Promoção da saúde única: concepções e percepções sobre ambiente e saúde de professores de uma escola pública em Xerém

Greisieli Duarte Pereira, Clélia Christina Mello-Silva

Resumo


A escola é compreendida como um núcleo educativo, onde além do ensino formal, outras perspectivas como a saúde, fomentam reflexões críticas sobre a realidade e contribuem para a construção de um pensamento complexo. Nesse contexto, os professores são os mentores dos alunos no espaço escolar, pois conduzem os discentes a construção do conhecimento e de sua cidadania. Dada a relevância do binômio ‘saúde e ambiente” este estudo tem por objetivo apresentar as percepções e concepções de professores de uma escola pública, sobre saúde e ambiente, para a elaboração de propostas interventivas visando a promoção da saúde única (One Health). Para o conhecimento das concepções e percepções sobre saúde e ambiente dos docentes foi elaborado como instrumento de coleta de dados um questionário semi-estruturado constituído por perguntas abertas e semi-abertas As concepções e percepções de cada participante sobre  os temas  foram analisadas por meio da técnica análise de Conteúdo de Bardin. As concepções e percepções dos docentes quanto a saúde e ambiente estão pautadas em uma visão paradigmática sustentadas por um pensamento simplista, observado em suas falas e práticas. Essas concepções comandam o discurso e a práxis do professor, muitas vezes limitando suas possibilidades e criatividade, negligenciando o potencial de suas ações e intenções.

Palavras-chave


Saúde única; ambiente; Processo de ensino-aprendizagem; Promoção da Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições70, 2010.

BARROS, A. A. Um estudo sobre poluição sonora e cidadania.2014.Universidade de Brasília. Distrito Federal. Dezembro .Disponível em https://bdm.unb.br/bitstream/10483/9713/1/2014_AlzineideAlmeidaBarros.pdf. Acesso em: 07 de Julho de 2020.

BATISTA, J. B. V; CARLLOTO, M, S; COUTINHO, S. A; PEREIRA, D. A. M; PEREIRA, D. A. M; AUGUSTO, L.G.S. O Ambiente Que Adoece: Condições Ambientais De Trabalho Do Professor Do Ensino Fundamental. Cad. Saúde Colet, Rio de Janeiro, v.18, n.2, pp. 234-42, 2010. Disponível em: http://www.cadernos.iesc.ufrj.br/cadernos/images/csc/2010_2/artigos/CSCv18n2_234-242.pdf 07 de Julho de 2020.

BATISTA, J.B.V., MOREIRA, A.M., CARLLOTO, M.S. Depressão como Causa de Afastamento do Trabalho: Um Estudo com Professores do Ensino Fundamental. Revista Psicologia. v. 44, n. 2, pp. 257-262, abr./jun. 2013. Disponível em : https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5631465. Acesso em 07 de Julho de 2020.

BEZERRA, T. M. O.; GONÇALVES, A. A. C. Concepções de meio ambiente e educação ambiental por professores da Escola Agrotécnica Federal de Vitória de Santo Antão-PE. Biotemas, Florianópolis, v. 20, n. 3, p. 115-125, 2007 Diponível em : .https://periodicos.ufsc.br/index.php/biotemas/article/view/20679/18834. Acesso em: 07 de Julho de 2020.

BOFF, L. Saber Cuidar: ética do humano-compaixão pela Terra, Petrópolis: Vozes, 2017.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituição.htm>. Acesso em: 22 de fevereiro de 2018.

BRASIL. Ministério Da Saúde. Distúrbio de Voz Relacionado ao Trabalho – DVRT. Brasília, DF,2018. Disponível em . acesso em 07 de julho de 2020.

BRASIL. Ministério Da Saúde. Organização Pan-Americana Da Saúde. Escolas promotoras de saúde:Experiências no Brasil. Brasília, DF, 2007.Disponível em < https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/registro/referencia/0000002908>. acesso em 07 de julho de 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. As Cartas da Promoção da Saúde. Brasília, DF, 2002. Disponível em < https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cartas_promocao.pdf> acesso em 07 de julho de 2020.

BUSS, P. Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciência & Saúde Coletiva, 5(1):163-177, 2000. Disponível em . acesso em 07 de julho de 2020.

CARDOSO, V; REIS A. P. Dos; IERVOLINO, S. A. Escolas Promotoras de Saúde. Rev Bras Crescimento Desenvol Hum. v.18, n.2, p.: 107-115. 2008. Disponível em . acesso em 07 de julho de 2020.

CZERESNIA, D; FREITAS, C. M. F. Promoção da Saúde. Editora: Fiocruz. 2009

FILLIS, M. M; ANDRADE, S. M. A; GONZÁLEZ, MELANDA, F. N; MESAS, A. E. A Frequência de problemas vocais autorreferidos e fatores ocupacionais associados em professores da educação básica de Londrina, Paraná, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 32, n. 1, p.1-10. 2016. Diponível em https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2016000100701&script=sci_abstract&tlng=pt acesso em 07 de julho de 2020.

.

