CRIANÇAS, ESCOLA E MUSEUS SE ENCONTRAM PELA TELA DO COMPUTADOR NA PANDEMIA DA COVID-19

Paula de Oliveira Souza, Marina Santiago Gonçalves Almoinha, Martha Marandino

Resumo


Neste relato apresentamos a nossa experiência sobre duas oficinas de ciências com alunos e alunas do 3º ano do Ensino Fundamental I da Escola de Aplicação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo realizadas de maneira online durante 5 meses do ano letivo de 2021, no período da pandemia da Covid-19. As oficinas foram propostas para a coleta de dados de duas pesquisas de mestrado em andamento e tiveram como referências o processo de Alfabetização Científica. Uma das oficinas buscou trabalhar a dimensão institucional deste processo focalizando os museus como tema e, como desdobramento, as crianças produziram exposições a partir da temática “A ciência e os cientistas”. Na apresentação de suas produções online, houve a oportunidade de atuarem como como mediadoras de suas produções, quando puderam relatar o que haviam elaborado. Como resultado, percebemos que o formato online trouxe limitações nos modos de interação das pesquisadoras com as crianças e entre as próprias crianças. Por outro lado, a proposta das oficinas e as atividades desenvolvidas, geraram participação e engajamento das crianças, que produziram variados tipos de exposições, possibilitando não só a aprendizagem de conceitos relacionados ao papel dos museus e das exposições, mas também o trabalho com as memórias, vivências e experiências que as crianças já haviam tido em diferentes espaços museais antes da pandemia.


Palavras-chave


Alfabetização Científica; Natureza da Ciência; Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente; Exposição; Museus de Ciências.

Texto completo:

PDF

Referências


AULER, Décio; DELIZOICOV, Demétrio. Alfabetização científico-tecnológica para quê? Ensaio – Pesq. em Educação em Ciências. v. 3, n. 1, p. – 122-134, 2001. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/epec/a/XvnmrWLgL4qqN9SzHjNq7Db/?lang=pt&format=pdf>. Acesso em 02 set. 2021.

BRAGHINI, Katya. Brinquedos científicos: máquinas de brinquedos ou a revolução técnica para as crianças? Revista Humanidades e Inovação. v.8, n. 32, p. 62–78, 2021. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/4818. Acesso em: 29 set 2021.

GUTMAN, Anne; HALLENSLEBEN, George. Gaspar e Lisa no Museu. 2ºed. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

LORENZETTI, Leonir; DELIZOICOV, Demétrio. Alfabetização Científica no contexto das séries iniciais. Ensaio - Pesquisa em Educação em Ciências. Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 1- 17, jun. 2001. Disponível em: . Acesso em: 02 set. 2021.

MARANDINO, Martha; NORBERTO ROCHA, Jessica; CERATI, Tania Maria; SCALFI, Graziele; DE OLIVEIRA, Denise; FERNANDES LOURENÇO, Márcia. Ferramenta teórico-metodológica para o estudo dos processos de alfabetização científica em ações de educação não formal e comunicação pública da ciência: resultados e discussões. JCOM – América Latina, v. 01, n. 01, 2018. Disponível em . Acesso em 05 ago. 2021.

MARANDINO, Martha; PATACA, Ermelinda Moutinho; BOCCHI, Luna Abrano; LEITE, Maria Stello. A atuação do Museu da Educação e do Brinquedo (MEB) na formação inicial de professores. In: TOJO, Joselaine Mendes; AMARAL, Lilian. (Organizadoras). Rede de Redes - diálogos e perspectivas das redes de educadores de museus no Brasil, p. 285-293. 1 ed. São Paulo: Sistema Estadual de Museus - SISEM-SP, 2018.

MARQUES, Amanda Cristina Teagno Lopes; MARANDINO, Martha. Alfabetização científica, criança e espaços de educação não formal: diálogos possíveis Marques. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 44, 2018. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/ep/a/C3jHPnH8nQ47vp6fQ7mrdDb/?lang=pt&format=pdf >. Acesso em 20 set. 2021.

O’BRIEN, Thomas. Teaching Fundamental Aspects of Science Toys. School Science and Mathematics. v. 93, n. 4, p. 203–207, 1993. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1949-8594.1993.tb12225.x. Acesso em: 29 jul. 2021.

PEREIRA, Jany Elizabeth. A importância do lúdico na formação de educadores - Uma pesquisa ação do Museu da Educação e do Brinquedo da Faculdade de Educação da USP. 248 f. (Dissertação de Mestrado em Educação). São Paulo: Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2005.

SCALFI, Graziele Aparecida de Moraes. Crianças em visitas familiares a museus de ciências: análise do processo de alfabetização de alfabetização científica. 415 f. (Tese de Doutorado em Educação). São Paulo: Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2020.

SCALFI, Graziele; MARQUES, Amanda Cristina; ISZLAJI, Cynthia; MILAN, Barbara; NORBERTO ROCHA, Jessica; MARANDINO, Martha. Análise do processo de alfabetização científica em crianças em espaços de educação não formal e divulgação da ciência. ACTIO: Docência em ciências, Curitiba, v. 4, n. 3, p. 386-410, set./dez. 2019. Disponível em: . Acesso em 20 ago. 2021.

SIQUEIRA, Denise da Costa Oliveira. Superpoderosos, submissos: os cientistas na animação televisiva. In MASSARANI, Luisa. (org.). O pequeno cientista amador: a divulgação científica e o público infantil. Rio de Janeiro: Casa da Ciência/UFRJ: Museu da Vida/Fiocruz: Vieira&Lent, p.23-32, 2005.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2022.63510

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexação:

           


 

Google Acadêmico::

 

(Citações /Métricas)

 

Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.