Estratégias metodológicas tradicionais nos Cadernos do Aluno: Uma análise dos conteúdos de Educação Física relacionados com a saúde na Rede Estadual de Ensino Público de São Paulo

Alessandro Barreta Garcia, Almir de França Ferraz, Rui Anderson Costa Monteiro, Erinaldo Luiz de Andrade, Aylton Figueira Junior

Resumo


Atualmente, muito se tem discutido a respeito das estratégias metodológicas tradicionais baseadas em evidências. O que se sabe é que o ensino explícito, um seguimento da educação tradicional, se divide em preparação, interação e consolidação dos aprendizados. Na preparação, os objetivos são fundamentais, pois definem o que deve ser aprendido pelo aluno com base no currículo escolar. Da interação, esperam-se revisões, apresentações explícitas dos conteúdos, prática guiada e diversas revisões ao longo do processo educacional. Por fim, na consolidação, a lição de casa ou em sala de aula, resumos e anotações são imprescindíveis para o aprimoramento dos alunos. Com base nesses pressupostos: Quais dessas estratégias metodológicas estão presentes no material didático pedagógico da proposta curricular de Educação Física do Governo Estadual de São Paulo? O presente estudo visa identificar nos Cadernos do Aluno as estratégias de ensino sobre saúde direcionada ao Ensino Médio. Realizou-se a revisão documental de oito fontes, a partir da categoria: eixo temático: corpo saúde e beleza. A análise ocorreu em função dos tipos de estratégias metodológicas utilizadas nos Cadernos do Aluno. Com isso, foi possível chegar aos seguintes resultados das práticas com os alunos: interpretação de texto (perguntas fechadas e abertas), pesquisa em grupo, pesquisa individual, pesquisa em grupo (como pesquisa de campo), lição de casa e redação. Concluí-se que as estratégias metodológicas propostas nas fontes analisadas estão de acordo com as evidencias científicas.

Palavras-chave


Educação em Saúde; Currículo; Educação Física Escolar; Estratégias.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, J. R. Psicologia cognitiva e suas implicações experimentais. Rio de Janeiro, LTC Ed, 2004.

BOUCHARD C. Atividade física e obesidade. São Paulo: Manole; 2003.

BRAY, A. B. Sobrepeso, mortalidade e morbidade. (Org) BOUCHARD C. Atividade física e obesidade. São Paulo: Manole; 2003.

CARTA DE OTTAWA. Primeira conferência internacional sobre promoção da saúde. Ottawa, novembro de, 1986.

CASPERSEN, C. J.; POWELL, K. E.; & CHRISTENSEN, G. M. Physical activity, exercise, and physical fitness: definitions and distinctions for health-related research. Public Health Reports, 100:126–131, 1985. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1424733/Acesso em: 22 de janeiro 2020

GARCIA, A. B.; FIGUEIRA JUNIOR, A. Promoção da saúde nos Cadernos dos Professores que integram o currículo de Educação Física do Estado de São Paulo. Anais do I Seminário da Pós-Graduação stricto sensu - Universidade São Judas Tadeu - Unidade Mooca São Paulo, 14 de novembro de 2019, (Resumo Expandido). 2019a.

GARCIA, A. B.; FIGUEIRA JUNIOR, A. Considerações preliminares acerca dos conceitos de atividade física, exercício físico e treinamento físico na promoção da saúde na escola. 2019. XV Seminário de Educação Física Escolar Escola de Educação Física e Esporte? USP, 2019, São Paulo. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 2019b. v. 33. p. 133-133b.

GAUTHIER, C.; BISSONNETTE, S.; RICHARD, M. Ensino explícito e desenvolvimento dos alunos: a gestão dos aprendizados. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

GAZZANIGA, M.; HEATHERTON, T.; HALPERN, D. Ciência psicológica. Artmed Editora. 2005.

GUTHOLD, R.; STEVENS, G. A.; RILEY, L. M.; & BULL, F. C. Global trends in insufficient physical activity among adolescents: a pooled analysis of 298 population-based surveys with 1• 6 million participants. The Lancet Child & Adolescent Health, 4(1), 23-35, 2020. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2352464219303232 Acesso em: 22 de janeiro 2020

GUTIN, B.; BARBEAU, P. Atividade física e composição corporal em crianças e adolescentes. (Org) BOUCHARD C. Atividade física e obesidade. São Paulo: Manole; 2003.

