Assistência pré-natal às usuárias de substâncias psicoativas: dificuldades elencadas pelos profissionais da saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/reuerj.2024.76680

Palavras-chave:

Enfermagem, Cuidado Pré-Natal, Usuários de Drogas, Gravidez de Alto Risco

Resumo

Objetivo: conhecer as dificuldades elencadas pelos profissionais de saúde na assistência pré-natal às usuárias de substâncias psicoativas. Método: estudo qualitativo, exploratório-descritivo, realizado nas mídias sociais, com profissionais da área da saúde que realizam atendimento pré-natal. A coleta de dados ocorreu de novembro de 2022 a janeiro de 2023 por meio de questionário eletrônico. Os dados foram analisados por meio da análise temática. Protocolo aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Resultados: os profissionais destacam o déficit de conhecimento para abordar este público em específico. A abordagem superficial e condenatória do uso de substâncias pelas políticas públicas corrobora para que os profissionais se sintam preparados em parte para atender essas gestantes. Considerações finais: a capacitação dos profissionais é necessária para superar práticas condenatórias e retrógradas de cuidado que focam unicamente a abstinência; como também, o investimento na capacitação acerca da rede de atenção à saúde, buscando ampliar sua visibilidade e utilização.

Biografia do Autor

Amanda Rosário Tavares, Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Juliane Portella Ribeiro, Universidade Federal de Pelotas

Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta. Faculdade de Enfermagem. Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Referências

Fernandes JA, Venâncio SI, Pasche DF, Silva FLG, Aratani N, Tanaka OU, et al. Avaliação da atenção à gestação de alto risco em quatro metrópoles brasileiras. Cad Saúde Pública. 2020 [cited 2023 Mar 02]; 36(5):e00120519. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311X00120519.

Livramento DVP, Backes MTS, Damiani PR, Castillo LDR, Backes DS, Simão AMS. Perceptions of pregnant women about prenatal care in primary health care. Rev Gaúcha Enferm. 2019 [cited 2023 Jan 11]; 40:e20180211. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2019.20180211.

Peters AA, Cruzeiro HR, Bertolini OGP, Assis G de P, Silva AD, Peres MAA. Pregnant women using psychoactive substances attended by nurses in Primary Health Care. SMAD. Rev eletrônica saúde mental álcool drogas. 2020 [cited 2023 Mar 02]; 16(2):66-74. DOI: https://dx.doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2020.166357.

Albuquerque CS, Nobrega MPSS. Barriers and amenities for seeking specialized treatment encountered by women who use psychoactive substances. SMAD. Rev eletrônica saúde mental álcool drogas. 2016 [cited 2023 Jan 22]; 12(1):22-9. DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1806-6976.v12i1p22-29.

Mota ER, Siqueira DF, Soccol KLS, Silva SO, Campos MLD. Gestantes usuárias de substâncias psicoativas. Enferm Bras. 2019 [cited 2023 Jan 22]; 18(4):570-6. DOI: https://doi.org/10.33233/eb.v18i4.1649.

Antunes MB, Demitto MO, Padovani C, Elias KCM, Miranda ACM, Pelloso SM. Perinatal outcomes in pregnant drug users attended at a specialized center. SMAD. Rev eletrônica saúde mental álcool drogas. 2018 [cited 2022 Dec 15]; 14(4):211-8. DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2018.000371.

Ventura J, Silva MRS, Paula SF, Gehlen MH, Oliveira AMN. Pregnant/puerperal women who use crack: essential needs for reconstructing a drug-free life. Rev Fun Care Online. 2019 [cited 2023 Mar 22]; 11(4):937-43. DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2019.v11i4.937-943.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Ações Programáticas. Manual de gestação de alto risco. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2022 [cited 2023 Nov 02]. Available from: https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/wp-content/uploads/2022/03/manual_gestacao_alto_risco.pdf.

Marcolino TQ, Joaquim RHVT, Wernet M, Giovanetti G, Kishi RGB, Marchi M, et al. Gestação e uso de substâncias psicoativas: qual é o cuidado em saúde desejado pelas mulheres? Cad Saúde Colet. 2018 [cited 2023 Mar 02]; 26(3):255-60. DOI: https://doi.org/10.1590/1414-462X201800030374.

Rocha M, Trevisan N. Marketing nas mídias sociais (Coleção Marketing nos Tempos Modernos). São Paulo: Editora Saraiva; 2020 [cited 2023 Mar 02]. Available from: https://books.google.com.br/books?id=yJrUDwAAQBAJ&printsec=copyright&redir_esc=y#v=onepage&q&f=false.

Dufloth SC, Saldanha CCT. Produção de conhecimento pelas mídias sociais: um olhar retrospectivo da polarização política dos fenômenos do Brexit e do impeachment presidencial de 2016. Liinc Rev. 2019 [cited 2023 Jan 22]; 15(1):328-42. DOI: https://doi.org/10.18617/liinc.v15i1.4568.

Vieira AC, Harrison DM, Bueno M, Guimarães N. Use of the FacebookTM social network in data collection and dissemination of evidence. Esc Anna Nery. 2018 [cited 2022 Dec 02]; 22(3):e20170376. DOI: https://doi.org/10.1590/2177-9465-EAN-2017-0376.

Minayo MCS. Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: consensos e controvérsias. Rev Pesq Qual. 2017 [cited 2023 Mar 02]; 5(7):1–12. Available from: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/82/59.

