A visita domiciliar como estratégia de cuidado em saúde: reflexões a partir dos Núcleos Ampliados de Saúde da Família e Atenção Básica

Túlio Romério Lopes Quirino, Adriana Lobo Jucá, Luana Padilha da Rocha, Maria Soraida Silva Cruz, Sémares Genuino Vieira

Resumo


O artigo discute as visitas domiciliares como estratégia de cuidado em saúde no âmbito da Atenção Básica à Saúde, no Brasil, tomando como base a organização de práticas de saúde pelas equipes dos Núcleos Ampliados de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB). Partindo da sistematização de experiências coletivas e da problematização do fazer cotidiano, em um espaço de Educação Permanente em Saúde desenvolvido com inspiração nas técnicas do Grupo Operativo, as reflexões empreendidas derivam de oficina realizada junto a profissionais do NASF-AB, da cidade do Recife, Pernambuco, assim como da experiência acumulada por seus autores no desenvolvimento de visitas domiciliares a usuários e famílias sob seus cuidados. Da experiência narrada, revelam-se como resultados apontamentos práticos traduzidos em questões a serem consideradas pelas equipes de saúde nos processos de planejamento, operacionalização e avaliação das visitas domiciliares, tomando sua potência produtiva em concretizar atos de saúde centrados no cuidado e na melhoria da situação de saúde da população assistida. O artigo conclui que ao se pautarem nas relações estabelecidas e nas diversas trocas de saberes que delas emergem, as visitas configuram-se como potentes estratégias técnico-assistenciais e pedagógicas para o processo de cuidado em saúde, desvelando efeitos positivos no acompanhamento de usuários e famílias.

Palavras-chave


Visita Domiciliar; Atenção Primária à Saúde; Atenção à Saúde; Saúde da Família; NASF

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, J. F. de; LIMA, M. D. C. A importância da relação entre o profissional de saúde e o paciente. IN: VIEIRA, S.G.; CAVALCANTI, M. S.; SILVA M. G. A; CRUZ, G. A. S. (Org.) O Caminho: Grupo de Humanização. 1 ed. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2012. (p. 71-80).

AMARO, S. Visita Domiciliar: Guia para uma abordagem complexa. 2 ed. Porto Alegre: AGE, 2007.

BOURGET, M. M. M.; CRUZ, M. M. A Visita Domiciliária na Estratégia de Saúde da Família: conhecendo as percepções das famílias. Revista Saúde e Sociedade. São Paulo, v.19, n.3, p.605-613, 2010. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

BRASIL. Secretaria de Assistência à Saúde. Coordenação de Saúde da Comunidade. Saúde da Família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 1997.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 154 de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família – NASF. Diário Oficial da União. 24 Jan 2008. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

BRASIL. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes do NASF: núcleo de apoio à saúde da família. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.157 p. [Série A. Normas e Manuais Técnicos/Cadernos de Atenção Básica, n. 27].

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (Pacs). Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 22 Out. 2011.

BRASIL. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Núcleo de Apoio à Saúde da Família: Ferramentas para a gestão e para o trabalho cotidiano. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 112 p.: il. – (Cadernos de Atenção Básica, n. 39).

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Brasília: Ministério da Saúde; 2017.

BROCARDO, D.; ANDRADE, C. L. T.; FAUSTO, M. C. R.; LIMA, S. M. L. Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf): panorama nacional a partir de dados do PMAQ. Saúde em Debate [online]. 2018, v. 42, n. spe1, pp. 130-144. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

CAMPOS, C. M. S.; SILVA, B. R. B; FORLIN, D. C; TRAPÉ, C. A.; LOPES, I. O. Práticas emancipatórias de enfermeiros na Atenção Básica à Saúde: a visita domiciliar como instrumento de reconhecimento de necessidades de saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP. São Paulo, v. 48(Esp), p. 119-125, 2014. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

CAMPOS, G. W. S. Saúde Paideia. 4. ed. São Paulo: Hucitec Editora, 2013. (185p).

