CELESTE, A BONECA COM OLHOS VERDES DE ESPERANÇA: O IMAGINÁRIO INFANTIL DE SÓNIA SULTUANE

Sávio Roberto Fonseca de Freitas

Resumo


O objetivo deste estudo é desenvolver uma análise da obra literária infantil Celeste, a boneca com olhos cor de esperança (2017), da escritora moçambicana Sónia Sultuane. Movida pela sensibilidade ocular desbravadora de mundos e de humanitarista declarada, Sónia Sultuane faz migrar a poesia para a literatura infantil. Joana é uma personagem infantil que representa o exercício da solidariedade, da saúde coletiva e da consciência humaitária. Ao contar esta estória, Sultuane mostra que o mundo contemporâneo está muito tóxico e a literatura é um caminho para o exercício da humanidade. Alguns aspectos são levados em consideração na análise: a oralidade, o humanitarismo e o imaginário infantil no feminino. Como suporte teórico, ancoramos nossas análises em posicionamentos de: (CANDIDO, 2011, p. 172). (CHEVALIER; GHEERBRANT, 2006, p.653), (MOREIRA, 2005, p.31), (BACHELARD, 1990. p. 6), (SECCO, 2007, p.9-10) e (CHIZIANE&MARTINS, 2018, p.27).


Palavras-chave


Oralidade. Humanitarismo. Imaginário infantil no feminino.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/seminal.2022.59547

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.