021.

FLÓRIO, Victória. Projeto de Extensão “Pode desenhar!” Recontando as ciências por meio das artes. Universidade Federal do Espírito Santo, 2021.

FLÓRIO, Victória. Projeto Jardim de Estrelas. Museu de Astronomia e Ciências Afins. 2020.

FLÓRIO, Victória; FALCÃO, Douglas. Projeto Livro “O Céu que Nos Conecta”. Projeto submetido ao Edital de Apoio à Editoração da FAPERJ. 2020.

FLÓRIO, Victória; FREIRE JÚNIOR, Olival. Fato como Ficção: Recontando as ciências nos EUA do início do século 20. Khronos. Revista de História das Ciências. Dossiê ficção científica e história da ciência e da técnica, 2020.

FLÓRIO, Victória; Vendedores de estrelas: a recepção da existência de outras galáxias pela mídia de massa norte-americana, década de 20”, UFBa/UEFS, 2017.

Instituto Brasileiro de Museus. Caderno da Política Nacional de Educação Museal. Brasília, DF: IBRAM, 2018. Disponível em . Acesso em 28/12/2021.

LANGHI, R.; NARDI, R. Formação de professores e seus saberes disciplinares em Astronomia essencial nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Revista Ensaio, v. 12, n. 2, 205-224, 2010.

MARANDINO, Martha. Educação em museus: a mediação em foco. GEENF/FEUSP/Pró Reitoria de Cultura e Extensão da USP. 2008.

MASSARANI, Luisa; MOREIRA, I. C.; BRITO, F. (org.) Ciência e público: os caminhos da divulgação científica no Brasil. Casa da Ciência: Rio de Janeiro, 2002.

MARTINEZ, B. P.; QUILEZ, M. J. G. The importance of images in astronomy education, International Journal of Science Education, v. 23, n. 11, 1125-1135, 2001.

MOSCOVICI, S. On social representations. In FORGAS, J.P. (ed). Social cognition: perspectives on everyday understanding. London: Academic Press, 1981.

MOTA, A. T.; BONOMINI, I. A. M.; ROSADO, R. M. M., Inclusão de temas astronômicos numa abordagem inovadora do Ensino Informal de Física para estudantes do Ensino Médio. Revista Latino-Americana de Educação em Astronomia, n. 8, 7-17, 2009.

PASSOS dos SANTOS, Karlla Kamylla e ROCHA, Jéssica Norberto. Territórios pouco explorados: o estudo dos registros de visitantes em livros de comentários de dois museus de ciências brasileiros. Perspectivas, v. 26, n 3, 2021.

PASSOS dos SANTOS, Karlla Kamylla; KUNZLER, Josiane; CAZELLI, Sibele; ELIAS, Simone Santana Rodrigues. ‘Inclusão no MAST: formação em acessibilidade cultural em tempos de pandemia. In ROCHA, Jessica Norberto (org). Acessibilidade em museus e centros de ciências. Fundação CECIERJ, Rio de Janeiro, 2021.

PRÄSS, R. A. Representações sociais da física. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

RODARI, P.; MERZAGORA, M. Mediadores em museus e centros de Ciências: status, papéis e capacitação. Uma visão europeia. In: MASSARANI, L. (Org). Diálogos & Ciência: mediação em museus e centros de Ciência. Rio de Janeiro: Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, 2007. p. 8-21.

SANTOS, Edmea; MARTI, Frieda; dos SANTOS, Rosemary. O Museu como espaço multirreferencial de aprendizagem: Rastros de aprendizagens ubíquas na cibercultura. Dossiê Temático Revista Observatório, v. 5 n. 1, 2019.

VOGT, Carlos. “The Spiral of Scientific Culture and Cultural Well-being: Brazil and Iberic-America.” Public Understanding of Science, outubro 2011. Disponível em . Acessado em (25/06/2020).

VOGT, Carlos; MORALES, Ana Paula. Cultura Científica. ComCiência. 20 de março, 2018. Disponível em . Acessado em (28/12/2021).




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2022.64444

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexação:

           


 

Google Acadêmico::

 

(Citações /Métricas)

 

Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.