CANDATEN, A. E; DALEGRAVE, D.; BENACHIO, K. A.; GERMANI, A. R. M. Visita domiciliar: uma estratégia para promover saúde na família e na comunidade. Revista de Enfermagem. Frederico Westphalen, RS: URI – Frederico Westph, v. 4/5, n. 4/5, p. 119-126, 2008. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

CHIMBIDA, G. N.; MEDEIROS, V. A. A visita domiciliar na Atenção Primária à Saúde na perspectiva dos profissionais de saúde de uma UAPS de Betim. Sinapse Múltipla, 5(2), dez., 73-86, 2016. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

COSTA, J. R. B.; ROMANO, V. F.; COSTA, R. R.; VITORINO, R. R. ALVES, L. A.; GOMES, A. P.; SIQUEIRA-BATISTA, R. Formação Médica na Estratégia de Saúde da Família: Percepções Discentes. Revista Brasileira de Educação Médica. Rio de Janeiro, v. 36, n. 3, p. 387-400, 2012. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

CUNHA, M. S.; SÁ, M. C. A Visita Domiciliar na Estratégia de Saúde da Familia: os desafios de se mover no território. Interface - Comunic., Saude, Educ., v.17, n.44, p.61-73, jan./mar. 2013. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

ESCOREL, S.; GIOVANELLA, L.; MENDONÇA, M. H. M.; SENNA, M. C. M. O Programa de Saúde da Família e a construção de um novo modelo para a atenção básica no Brasil. Rev. panam. Salud pública/ Pan Am. J. Public Health; 21(2-3):164-176, feb.-mar. 2007. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

FAUSTO, M. C. R.; ALMEIDA, P. F.; BOUSQUAT, A. Organização da Atenção Primária à Saúde no Brasil os desafios para a integração em Redes de Atenção. In: In: MENDONÇA, M. H. M. de; MATTA, G. C.; GONDIM, R.; GIOVANELLA, L. (Org.) Atenção Primária à Saúde no Brasil: conceitos, práticas e pesquisa. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2018. (pp. 51-72)

GOMES, M. F. P.; FRACOLLI, L. A. Avaliação da estratégia saúde da família sob a ótica dos profissionais. Revista Brasileira em Promoção da Saúde (online), v. 31, p. 1-13, 2018. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

GUIMARÃES, M. S. A.; TAVARES, N. U. L.; NAVES, J. O. S.; SOUSA, M. F. Estratégia saúde da família e uso racional de medicamentos: o trabalho dos agentes comunitários em Palmas (TO). Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, i. 15, n. 1, p. 183-203, jan.:abr. 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

HOLLIDAY, O. J. Para sistematizar experiências. 2 ed. revista. Brasília: MMA, 2006, 128p.

HOUAISS, A., VILLAR, M. S., FRANCO, F. M. M. Dicionário Houaiss da Língua. Portuguesa. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss de Lexicografia, 2001.

MAHMUD, I. C.; KOWALSKI, C. V.; LAVAGNINI, B. T.; SCHUTZ, K. L.; STOBAUS, C. D.; TERRA, N. L. A multidisciplinaridade na visita domiciliar a idosos: o olhar da Enfermagem, Medicina e Psicologia. Pajar - Pan American Journal Of Aging Research, [s.l.], v. 6, n. 2, p.01-72, 21 dez. 2018. Disponível em: < http://revistaseletronicas.pucrs.br/face/ojs/index.php/pajar/article/view/31630> Acesso: 30 abr. 2020.

MÂNGIA, E. F.; LANCMAN, S. Núcleos de Apoio à Saúde da Família: integralidade e trabalho em equipe multiprofissional. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, v. 19, n. 2, p. i, maio/ago. 2008. Disponível em: Acesso: 30 abr. 2020.

MANO, M. A. M. Casa de família - uma reflexão poética sobre a visita domiciliar e a produção de conhecimento. Revista de Atenção Primária à Saúde. Juiz de Fora, v.12, n.4, p.459-67, 2009. Disponível em: Acesso: 30 abr. 2020.

MAYNART, W. H. C.; ALBUQUERQUE, M. C. S; BREDA, M. Z.; JORGE, J. S. A escuta qualificada e o acolhimento na atenção psicossocial. Acta Paul Enferm, 27(4): 300-3, 2014. Disponível em: Acesso: 30 abr. 2020.

MENDES, A. O.; OLIVEIRA, F. A. Visitas Domiciliares pela Equipe de Saúde da Família: reflexões para um olhar ampliado do profissional. Revista Brasileira de Medicina da Família e Comunidade, v. 2, p. 253, 2007. Disponível em: Acesso: 30 abr. 2020.

