O consumo de farinha de taro (Colocasia esculenta) favorece a integridade óssea em ratos machos

Letícia Rozeno Pessoa, Maíra Duque Coutinho de Abreu, Gabrielle Ribeiro Gracio, Bianca Ferolla da Camara Boueri, Eduardo Moreira da Silva, Gilson Teles Boaventura, Carlos Alberto Soares da Costa

Resumo


Objetivo: A proposta deste estudo foi investigar a composição óssea em ratos tratados com dieta suplementada com farinha de taro (Colocasia esculenta) até eles completarem 90 dias de idade. Métodos: No momento do desmame, os ratos foram divididos em grupo controle (C, n = 11) e experimental (T, n = 12) – composto por animais tratados com farinha de taro até os 90 dias de idade. Ingestão alimentar, massa e comprimento corporal foram avaliados semanalmente ao longo de todo o período experimental. Dimensões ósseas, bem como a densidade mineral óssea (DMO), conteúdo mineral ósseo (CMO), área óssea total e propriedades biomecânicas foram determinadas no final de 90 dias. Resultados: Grupo T apresentou elevados valores (P<0.05) para massa e comprimento corporal; DMO, CMO e área óssea da coluna vertebral; DMO na quarta vértebra lombar; massa femoral, distância entre as epífises, largura do ponto médio da diáfise, DMO, força máxima e concentrações séricas de osteocalcina, quando comparado ao grupo controle. Conclusões: A ingestão da farinha de taro apresentou efeito positivo na saúde óssea.


Palavras-chave


Colocasia esculenta. Dieta. Ratos. Fêmur. Desenvolvimento ósseo.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2021.51626

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.