ACESSO AOS ALIMENTOS E SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL: AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO EM MUNICÍPIOS BAIANOS

Laís Santos Calmon, Sandra Maria Chaves Santos, Marlus Henrique Queiroz Pereira

Resumo


Objetivo: Avaliar a situação de Segurança Alimentar e Nutricional nos municípios do Estado da Bahia e seus principais determinantes na dimensão de Acesso aos Alimentos. Métodos: Aplicou-se um protocolo de indicadores que avalia a Segurança Alimentar e Nutricional em âmbito municipal, englobando quatro dimensões (disponibilidade, acesso e consumo de alimentos e utilização biológica de nutrientes). Foram utilizados dados secundários dos municípios baianos, disponíveis em bases de dados on-line de acesso público. Foram calculadas medidas de prevalência e verificada a associação entre as variáveis do estudo. Resultados: Nos municípios avaliados, observou-se que 119 (28,7%) estavam em Insegurança Alimentar leve e 286 (69,1%), em Insegurança Alimentar moderada. Na dimensão Acesso aos Alimentos houve predominância de Insegurança Alimentar moderada (71,5%), e os indicadores que mais contribuíram para esse quadro foram proporção de pessoas com baixa renda e percentual da população com 15 anos ou mais e menos de 4 anos de estudo. Houve associação significativa entre a situação de Insegurança Alimentar nos municípios, considerando todas as dimensões, e o estado de Insegurança Alimentar na dimensão de Acesso aos Alimentos (p<0,000). E entre a situação de Insegurança Alimentar na dimensão de Acesso aos Alimentos e menores Índices de Desenvolvimento Humano Municipal (p<0,000).  Conclusão: Apesar da dimensão de Acesso aos Alimentos ter forte relação com Insegurança Alimentar, não se mostrou suficiente para explicá-la isoladamente nos municípios baianos. A aplicação do protocolo adotado pode auxiliar gestores a definir ações estratégicas para enfrentamento do problema.

DOI: 10.12957/demetra.2016.23369

 

 


Palavras-chave


Segurança alimentar e nutricional, Acesso aos Alimentos, municípios baianos, indicadores

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2016.23369