COROA DE SONETOS PARA UMA CABRA, DE ALTINO CAIXETA DE CASTRO

Rodrigo GUIMARÃES

Resumo


Este artigo analisa a série de poemas “Coroa de sonetos parauma cabra”, de Altino Caixeta de Castro (1916-1986) e sua relaçãocom a produção teórica do filósofo Jacques Derrida no que diz respeitoao rebaixamento da escritura e sua subordinação ao logocentrismoe à metafísica da presença.. Altino Caixeta maneja a linguagemprovocando o deslocamento do logos e a reafirmação daescritura como “jogo”.

Palavras-chave


Altino Caixeta de Castro; poesia contemporânea; Jacques Derrida

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.