Costa BRL. Bola de neve virtual: o uso das redes sociais virtuais no processo de coleta de dados de uma pesquisa científica. RIGS. 2018 [cited 2022 Nov 11]; 7(1):15-37. Available from: https://periodicos.ufba.br/index.php/rigs/article/view/24649.

Mota JS. Utilização do Google Forms na pesquisa acadêmica. Rev Humanid e Inov. 2019 [cited 2023 Mar 02]; 6(12):371-3. Available from: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/1106.

Minayo MCS. O Desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. 30 ed. São Paulo: Hucitec; 2016. 108 p.

Castro IR, Falcão PB, Falcão LMN, Melo SP, Farias FLR. Percepção de enfermeiros sobre aplicabilidade de instrumentos de rastreamento do uso de álcool em pré-natal. RETEP – Ver Tendên da Enferm Profis. 2016 [cited 2023 Mar 12]; 8(3):1955-9. Available from: http://www.coren-ce.org.br/wp-content/uploads/2019/03/PERCEP%C3%87%C3%83O-DE-ENFERMEIROS-SOBRE-APLICABILIDADE-DE-INSTRUMENTO-DE-RASTREABILIDADE-DE-USO-DE-%C3%81COOL-NA-GESTA%C3%87%C3%83O.pdf.

Ministério da Cidadania (Br). Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas. Secretaria Nacional de Atenção à Primeira Infância. Conhecendo os efeitos do uso de drogas na gestação e as consequências para os bebês. Brasília: DF – 1ª edição; 2021 [cited 2023 May 05]. Available from: https://www.gov.br/cidadania/pt-br/noticias-e-conteudos/desenvolvimento-social/noticias-desenvolvimento-social/ministerio-da-cidadania-lanca-cartilha-sobre-efeitos-e-consequencias-do-uso-de-drogas-na-gestacao/30042021_cartilha_gestantes.pdf

Aragon SC, Cury IF, Queiroz LSL, Montino MC, Lima IM, Lima IM, et al. Acompanhamento pré-natal como fator determinante para diminuição de grávidas usuárias de drogas e repercussões nos neonatos: uma revisão sistemática. Rev Amazônia: Science Health. 2020 [cited 2023 May 05]; 8(1):55-65. Available from: http://ojs.unirg.edu.br/index.php/2/article/view/3088.

Balestra EVG, Magalhães LT, Teixeira PWX, Amaral GVM, Silveira FHP, D’Amorim MFG. O uso de drogas ilícitas na gravidez e as consequências para a mãe e para o feto. Braz J of Develop. 2020 [cited 2023 May 02]; 6(7):43055-64. Available from: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/12603/10577.

Lavras CCC. Governo do Estado de São Paulo. Secretaria da Saúde. Linha de cuidado gestante e puérpera: manual técnico do pré-natal, parto e puerpério. São Paulo: SES/SP; 2018 [cited 2023 Feb 18]. Available from: https://docs.bvsalud.org/biblioref/ses-sp/2018/ses-37505/ses-37505-6953.pdf.

Ministério da Saúde (Br). Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Nota Técnica nº 01/2016/MDS/MSaúde. Diretrizes, Fluxo e Fluxograma para a atenção integral às mulheres e adolescentes em situação de rua e/ou usuárias de álcool e/ou crack/outras drogas e seus filhos recém-nascidos; 2016 [cited 2023 Feb 18]. Available from: http://www.mds.gov.br/webarquivos/legislacao/bolsa_familia/nota_tecnica/nt_conjunta_01_MDS_msaude.pdf.

Capeletti AO, Lins JP, Giotto AC. As intervenções dos profissionais de enfermagem frente a gestantes usuárias de drogas ilícitas e lícitas. Rev Inic Cient Ext. 2019 [cited 2023 Jan 10]; 2(Esp.2):323-8. Available from: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/282.

Lima MGT, Santos AAP, Lobo ALSF, Oliveira JCS, Silva JMO, Pedrosa MP. Qualified assistance to pregnant women with alcohol and drug abuse problems. Rev enferm UFPE on line. 2021 [cited 2023 May 05]; 15:e245415. DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963.2021.245415.

Oliveira CCRB, Silva EAL, Souza MKB. Referral and counter-referral for the integrality of care in the Health Care Network. Physis: Revista de Saúde Coletiva. 2021 [cited 2023 Dec 23]; 31(1):e310105. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73312021310105.

Marangoni SR, Gavioli A, Dias LE, Oliveira MLF. Consumption of drugs of abuse during pregnancy analyzed by means of the opportunistic screening method. Cogitare Enferm. 2022 [cited 2023 Mar 02]; 27:e79282. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v27i0.79282.

Lopes KB, Ribeiro JP, Porto AR. Care strategies for pregnant and puerperal psychoactive substances users: an integrative review. Rev. enferm. UERJ. 2020 [cited 2023 Dec 26]; 28:e49518. DOI: https://doi.org/10.12957/reuerj.2020.49518.

Publicado

29.05.2024

Como Citar

Tavares, A. R., & Ribeiro, J. P. (2024). Assistência pré-natal às usuárias de substâncias psicoativas: dificuldades elencadas pelos profissionais da saúde . Revista Enfermagem UERJ, 32(1). https://doi.org/10.12957/reuerj.2024.76680

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa