RACIALIDADE E PSICOLOGIA: PERCEPÇÕES DE PSICÓLOGOS EM FORMAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2024.73643

Palavras-chave:

Formação do psicólogo, Negro, Psicologia, Racialidade, Racismo.

Resumo

A Psicologia, enquanto ciência e profissão, se ocupa de compreender e intervir sobre a subjetividade dos sujeitos, promovendo saúde mental. Considerando o desenvolvimento da prática no Brasil, – país no qual a maioria da população é negra – se denota a necessidade de se pensar uma atuação profissional antirracista. Dessa forma, o presente trabalho de conclusão de curso em Psicologia objetivou promover a reflexão a respeito do estudo da racialidade nas graduações de Psicologia como subsídio para uma postura profissional ética perante a temática. Para tanto, foi desenvolvida uma revisão teórica acerca de racialidade, racismo estrutural e racismo institucional, relacionando ainda racialidade com produção de conhecimento, ensino superior, e Psicologia. Em seguida, na perspectiva de uma metodologia qualitativa, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com nove estudantes de Psicologia de diferentes instituições de ensino superior da cidade de Passo Fundo (RS). Os resultados possibilitaram discussões sobre a identificação do racismo, a presença negra no processo formativo, a apropriação do debate racial e a abordagem da racialidade. Demonstraram ainda, o sentimento de despreparo dos estudantes para atuar levando em consideração o tema enquanto profissionais, sentimento este derivado da ausência ou superficialidade da sua abordagem durante o processo formativo. Desta forma, considera-se essencial repensar a preparação de psicólogos para uma atuação que não perpetue ou compactue com a reprodução do racismo.

Biografia do Autor

Maíra Aparecida Fraga Miranda, Universidade de Passo Fundo

Psicóloga graduada pela Universidade de Passo Fundo (CRP 07/34556). Residente no Programa de Residência Multiprofissional Integrada em Atenção ao Câncer pela Universidade de Passo Fundo, Secretaria Municipal de Saúde de Passo Fundo e Hospital São Vicente de Paulo, através do qual atua nos setores de Oncologia do HSVP, bem como no CAPS II - Saúde Mental.

Robert Filipe dos Passos, Universidade de Passo Fundo

Graduado em Psicologia pela Universidade de Passo Fundo - UPF (2013). Mestre Em Psicologia Social e Institucional pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2016). Atualmente é professor do Curso de Psicologia da Universidade de Passo Fundo na área de Psicologia Institucional, Psicologia do Trabalho e Políticas Públicas. Doutorando em Psicologia Social e Institucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS.

Referências

ANDRADE, É. A opacidade do iluminismo: o racismo na filosofia moderna. Kriterion, Belo Horizonte, v. 58, n. 137, p. 291-309, ago. 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2017000200291&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 08 abr. 2020.

BONI, V.; QUARESMA, S. J. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC, Vol. 2 nº 1 (3), janeiro-julho/2005, p. 68-80. Disponível em: < https://periodicos.ufsc.br/index.php/emtese/article/view/18027>. Acesso em: 25 maio 2020.

CARNEIRO. Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil. Selo Negro, 2015.

CASTELAR, M.; SANTOS, C. C. de O. Relações raciais no ensino de Psicologia: uma experiência de sensibilização. Revista Psicologia, Diversidade e Saúde, v. 1, n. 1, p.75-86, dezembro, 2012. Disponível em: <https://www5.bahiana.edu.br/index.php/psicologia/article/view/43/43>. Acesso em: 10 abr. 2020.

CASTRO-GÓMEZ, S. La hybris del punto cero: Ciencia, raza y ilustración em em la Nueva Granada (1750-1816). Columbia: Editorial Pontificia Universidad Javeriana. 2005.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Relações Raciais: Referências Técnicas para atuação de psicólogas/os. Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2017.

DIEHL, A. A. Pesquisa em ciências sociais aplicadas: métodos e técnicas. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

GUIMARÃES, A. S. A. Raça e os Estudos de Relações Raciais no Brasil. São Paulo: Novos Estudos CEBRAP, 54, 147-156, 1999a. Disponível em: <https://www.pragmatismopolitico.com.br/wp-content/uploads/2018/11/GUIMARAES-Raça-e-os-estudos-de-relações-raciais-no-Brasil.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da População brasileira: 2019 / IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais. - Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101678.pdf>. Acesso em: 28 mar. 2020.

INSTITUTO DA MULHER NEGRA, Geledés a. Racismo institucional uma abordagem conceitual. Disponível em: <http://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2016/04/FINAL-WEB-Racismo-Institucional-uma-abordagem-conceitual.pdf>. Acesso em: 26 mar. 2020.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó. 2019.

MASIERO, A. L. A Psicologia racial no Brasil (1918-1929). Estudos de Psicologia (Natal), Natal, v. 10, n. 2, p. 199-206, ago. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-294X2005000200006&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 01 abr. 2020.

MIGNOLO, W. Colonialidade: o lado mais escuro da modernidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais. N. 32 (v. 94), 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcsoc/a/nKwQNPrx5Zr3yrMjh7tCZVk/abstract/?lang=pt. Acesso em 20 fev 2023.

MORAES, Fabiana. No País do Racismo Institucional: dez anos de ações do GT racismo no MPPE. Coordenação Assessoria Ministerial de Comunicação Social do MPPE, Grupo de Trabalho sobre Discriminação Racial do MPPE – GT Racismo. Recife: Procuradoria Geral de Justiça, 2013. Disponível em: <https://www.mppe.mp.br/mppe/images/Livro10web.pdf>. Acesso em: 26 mar 2020.