HATTIE, J. Aprendizagem visível para professores: como maximizar o impacto da aprendizagem. Porto Alegre: Penso, 2017.

LOWE, C. J.; MORTON, J. B.; REICHELT, A. C. Adolescent obesity and dietary decision making—a brain-health perspective. The Lancet Child & Adolescent Health, 2020. Disponível em: Acesso em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S2352464219304043 22 de janeiro 2020.

KOMPELLA, P.; VASQUEZ, K. M. Obesity and cancer: A mechanistic overview of metabolic changes in obesity that impact genetic instability. Molecular carcinogenesis, v. 58, n. 9, p. 1531-1550, 2019.

MARINHO, I. P. História da Educação Física e dos Desportos no Brasil – Brasil Colônia – Brasil Império – Brasil República. Volume I. Rio de Janeiro, Imprensa Nacional, 1952.

MARINHO, I. P. História da Educação Física no Brasil. São Paulo: CIA Brasil. Editora, 1979.

MARINHO, I. P. História Geral da Educação Física. São Paulo: CIA Brasil. Editora, 1980.

MARINHO, I. P. Sistema e Métodos de Educação Física. São Paulo: Cia. Brasil Editora, s/d.

MARZANO, R. J.; PICKERING, D. J.; POLLOCK, J. E. O ensino que funciona: estratégias baseadas em evidências para melhorar o desempenho dos alunos. Porto Alegre: Artmed, 2008.

MOTA, J.; SALLIS, J. F. Actividade física e saúde: Factores de influência da actividade física nas crianças e nos adolescentes. Campo das Letras – Editores – S. A., 2002.

NAHAS, M. V.; PIRES, M. C.; DE ARAUJO WALTRICK, A. C.; & DE BEM, M. F. L. Educação para atividade física e saúde. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 1, n. 1, p. 57-65, 1995. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/452 Acesso em: 22 de janeiro 2020

PARRISH, A.; TREMBLAY, M.S.; CARSON, S. et al. Comparing and assessing physical activity guidelines for children and adolescents: a systematic literature review and analysis. Int J Behav Nutr Phys Act 17, 16, 2020. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1186/s12966-020-0914-2 Acesso em: 22 de janeiro 2020

PLATÃO. Diálogos I: Teeteto (ou do conhecimento), Sofista (ou Do ser), Protágoras (ou Sofistas). Bauru, SP: EDIPRO, 2007.

RANKE, L. V. O conceito de história universal (1831). (Org) MARTINS, E. D. R. A história pensada: teoria e método na historiografia européia do Século XIX. 1ª Ed, 2ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2015.

SÃO PAULO (Estado) Proposta Curricular do Estado de São Paulo: Educação Física/ Coord. Maria Inês Fini. – São Paulo: SSE, 2008.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do Aluno: Educação Física, Ensino Médio, 1ª série, v. 1e 2, 2009a.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do Aluno: Educação Física, Ensino Médio, 1ª série, v. 3, 2009b.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do Aluno: Educação Física, Ensino Médio, 1ª série, v. 4, 2009c.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do Aluno: Educação Física, Ensino Médio, 2ª série, v. 1e 2, 2009d.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do Aluno: Educação Física, Ensino Médio, 2ª série, v. 3, 2009e.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do Aluno: Educação Física, Ensino Médio, 2ª série, v. 4, 2009f.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do Aluno: Educação Física, Ensino Médio, 3ª série, v. 1e 2, 2009g.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do Aluno: Educação Física, Ensino Médio, 3ª série, v. 4, 2009h.

SHAEKEY, B. J. Condicionamento físico e saúde. 4ª. ed. – Porto Alegre: ArtMed, 1998.

SWINBURN, B. A. et al. The global syndemic of obesity, undernutrition, and climate change: The Lancet Commission report. The Lancet, v. 393, n. 10173, p. 791-846, 2019. Disponível em: Acesso em: https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(18)32822-8/fulltext 22 de janeiro 2020

ULLMANN, R. A. A universidade medieval. EDIPUCRS, 2000.

WHO, W. Global recommendations on physical activity for health. Geneva World Heal Organ, 60. 2010. Disponível em: https://www.who.int/dietphysicalactivity/global-PA-recs-2010.pdf Acesso em: 22 de janeiro 2020




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2022.55894

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

IBI Factor: 2.2

 

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: