Associação entre força de preensão manual e indicadores nutricionais em pacientes em tratamento hemodialítico

Ellen de Souza Almeida, Danielle Cristina Guimarães da Silva, Joice Natielle Mariano de Almeida, Thailane Carvalho dos Santos

Resumo


Objetivo: Verificar a associação entre a força de preensão manual (FPM) e indicadores nutricionais em pacientes em tratamento hemodialítico do Oeste da Bahia. Métodos: Trata-se de um estudo transversal, realizado com pacientes adultos e idosos, cadastrados em uma unidade de hemodiálise do Oeste da Bahia. Foi aplicado questionário estruturado com questões referentes às condições sociodemográficas e realizada análise das variáveis antropométricas, de composição corporal, clínicas e bioquímicas. A FPM foi medida do lado não fistuloso com um dinamômetro hidráulico da marca SAEHAN® (Saehan corporation – SH5001). A análise dos dados foi realizada com o auxílio do software Stata 13.1. Resultados: Foram avaliados 113 pacientes, com predominância do sexo masculino (60,55%) e faixa etária de 35 a 59 anos (57,52%). Foram encontradas associações positivas entre a altura e a FPM, sendo que quanto maior a altura, maior é a força (p = 0,020). O maior peso corporal após sessão de hemodiálise também se apresentou associado à maior FPM (p = 0,002). A medida da prega cutânea tricipital mostrou associação inversa (p = 0,007) e o ângulo de fase foi positivamente associado à FPM (p = 0,018). Conclusão: A força de preensão manual foi associada positivamente a altura, peso corporal após sessão de hemodiálise e ângulo de fase. Em contrapartida, a FPM associou-se negativamente à prega cutânea tricipital.

 


Palavras-chave


Doença Renal Crônica. Dinamômetro de Força Muscular. Antropometria. Hemodiálise.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2021.51176

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.