GUERRA NO LIVRO ILUSTRADO INFANTIL: A CAMINHO DE CASA, DE ANA TORTOSA E ESPERANZA LEÓN

Thiago Alves Valente, Eliane Aparecida Galvão Ribeiro Ferreira

Resumo


Este artigo objetiva refletir sobre o tema da guerra manifesto no livro ilustrado infantil contemporâneo. Para tanto, elegeu-se a obra A caminho de casa, escrita por Ana Tortosa e ilustrada por Esperanza León (2012), pois permite um modo de representação cativante, segundo Linden (2011), pela percepção simultânea de dois textos distintos: verbal e imagético. Justifica-se, então, na análise dessa obra, refletir sobre suas potencialidades na formação do leitor crítico (ECO, 2003). Para tanto, busca-se a partir do aporte da Estética da Recepção (JAUSS, 1994; ISER, 1996 e 1999), detectar se há vazios na estruturação da obra, que geram expectativa e tensão, bem como potências de negação e silenciamentos, os quais suscitam revisões de hipóteses, enfim, produtividade do leitor na leitura. Além disso, se suas ilustrações possuem pregnância estética (OLIVEIRA, 2008), sendo capazes de ampliar o imaginário do leitor infantil, constituir sua memória afetiva e, assim, desautomatizar seu olhar em relação à imagem.


Palavras-chave


Livro ilustrado; Formação do Leitor; Estética da Recepção.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cadsem.2020.52653

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.