MELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO COMO PREMISSA PARA A PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE

Amanda Moreira da Silva

Resumo


O presente artigo irá contextualizar os princípios de valorização do profissional do magistério público, inscrito na Resolução nº2/2015, que define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior e para a formação continuada, de 2015. O objetivo será analisar a valorização do magistério conforme esta Resolução reconhecendo a materialidade das políticas em curso, que vem gerando uma metamorfose no mundo do trabalho docente nas redes municipais e estaduais de ensino. Nossa análise terá como pano de fundo a atual conjuntura de privatização e mercantilização da educação pública, via terceirização e flexibilização do trabalho docente, mediante o recorte teórico-metodológico do materialismo histórico-dialético operado por Antonio Gramsci. Nesse sentido, iremos confrontar os princípios postos na Resolução nº2/2015, com a atual conjuntura de precarização do trabalho docente que indicam um novo formato de “regime de colaboração com o empresariado”, cujo objetivo é imprimir nas instituições de ensino públicas o ethos empresarial e o trabalho flexível.


Palavras-chave


trabalho docente; precarização; empresariamento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2017.30254


ISSN: 2316-9303 | Indexada em: