CONSUMO ALIMENTAR E NÍVEIS DE COLESTEROL SÉRICO EM MULHERES NUTRICIONISTAS

Helânia Virginia Dantas dos Santos, Poliana Coelho Cabral

Resumo


Introdução: O consumo alimentar e sua associação com o perfil lipídico vêm sendo bastante estudados, visto que o consumo excessivo de colesterol e gorduras saturadas estão implicados na gênese das doenças cardiovasculares, assim como o excesso de peso. Os profissionais de saúde, bem como os nutricionistas, não estão imunes a esses agravos à saúde. Objetivo: Avaliar a correlação do consumo alimentar com o nível de colesterol sérico em mulheres nutricionistas com e sem excesso de peso. Métodos: A amostra foi constituída por 169 mulheres nutricionistas atuantes no estado de Pernambuco, que através de um questionário online, referiram as variáveis idade, índice de massa corporal, colesterol total sérico e responderam a um Recordatório Alimentar de 24 horas em duplicata. Realizou-se a análise descritiva dos dados; foram utilizados o coeficiente de correlação de Pearson e a regressão linear múltipla, considerando-se significante p < 0,05. Resultado: A prevalência de hipercolesterolemia foi de 27,2%, e de excesso de peso, 21,9%. A maior ingestão proteica da dieta se mostrou um fator determinante para a redução dos níveis de colesterol total sérico, em nutricionistas com e sem excesso de peso. O aumento do índice de massa corporal e da idade também foi fator determinante da hipercolesterolemia em ambos os grupos avaliados neste estudo. Conclusão: O consumo alimentar parece ter influência importante sobre os níveis séricos de colesterol total, com destaque para as proteínas.

DOI: 10.12957/demetra.2019.38710

 


Palavras-chave


Nutricionistas. Estado Nutricional. Consumo Alimentar. Colesterol.

Texto completo:

PDF-PORT PDF-ENG (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2019.38710