FREIRE, P. Educação como prática de Liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

FREIRE,Paulo. Pedagogia do oprimido, 17a. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra,1987

GASPARINI, S. M; BARRETO, M. S; ASSUNÇÃO, A. A . O professor, as condições de trabalho e os efeitos sobre sua saúde. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 189-199, maio/ago. 2005. Disponível em

GIBBS, E. P. J. The Evolution of One Health a decade of progress and challenges for the future.Veterinary Record.v.174, n.4, Janeiro. 2014. Disponível em < http://www.ifiad.ie/wp-content/uploads/2017/11/History-one-health.pdf> Accesso em 07 Julho 2020.

GUIMARÃES, M. A Formação de Educadores Ambientais. Campinas, SP:Papirus, 2012.

GUIMARÃES, M. A Formação em Geografia e a Questão Ambiental. Revista História, Natureza e Espaço. v. 1. n. 1 (2012) . Disponível em < https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/niesbf/article/view/4361. Acesso em 07 de Julho de 2020

GUIMARÃES, M. Pesquisa e Processos Formativos De Educadores Ambientais Na Radicalidade De Uma Crise Civilizatória Pesquisa em Educação Ambiental, vol.13, n.1, p. 58-66, 2018. Disponível em

MARCEZWSKI, M. Avaliação da percepção ambiental em uma população de estudantes do ensino fundamental de uma escola municipal rural: estudo de caso. Dissertação (mestrado em ecologia).Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, p. 187.2006. Disponível em < https://lume.ufrgs.br/handle/10183/8617. Acesso em 07 de julho de 2020.

MARINHO, J. C. B ; SILVA, J. A ; FERREIRA, M. A educação em saúde como proposta transversal: analisando os Parâmetros Curriculares Nacionais e algumas concepções docentes. Hist. cienc. saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro , v. 22, n. 2, p. 429-444, June 2015. Disponível em Acesso em 7 de Julho de 2020.

MELLO SILVA. C.C. Ambiente e Ambiência: Como cuidar?.Disponível em:http://saúde ambiental.blogspot.com/2017/06/ambiente-e-ambiencia-como-cuidar.html. Acesso em: 22 de fevereiro de 2018.

MINAYO, M. C. S; HARTZ, Z. M. A; BUSS, P. M.2. Qualidade de vida e saúde: um debate necessário. Ciência & Saúde Coletiva, 5(1):7-18, 2000. Disponível em

MORIN, E. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

MORIN, E. Da ciência a consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: Unesco, 2000.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Constituição da Organização Mundial da Saúde.Genebra,1946. Disponível em

PAULA, L. H . A Influência Da Depressão Dos Docentes Em Sua Prática Pedagógica No Ensino Fundamental De Duas Escolas Municipais Da Cidade De Santos - São Paulo – Brasil. 2018-116 p. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação) Universidad Autónoma de Asunción. Paraguay. 2018.

PEREIRA, E. F; TEIXEIRA, C. S. T; PELEGRINI, A. MEYER, C; ANDRADE, A . D; LOPES, A. S. Ciencia e Trabajo. Estresse Relacionado ao Trabalho em Professores de Educação Básica, Santiago , v. 16, n. 51, p. 206-210, dic. 2014. Disponível em Acesso em 07 de Julho de 2020.

PROVENZANO, L. C. F. A; SAMPAIO, T. M. M. Prevalência de disfonia em professores do ensino público estadual afastados de sala de aula. Rev. CEFAC, São Paulo , v. 12, n. 1, p. 97-108, Feb. 2010. Disponível em < https://www.scielo.br/pdf/rcefac/v12n1/a13v12n1.pdf>. Acesso em 07 de Julho 2020.

REIGOTA, M. 1991. O que é educação ambiental. Brasiliense, São Paulo, Brasil, 63pp.

REZENDE, K. S. As Representações Sociais De Professores Sobre Saúde: Um Estudo De Caso Em Escolas Públicas De Belo Horizonte. 2016-110.Dissertação (Mestrado em Ensino em Saúde ) Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha. Minas Gerais, 2016.

SOUZA, A. N. ; LEITE, M. P. Condições de trabalho e suas repercussões na saúde dos professores da educação básica no Brasil. Educ. Soc.,Campinas , v. 32, n. 117, p. 1105-1121, Dec. 2011 . Disponível em

SOUZA, J. F. Pesquisa-Ação Participante: Realidades E Desafios. Tóp. Educ.Recife, v. 15, n.0 112, p. 65-104, 1997. Disponível em< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712009000100007&lng=en&nrm=iso> Acesso em 07 de Julho de 2020.

SCLIAR, M. História do conceito de saúde. Physis, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 29-41, abril de 2007. Disponível em < https://www.scielo.br/pdf/physis/v17n1/v17n1a03.pdf> Acesso em 07 de Julho de 2020.

TOZONI-REIS,M. F. C. A construção coletiva do conhecimento e a pesquisa-ação participativa: compromissos e desafios .Pesquisa em Educação Ambiental, v.2, n.2, p. 89-107, 2007. Disponível em < https://repositorio.unesp.br/handle/11449/108278> Acesso em 07 de Julho de 2020.

TOZONI-REIS, M. F. C. Temas ambientais como “temas geradores”.Educar em Revista, Curitiba,v. 22, n. 27, p. 93-110, 2006. Disponível em Acesso em 7 de Julho de 2020




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2021.52561

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

IBI Factor: 2.2

 

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: