A DIVISÃO NO ESPORTE DEVE SER SEPARADA POR SEXO OU GÊNERO

Maria Eduarda Aguiar da Silva

Resumo


Artigo científico que tem objetivo analisar se a separação nos esportes deve ser por sexo biológico ou gênero, fruto de pesquisa iniciada em março de 2018 após a polêmica com a jogadora transexual de volei Tyfanni Abreu. O trabalho enfoca a temática da divisão sexual nos esportes e se a separação deve ser por sexo biológico ou gênero auto identificado, enfrentando questões polêmicas que envolvem a idéia de vantagem ou desvantagem pretérita, uma vez que padrões biológicos e médicos, com viés patologizantes ainda são utilizados nos discursos de muitos envolvidos de modo direto nessa ação. Neste trabalho são apresentados argumentos favoráveis e contrários a inclusão de atletas transexuais nos esportes. Um olhar trans emerge a partir dessa narrativa, evidenciando o protagonismo necessário.

Palavras-chave


Transexual;esporte;inclusão

Texto completo:

PDF

Referências


Estudos de Gênero no Brasil, Maria Luiza Heilborn e Bila Sorj

Corpo, Geração e Identida, Carla Gomes e Bila Sorj, 2014.

Gênero e Desigualdades, Flavia Biroli , 2017

Globo Esporte

Nlucon

Sociedade Brasileira de Endocrinologia

Huffpostbrasil

Transexualidade e esporte : o caso Tyfane Abreu em jogo, Revista Eletrônica de Interações Sociais, Vagner Matias do Prado e Alessandra Lo Gullo A Nogueira, 2018




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2019.39707

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores:

           


Índice de citação de artigos:


Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.