Acolhimento como tecnologia do cuidado emancipatório em Centros de Atenção Psicossocial

Adriana Dias Silva, Maria Angélica Almeida Peres

Resumo


Objetivo: analisar os componentes que caracterizam o potencial emancipatório do acolhimento realizado em Centros de Atenção Psicossocial, destacados por cidadania, consciência crítica, liberdade e autonomia. Método: Pesquisa Convergente Assistencial, cujos dados foram provenientes de entrevistas com roteiro semiestruturado e grupos de integração pesquisa-serviço com quatro enfermeiros, uma psicóloga e três assistentes sociais, no período de novembro de 2018 a julho de 2019. A análise compreendeu quatro processos conforme atribuídos pela Pesquisa Convergente Assistencial. Resultados: à luz do constructo teórico de Nietsche em sua classificação tecnológica, o acolhimento apresenta potencial emancipatório pleno ao revelar componentes emancipatórios relacionados à liberdade, cidadania, autonomia e consciência crítica, favorecendo o processo de emancipação, tanto de profissionais quanto de usuários. Conclusão: acolhimento como tecnologia de potencial emancipatório pleno possibilita aos enfermeiros a apreensão do conceito de tecnologia emancipatória e de reflexão dos saberes e práticas que a esta são intrínsecos.


Palavras-chave


Saúde Mental; Serviços de Saúde Mental; Enfermagem Psiquiátrica; Cuidados de Enfermagem; Acolhimento.



DOI: https://doi.org/10.12957/reuerj.2021.62626

Direitos autorais 2021 Adriana Dias Silva, Maria Angélica Almeida Peres

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.