MOREIRA, A. Racismo recreativo. Pólen Produção Editorial LTDA, 2019.

MUNANGA, K. Palestra: Uma Abordagem Conceitual Das Noções De Raça, Racismo, Identidade E Etnia. Seminário Nacional Relações Raciais E Educação, 3. Rio de Janeiro: PENESB, 2003. Disponível em <https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/04/Uma-abordagem-conceitual-das-nocoes-de-raca-racismo-dentidade-e-etnia.pdf>. Acesso em: 18 mar. 2020.

OLIVEIRA, F.; NUNES, T.; ANTLOGA, C. Dinâmica de prazer e sofrimento de estudantes negras de faculdades de Brasília – Epistemicídio, racismo e machismo. Psicologia Revista, v. 28, n. 1, p. 103-124, 2019. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/psicorevista/article/view/38914>. Acesso em: 14 nov. 2020.

OLIVEIRA, R. J.; OLIVEIRA, R. M. S. Origens da segregação racial no Brasil. Amérique Latine Histoire et Mémoire. Les Cahiers ALHIM [Em línea], 29 | 2015, Publicado el 18 junio 2015. Disponível em: <https://journals.openedition.org/alhim/5191>. Acesso em: 31 mar. 2020.

RAMOS, J. de S. Ciência e racismo: uma leitura crítica de Raça e assimilação em Oliveira Vianna. Hist. cienc. Saúde - Manguinhos, Rio de Janeiro, vol. 10, n. 2, p. 573-601, ago. 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702003000200005>. Acesso em: 08 abr. 2020.

SACCO, A. M.; COUTO, M. C. P. de P.; KOLLER, S. H. Revisão sistemática de estudos da psicologia brasileira sobre preconceito racial. Temas psicol., Ribeirão Preto, v. 24, n. 1, p. 233-250, mar. 2016. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-389X2016000100012&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 11 abr. 2020.

SANTOS, A. de O. dos; SCHUCMAN, L. V. Desigualdade, relações raciais e a formação de psicólogo(as). Rev. Epos, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 117-140, dez. 2015. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2178-700X2015000200007&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 10 abr. 2020.

SANTOS, A de O. dos.; SCHUCMAN, L. V.; MARTINS, H. V. Breve histórico do pensamento psicológico brasileiro sobre relações étnico-raciais. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 32, n. spe, p. 166-175, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932012000500012&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 01 abr. 2020.

SCHUCMAN, L. V. Sim, nós somos racistas: estudo psicossocial da branquitude paulistana. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 26, n. 1, p. 83-94, abr. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822014000100010&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 15 abr. 2020.

SCHUCMAN, L. V.; MARTINS, H. V. A Psicologia e o Discurso Racial sobre o Negro: do “Objeto da Ciência” ao Sujeito Político. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 37, n. spe, p. 172-185, 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932017000500172&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 01 abr. 2020.

SCHUCMAN, L.; NUNES, S.; COSTA, E. A Psicologia da Universidade de São Paulo e as relações raciais: perspectivas emergentes. Psicologia USP, v. 28, n.1, p. 144-158, 2017. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/0103-6564A20132413>. Acesso em: 08 set 2019.

SILVA, T. D. Panorama social da população negra. In: SILVA, T. D. & GOES, F. L. (Orgs.). Igualdade racial no Brasil: reflexões no Ano Internacional dos Afrodescendentes. Brasília: IPEA, 2013, p. 13-28. Disponível em: <https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_igualdade_racialbrasil01.pdf>. Acesso em: 17 abr. 2020.

SILVA; A. H.; FOSSÁ, M. I. T. Análise de Conteúdo: exemplo de aplicação da técnica para análise de dados qualitativos. Qualitas Revista Eletrônica, v. 17. n. 1, 2015. Disponível em: <http://revista.uepb.edu.br/index.php/qualitas/article/view/2113>. Acesso em: 29 abr. 2020.

SILVÉRIO, V. R. Ação Afirmativa: uma política pública que faz a diferença. In: PACHECO, J. Q.; SILVA, M. N. da. (Orgs.). O negro na universidade: o direito a inclusão. Fundação Cultural Palmares, Brasília, 2007. p. 21-42. Disponível em: <http://www.uel.br/neab/pages/arquivos/Livros%20(atualizacao%20do%20site)/O%20negro%20na%20universidade%20-%20o%20direito%20a%20inclusao.pdf>. Acesso em: 17 abr. 2020.

VEIGA, L. M. Descolonizando a psicologia: notas para uma Psicologia Preta. Fractal, Ver. Psicol., Rio de Janeiro, v. 31, n. spe, p. 244-248, set. 2019. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-02922019000600244&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 22 abr. 2020.

VINUTO, J. A amostragem de bola de neve em pesquisa qualitativa: um debate aberto. Temáticas, Campinas, v. 22, n. 44, p. 203-220, 2014. Disponível em: <https://www.academia.edu/16320788/A_Amostragem_em_Bola_de_Neve_na_pesquisa_qualitativa_um_debate_em_aberto>. Acesso em: 25 maio 2020.

Downloads

Publicado

09-01-2024

Como Citar

FRAGA MIRANDA, Maíra Aparecida; FILIPE DOS PASSOS, Robert. RACIALIDADE E PSICOLOGIA: PERCEPÇÕES DE PSICÓLOGOS EM FORMAÇÃO. Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 10, n. 1, p. 228–248, 2024. DOI: 10.12957/riae.2024.73643. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/73643. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ - 20 ANOS DA LEI 10.639: CONVERSAS CURRICULARES ENTRE SABERES, PRÁTICAS E POLÍTICAS ANTIRRACISTAS