OLIVEIRA, N. A. O.; MELO, L. A.; OLIVEIRA, M. A. B.; SANTANA; M. M. Territorialização em Saúde e o Nasf. In: QUIRINO, T. R. L.; MARQUES, F. M. A. B.; OLIVEIRA, V. B.; SILVA, E. S.. (Org.) O Nasf e o trabalho na Atenção Básica à Saúde: apontamentos práticos e experimentações. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2019.

OLIVEIRA, V. B.; QUIRINO, T. R. L.; CABRAL, B. E. B.; BEZERRA, A. F. B. Apresentando a potência do Nasf na reorientação do fazer saúde na Atenção Básica. In: QUIRINO, T. R. L.; MARQUES, F. M. A. B.; OLIVEIRA, V. B.; SILVA, E. S. (Org.) O Nasf e o trabalho na Atenção Básica à Saúde: apontamentos práticos e experimentações. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2019.

PICHON-RIVIÈRE, E. O processo grupal. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

PINHEIRO, J. V.; RIBEIRO, M. T. A. M.; FIUZA, T. M.; MONTENEGRO JUNIOR, R. M. Ferramenta para avaliação e gestão da visita domiciliar na atenção primária à saúde: um relato de experiência. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 14, n. 41, p. 1818, 14 maio 2019. Disponível em: Acesso: 30 abr. 2020.

PINTO, L. F.; GIOVANELLA, L. Do Programa à Estratégia Saúde da Família: expansão do acesso e redução das internações por condições sensíveis à atenção básica (ICSAB). Ciênc. saúde coletiva [online]. 2018, vol.23, n.6, pp.1903-1914. ISSN 1413-8123. Disponível em: Acesso: 30 abr. 2020.

ROMANHOLI, R. M. Z.; CYRINO, E. G. A visita domiciliar na formação de médicos: da concepção ao desafio do fazer. Interface – Comunicação, Saúde, Educação. Botucatu, v.16, n.42, p.693-705, 2012. Disponível em: Acesso: 30 abr. 2020.

SANTANA; M. M. Território Plataforma da Vida e do Trabalho Vivo em Saúde: análise do território trabalhado na ESF do DS V em Recife/PE. Dissertação de Mestrado, Recife: Instituto Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz, 2013.

SAVASSI, L. C. M. Os atuais desafios da Atenção Domiciliar na Atenção Primária à Saúde: uma análise na perspectiva do Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 11(38), p. 1-12, 2016. Disponível em: Acesso: 30 abr. 2020.

SILVA, E. S.; JUCÁ, A. L.; AMADO, C. F.; ROCHA, L. P.; VASCONCELOS, T. F.; QUIRINO, T. R. L. Processos de trabalho e ferramentas tecnológicas de atuação do Nasf. In: QUIRINO, T. R. L.; MARQUES, F. M. A. B.; OLIVEIRA, V. B.; SILVA, E. S. (Org.) O Nasf e o trabalho na Atenção Básica à Saúde: apontamentos práticos e experimentações. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2019.

SORATTO, J.; PIRES, D. E. P.; DORNELLES, S.; LORENZETTI, J. Estratégia saúde da família: uma inovação tecnológica em saúde. Texto contexto - enferm., Florianópolis, v. 24, n. 2, p. 584-592, Jun, 2015. Disponível em: Acesso: 30 abr. 2020.

VASCONCELOS, E. M. Educação Popular e atenção à saúde da família. 6. ed. São Paulo: Hucitec Editora, 2015. (334p).

VASCONCELOS, E. Educação Popular na Formação Universitária: reflexões com base em uma experiência. São Paulo: HUCITEC, 2011. (419p).

VENDRUSCOLO, C.; FERRAZ, F., TESSER, C. D.; TRINDADE, L. de L. Núcleo Ampliado de Saúde da Família: espaço de interseção entre Atenção Primária e Secundária. Texto contexto - enferm., Florianópolis, v. 28, e20170560, 2019. Disponível em: Acesso: 30 abr. 2020.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2020.50869

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em:

 


A partir da 7ª edição da Revista SUSTINERE (V.4, Nº2, 2016), todos os trabalhos das colunas Artigos, Comportamento e Ambiente, e Ensaios, são submetidos a um exame de confiabilidade através dos serviços do iThenticate, cujos relatórios são analisados pelos editores, para a aprovação da publicação destes.