Percepções de pós-graduandos sobre uma disciplina Interprofissional de Saúde Coletiva

Rayama Augusto de Lima, Amanda Meira Saraiva, Mitsue Fujimaki, Luiz Fernando Lolli, Marcos Sérgio Endo, Najara Barbosa da Rocha

Resumo


A Universidade Estadual de Maringá (UEM) propôs a disciplina de Atenção em Saúde, com objetivo de preparar o discente para prática colaborativa por meio da aprendizagem ativa e interprofissionalidade, inserido no serviço público de saúde, já no primeiro ano de graduação. Alunos de pós-graduação acompanharam de forma ativa os alunos da graduação, sob supervisão de um tutor (docente), no decorrer de toda a disciplina. Assim, este estudo objetivou analisar a vivência de um grupo da pós-graduação sobre sua participação nesta disciplina. Trata-se de um estudo com abordagem qualitativa com dados coletados por meio de grupo focal com alunos do Programa de Residência em Saúde Coletiva e da Família do Departamento de Odontologia da UEM. Os dados foram interpretados pelo método da análise de conteúdo e categorizados. As falas dos participantes foram analisadas, e apurou-se que nenhuma das residentes teve experiência com metodologia ativa e aprendizado interprofissional anteriormente, e ainda relataram que a disciplina apresenta potencialidades e fragilidades. Como potencialidades, apresentaram a maior facilidade de aprendizado, o contato e inserção do aluno no sistema público de saúde, a interdisciplinaridade, bem como a organização em pequenos grupos. Como fragilidades, a imaturidade dos alunos diante da metodologia, a falta de comprometimento de alguns, e a dificuldade de adaptação a um modelo de ensino ativo. E como sugestões, a permanência dos grupos de estudantes em uma mesma unidade básica de saúde durante a disciplina. Os resultados mostraram que os pós-graduandos avaliaram positivamente a participação em uma disciplina interprofissional da graduação, sendo esta experiência muito enriquecedora tanto nos aspectos pessoais, quanto para a carreira profissional.


Palavras-chave


Odontologia; Aprendizado Baseado em Problemas; Educação Superior.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUILAR-DA-SILVA, R. H.; SCAPIN, L. T.; BATISTA, N. ALVES. Avaliação da formação interprofissional no ensino superior em saúde: aspectos da colaboração e do trabalho em equipe. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), v. 16, n. 1, 2011.

BACICH, L.; MORAN, J. (ORGS). Metodologias Ativas para uma Educação Inovadora: Uma Abordagem Teórico-Prática. Metodologias ativas para uma educação inovadora, p. 238, 2018.

CALDARELLI, P. G. A importância da utilização de práticas de metodologias ativas de aprendizagem na formação superior de profissionais da saúde. Revista Sustinere, v. 5, n. 1, 2017.

CARVALHO, W. M. et al. Aceitação da utilização de metodologias ativas nos estágios no SUS por discentes da graduação e pós-graduação em Odontologia. Revista da ABENO, v. 16, n. 1, 2016.

CECCIM, R. B.; FEUERWERKER, L. C. M. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 14, n. 1, 2004.

CHESANI, F. H. et al. Aprendizagem baseada em problemas e a formação do fisioteraupeta: Estudo de caso. Trabalho, Educação e Saúde, v. 15, n. 3, p. 931–950, 2017.

COSTA, M. V. et al. Educação interprofissional em saúde. Natal-RN: SEDIS-UFRN, 2018.

CURY, C. R. J. Graduação/pós-graduação: a busca de uma relação virtuosa. Educação & Sociedade, v. 25, n. 88, 2004.

GODDERIDGE, J. G.; WALL, B. E.; FRANKLIN, S. A. Creating an Efficient Learning Model: Students’ Perceptions and Outcomes of an Active Learning Fixed Prosthodontics Course. Journal of Dental Education, v. 83, n. 9, 2019.

GRANEHEIM, U. H.; LUNDMAN, B. Qualitative content analysis in nursing research: Concepts, procedures and measures to achieve trustworthiness. Nurse Education Today, v. 24, n. 2, 2004.

MIGUEL, E. A. et al. Trajetória e implementação de disciplina interprofissional para cursos da área de Saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 22, n. suppl 2, 2018.

PEREIRA, M. F. Interprofissionalidade e saúde: conexões e fronteiras em transformação. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 22, n. suppl 2, 2018.

ROCHA, N. B. DA et al. Percepções de aprendizagem sobre disciplina interprofissional em Odontologia. Revista da ABENO, v. 17, n. 3, 2017.

RODIS, O. M. M.; LOCSIN, R. C. The implementation of the Japanese Dental English core curriculum: Active learning based on peer-teaching and learning activities. BMC Medical Education, v. 19, n. 1, 2019.

SANTOS, T. D. S.; JUNIOR, J. D. D. S.; BARBOSA, V. F. B. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: Revisão integrativa. SANARE-Revista de Políticas Públicas, v. 15, n. 2, 2020.

SARAIVA, A. M. et al. Disciplina interprofissional em saúde: avaliação de discentes de Odontologia. Revista da ABENO, v. 18, n. 4, p. 3–13, 2018.

SEMINOTTI, N. O Pequeno Grupo como um Sistema Complexo: uma Estratégia Inovadora para Produção de Saúde na Atenção Básica. Porto Alegre-RS: Rede UNIDA, 2016.

SOUZA, M. K. B. DE et al. Potencialidades da técnica de grupo focal para a pesquisa em vigilância sanitária e atenção primária à saúde. Revista Pesquisa Qualitativa, v. 7, n. 13, 2019.

TERADA, R. S. S.; NAKAMA, L. A implantação das Diretrizes Curriculares Nacionais de Odontologia: a experiência de Maringá. Maringá-PR: Hucitec, 2004.

TOASSI, R. F. C. et al. Ensino da graduação em cenários da atenção primária: espaço para aprendizagem interprofissional. Trabalho, Educação e Saúde, v. 18, n. 2, 2020.

TOASSI, R. F. C.; LEWGOY, A. M. B. Práticas integradas em Saúde I: Uma experiência inovadora de integraç ão intercurricular e interdisciplinar. Interface: Communication, Health, Education, v. 20, n. 57, 2016.

TRAD, L. A. B. Grupos focais: conceitos, procedimentos e reflexões baseadas em experiências com o uso da técnica em pesquisas de saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 19, n. 3, 2009.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2022.57215

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

IBI Factor: 2.2

 

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: