Púrpura trombocitopênica idiopática: uma doença subdiagnosticada

Ana Klara Rodrigues Alves, Barbara Beatriz Lira da Silva, Taynara Lais Silva, Ludmilla Karen Brandão Lima de Matos, Gustavo Wilson de Sousa Mello

Resumo


Introdução: A púrpura trombocitopênica idiopática (PTI) é caracterizada pela destruição de plaquetas e inibição da sua produção, que se evidencia por trombocitopenia isolada. Trata-se de uma doença autoimune subdiagnosticada, pois não existe um exame próprio para diagnostica-la e devido tal circunstância a PTI é confundida com outras doenças que causam diminuição de plaquetas. Esta revisão objetiva retratar as características da púrpura trombocitopênica idiopática, como é feito seu diagnóstico e o seu tratamento. Metodologia: Para a construção desta revisão integrativa, realizou-se uma busca eletrônica de artigos de periodicidade, na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), nas bases de dados do Lilacs, Medline e Scielo (Scientific Electronic Library Online). Foram utilizados artigos escritos nas línguas portuguesa, inglesa e espanhola; publicados e indexados entre os anos 2000 e 2019 nas bases de dados escolhidas, que respondiam um dos seguintes questionamentos: quais os métodos utilizados para o diagnóstico de PTI e como realizar o tratamento nas diferentes etapas da doença? Resultados: A patogênese da PTI não é completamente esclarecida, sendo relacionada a uma destruição de plaquetas e inibição da sua produção. Discussão: O tratamento pode ser realizado das seguintes formas: tratamento inicial, tratamento de segunda linha, tratamento da doença refratária e tratamento em situações de emergência. Conclusão: A PTI trata-se de uma doença autoimune subdiagnosticada, pois não existe um exame próprio para diagnosticar essa patologia, devido tal circunstância a PTI é confundida com outras doenças que causam diminuição de plaquetas.


Palavras-chave


Púrpura Trombocitopênica Idiopática, Hemorragia, Trombocitopenia

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAHAMSON, P. E., HALL, S. A., FEUDJO-TEPIE, M., MITRANI-GOLD F. S., LOGIE, J. The incidence of idiopathic thrombocytopenic purpura among adults: a population-based study and literature review. Eur J Haematol. V. 83, n. 2, p. 83-9, 2009.

AL-MULLA, N., BENER, A., AMER, A., LABAN, M. A. Idiopathic thrombocytopenic purpura in childhood: a population-based study in Qatar. J Pediatr (Rio J), v. 85, n. 3, p.269-272, 2009.

ARAKI, R., NISHIMURA, R., KURODA, R., FUJIKI, T., MASE, S., NOGUCHI, K., IKAWA, Y., MAEBA, H., YACHIE, A. A characteristic flow cytometric pattern with broad forward scatter and narrowed side scatter helps diagnose immune thrombocytopenia (ITP). Int J Hematol, v. 108, p. 151, 2018.

APONTE-BARRIOS, N. H., LINARES-BALLESTEROS, A., SARMIENTO-URBINA, I.C., URIBE-BOTERO, G.I. Evaluation of the diagnostic performance of platelet-derived indices for the differential diagnosis of thrombocytopenia in pediatrics. Rev. Fac. Med., v. 62, n. 4, p. 547-552, 2014.

AUGUSTO, K. M. M., SÁ, J. L., BRAZ, B. M., BARBOSA, T. A., PASCARELLI, B. M. O. Púrpura trombocitopênica idiopática. Corpus sci., Rio de Janeiro, jul./dez., v. 11, n. 2, p. 69 – 78, 2015.

BONILLA, C. Q., GONZÁLEZ, M. A. Púrpura trombocitopenica trombotica (reporte del primer caso clíinico en costa rica donde se demuestra la presencia de inhibidores de adamts 13). REVISTA MEDICA DE COSTA RICA Y CENTROAMERICA. v. 71, n. 612, p. 723 – 728, 2014.

BORGES, A. C., PIZZA, M., BORSATO, M. L., SILVA, H. R. M., CASTRO, H. C., LUPORINI, S. M., BRUNIERA P. Púrpura trombocitopênica idiopática e linfoma não-Hodgkin de células T na infância. Rev. bras. hematol. hemoter., v. 28, n. 1, p. 73-75, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas: púrpura trombocitopênica idiopática. Brasília, 2013.

CARDOSO, R. C. S., POSSO, K. F., HENRIQUE, T. M. Púrpura Trombocitopênica Idiopática (PTI): relato de caso clínico em paciente jovem no município de Maringá-PR. Revista UNINGÁ, n. 4, p. 139-144, abr./jun. 2005.

CHEN C., SONG, J., WANG, Q., WANG, L., GUO, P. Mean platelet volume at baseline and immune thrombocytopenia relapse in Chinese newly diagnosed patients: a retrospective cohort study, Hematology, v. 23, n. 9, p. 643-652, 2018.

CHONG, B. H. Primary immune thrombocytopenia: understanding pathogenesis is the key to better treatments. J Thromb Haemost, v. 7, p. 319-21, 2009.

CRUZ, O. Y. P, HERNÁNDEZ, A. A. B., RAVINE, B. P., FRANCH, N. F. Detección de autoanticuerpos antiplaquetarios por ELISA en pacientes con púrpura trombocitopénica autoinmune. Arch. méd. Camaguey., v. 5, n. 4, p. 653-664, 2011.

DELGADO, R. B., VIANA, M. B., FERNANDES, R. A. F. Púrpura trombocitopênica imune da criança: experiência de 12 anos em uma única instituição brasileira. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 29-36, 2009.

GEORGE, J. N., RASKOB, G. E., VESELY, S. K., MOORE, D., LYONS, R. M., COBOS, E., TOWELL, B. L., KLUG, P., GUTHRIE, T. H. Initial management of immune thrombocytopenic purpura in adults: a randomized controlled trial comparing intermittent anti-D with routine care. Am J Hematol., v. 74, n. 3, p. 161-169, 2003.

GODEAU, B., PROVAN, D., BUSSE, J. Immune thrombocytopenic purpura in adults. Curr Opin Hematol., v. 14, p. 535-56, 2007.

GOMAR, M. H., TAPIA, N. C. C., CERVERA, J. L. Púrpura trombocitopénica idiopática. Médica Sur, México. 2003, v.10, n.2.

GOUBRAN, H. HARTA, C., OTHMAN, B., SEGHATCHIAN, J. Flow cytometry and immune thrombocytopenic purpura. Transfusion and Apheresis Science. v. 57, n. 6, p. 800-803, Dezembro de 2018.

GRANADOS, M. R. I., ÁNGELES, E. T., AGUIRRE, A. H. Manejo estomatológico del paciente con púrpura trombocitopénica idiopática (PTI). Reporte de un caso, Revista Odontológica Mexicana. 2012, v.16, n.1, p.53-57.

LIU, X. G., BAI, X. C., CHEN, F. P. ,CHENG ,Y., DAI. K., FANG, M., FENG, J., GONG, Y., GUO, T., GUO, X., HAN, Y., HONG, L., HU, Y., HUA, B., HUANG, R., LI, Y., PENG, J., SHU, M., SUN, J., SUN, P., SUN, Y., WANG, C., WANG, S., WANG, X., WU, C., WU, W., YAN, Z., YANG, F., YANG, L., YANG, R., YANG, T., YE, X., ZHANG, G., ZHANG, L., ZHENG, C., ZHOU, H., ZHOU, M., ZHOU, R., ZHOU, Z., ZHU, H., ZHU, T., HOU, M. Chinese guidelines for treatment of adult primary immune thrombocytopenia. Int J Hematol., v.107,n.6, p.615-623, Junho- 2018

KRETTLI, W. S. C., MOTA, B. C., ANDRADE, G. H. A., GONTIJO, J. R., SILVA, J. S., LOPES, J. H. M., LAFETÁ, L., BRANDÃO, L. I., ALVES, L., SILVA, R. P. Púrpura trombocitopênica idiopática: etiopatogênese, diagnóstico e tratamento em adultos. Rev Med Minas Gerais, v.21, n.4, S1-S143, 2011.

KURTZBERG, J., STOCKMAN, J. A. Idiopathic autoimmune thrombocytopenic purpura. Adv Pediatr. v.41, p.34-111, 1994.

MAEZONO, R., ESCOBAR, A. M. U. Púrpura trombocitopênica após vacina de hepatite B. Jornal de Pediatria, v.76, v.5, p.395-398, Rio de Janeiro, 2000.

MARQUES, L.G.M.; FURUKAWA, M. K. T; LEITÃO, H. P., QUIÑONES, J. L. A., QUEIROZ, F. C., TIOSSI, R. F., FRANCO JR, V. R., DOMINGUES, C. E. M., SALVADORI JR, D. Angioplastia Transluminal Coronariana em Portador de Púrpura Trombocitopênica Idiopática. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. v. 84, n. 4, p. 337-339, abril 2005.

OLIVEIRA, H. Hematologia clínica. Atheneu, 3. ed. Rio de Janeiro, 1988.

PROVAN, D. Characteristics of immune thrombocytopenic purpura: a guide for clinical practice. Eur J Haematol Suppl. n.71, p.8-12. Mar., 2009.

QU, M., LIU, Q., ZHAO, H.G., PENG, J., NI, H., HOU, M., JANSEN, A. J. G. Low platelet count as risk factor for infections in patients with primary immune thrombocytopenia: a retrospective evaluation. Ann Hematol. Doi: https://doi.org/10.1007/s00277-018-3367-9, 2018.

REYNOLDS, S.B., HASHMI, H., NGO, P., KLOECKER, G. Rescue therapy for acute idiopathic thrombocytopenic purpura unresponsive to conventional treatment. BMJ Case Rep. doi:10.1136/bcr-2018-227717, 2019.

ROSSIER, V. F., VIEIRA, S. M. C. P. A. C., CIAMPONI, A. L., GUARÉ, R. O. Dental considerations on the management of Idiopathic Thrombocytopenic Purpura in children: case report. RGO, Rev Gaúch Odontol, Porto Alegre, v.63, n.4, p.472-476,out./dez., 2015.

SANTANA, L. M.; NEVES, T.; FENILLI, A. C.; BORBA, L. G.; KIRST, D., Fetter, F., TANIGUCHI, A. N., SABARROZ, V., MICHALOWSKI, M. B. Trombocitopenia autoimune em crianças: revisão das recomendações do último consenso. Boletim Científico de Pediatria. v.2, n.3, 2013.

SASAKI, T., YASUDA, T., ABE, D., MIYANO, R., KAINAGA, M., TOMURA, N., KITAMURA, M., NAKAYAMA, T., IMAFUKU, I. A Case of Multiple Cerebral Infarction Preceding Acute Exacerbation of Idiopathic Thrombocytopenic Purpura. Journal of Stroke and Cerebrovascular Diseases, v.28, n.3, p.789 – 791, 2019.

SAVIGNON, L. F, MATHEUS, M. E. Uso do eltrombopag para tratamento da púrpura trombocitopênica imune. Rev. Bras. Farm. v.93, n.3, p.304-309 , 2012.

SAMPAIO, R.F., MANCINI, M.C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Rev. bras. fisioter., v.11, n.1, p.83-89. jan.fev. 2007.

VITOR, R.R.R., SCHWARTZ, T.A.C., FRANCA, I. B. Purpura trombocitopenica idiopática durante a gravidez: relato de caso. Revista Uningá., v.43, p. 51-54, Jan – Mar, 2015

WANG, J., WANG, B., SUN, Z., XUE, K. Therapeutic effects of rituximab combined with cyclophosphamide on refractory idiopathic thrombocytopenic purpura. Experimental and Therapeutic Medicine. v.17, n.3, p.2137-2142, 2019.

ZAGO, M. A., FALCÃO, R .P., PASQUINI, R. Tratado de Hematologia, In: LOURENÇO, Dayse Maria. cap. 63, p. 605- 611. Ed. 1ª. Editora Atheneu, São Paulo, 2013.

ZORRÓN, R., NETO, S. H. C., KANAAN, E., TOASPERN, T. V., CHAVES, L. P., FILHO, D. M. Esplenectomia vídeo-laparoscópica para púrpura trombocitopênica imune: técnica e resultados. Rev. Col. Bras. Cir. v.31, n.4, p.265-270, jul. / ago. 2004.

ZULFIGAR, A. A. Idiopathic Thrombocytopenic Purpura in Individuals Older than 75 Years: A Rare Series. South Med J. v.110, n.9 ,2017.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2021.51295

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

IBI Factor: 2.2

 

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: