Análise geo-espacial de malária no município de Cametá - PA, no período de 2008 a 2018

Lucas Henrique da Silva e Silva, Rammon David Estumano Cohen, Beatriz Oliveira Miranda, André Luis Pinto Furtado, Marcelo Coelho Simões, Cléa Nazaré Carneiro Bichara, Jéssica Herzog Viana

Resumo


A malária é uma doença parasitária grave, que representa um importante problema de saúde pública. O presente estudo teve como objetivo avaliar os principais aspectos epidemiológicos da malária no período de 2008 a 2018. Trata-se de um estudo descritivo – exploratório desenvolvido no município de Cametá, Pará, Brasil. As amostras foram obtidas do banco de dados SIVEP-Malária do Ministério da Saúde e a ferramenta Google Earth, para mapeamento das prováveis áreas de infecção. No ano de 2012, foram notificados 2340 casos
de agravos de malária no município, representando uma redução de 83% em comparação ao ano de 2011, a incidência parasitária anual foi de 13,73 casos/1000 habitantes em 2011 e 2,34 casos/1000 habitantes no ano de 2012, representando uma redução de 83%. No entanto, houve um aumento de 68,4% no ano de 2018 em relação ao ano de 2017. Identificou-se que a espécie de Plasmodium predominante foi o P. vivax com 23.723 casos, seguido do P.
falciparum com 86 casos e um caso com o P. malariae. Observou-se que 418 casos foram confirmados no teste rápido para alguma espécie parasitária que não seja P. falciparum e 15 casos houve a presença de duas espécies de Plasmodium. O georeferenciamento permitiu observar áreas de prováveis infecções na zona urbana do município, bem como nas áreas rurais do distrito. É de suma importância a descentralização do sistema de saúde, para que as
medidas de tratamento, principalmente os medicamentos antimaláricos, e prevenção estejam ao alcance dos indivíduos que vivem em áreas de risco da infecção.


Palavras-chave


Amazônia; Plasmodium falciparum; Plasmodium vivax; Infecto-parasitária

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, E. F.; ARAUJO, F. M.; GUIMARÃES, M. G. S.; NOGUEIRA, R.; RAMALHO, A. A.; SILVA-NUNES, M. Associação entre malária e anemia em área urbana de transmissão do Plasmodium: Mâncio Lima, Acre, Brasil. Cad. Saúde Pública, n° 32, v. 9, 2016. Acesso em: 29 mar. 2019.

BRASIL. Boletim Epidemiológico. Secretaria de Vigilância em Saúde − Ministério da Saúde, n° 43, v. 46, 2015. ISSN: 2358 9450. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2015/dezembro/16/2015-003---Mal--ria.pdf. Acesso em: 28 mar. 2019.

BRASIL. Boletim epidemiológico: malária. Ministério da saúde – Sistema de vigilância sanitária. 2018.

Disponível em:

http://www.parauapebas.pa.gov.br/index.php/component/k2/item/download/103_2b00f958e0c0e455ece71308d2

a36f48.html. Acesso em: 28 mar. 2019.

BRASIL. Brasil tem o menor número de casos de malária dos últimos 35 anos. 2017. Disponível em:

http://www.brasil.gov.br/noticias/saude/2016/04/brasil-tem-o-menor-numero-de-casos-de-malaria-dos-ultimos-

-anos. Acesso em: 29 mar. 2019.

BRASIL. Plano de eliminação de malária no Brasil. 2016. Disponível em:

http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/janeiro/04/Plano-eliminacao-malaria-pub.pdf. Acesso em:

mar. 2019.

BRAZ, R. M.; BARCELLOS, C. Análise do processo de eliminação da transmissão da malária na Amazônia brasileira

com abordagem espacial da variação da incidência da doença em 2016. Epidemiol. Serv. Saúde, n° 27, v. 3, 2018.

Disponível em: https://doi.org/10.5123/S1679-49742018000300010. Acesso em: 29 mar. 2019.

CANELAS, T.; CASTILLO-SALGADO, C.; BAQUERO, O. S.; RIBEIRO, H. Environmental and

socioeconomic analysis of malaria transmission in the Brazilian Amazon, 2010–2015. Rer. Saúde Pública, v.

, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-89102019000100244&script=sci_arttext.

Acesso em: 31 jul. 2019.

CHIARAVALLOTI-NETO, F. O geoprocessamento e saúde pública. Arq. Ciênc. Saúde, n° 23, v. 4, 2016.

Disponível em: https://doi.org/10.17696/2318-3691.23.4.2016.661. Acesso em: 28 mar. 2019.

COSNER, C.; BEIER, J. C.; CANTRELL, R. S.; IMPOINVIL, D.; KAPITANSKI, L.; POTTS, M. D.; TROYO,

A.; RUAN, S. The effects of human movement on the persistence of vector-borne diseases. Journal of

Theoretical Biology, v. 258, n. 4, 2009. Disponível em:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2684576/. Acesso em: 25 jun. 2019.

COUTO, R. D.; LATORRE, M. R. D. O.; SANTI, S. M. D.; NATAL, D. Malária autóctone notificada no Estado

de São Paulo: aspectos clínicos e epidemiológicos de 1980 a 2007. Revista da Sociedade Brasileira de

Medicina Tropical, v. 43, 2010. Disponível em:

https://www.researchgate.net/profile/Silvia_Di_Santi/publication/245848997_Malaria_autoctone_notificada_no_

Estado_de_Sao_Paulo_aspectos_clinicos_e_epidemiologicos_de_1980_a_2007/links/53f635e90cf2fceacc70c93

pdf. Acesso em: 25 jun. 2019.

ELBADRY, M.A., AL-KHEDERY, B., TAGLIAMONTE, M.S., YOWELL, C.A., RACCURT, C.P., EXISTE,

A., BONCY, J., WEPPELMANN, T.A., BEAU DE ROCHARS, V.E.M., LEMOINE, J.F., OKECH, B. A.;

DAME, J.B. High prevalence of asymptomatic malaria infections: a cross-sectional study in rural areas in six

departments in Haiti. Malar J. 2015. Disponível em:

https://malariajournal.biomedcentral.com/track/pdf/10.1186/s12936-015-1051-2. Acesso em: 29 mar. 2019.

ESTIMATIVA POPULACIONAL 2019. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Acesso em:

jan. 2020.

Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ. Conheça a malária. 2015. Disponível em:

http://www.fiocruz.br/ioc/media/malaria%20folder.pdf. Acesso em:17 fev de 2018.

HERMES, S. C. N. M.; NUNES, V. L. B.; DORVAL, M. E. C.; BRILHANTE, A, F. Aspectos epidemiológicos

da malária humana no município de Aripuanã, estado de Mato Grosso, Brasil, 2005 a 2010. Revista Brasileira

de Geografia Médica e da Saúde, n. 9, v. 17, 2013. Disponível em:

http://www.seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/22717/13621. Acesso em: 25 jun. 2019.

LAPORTA, G. Z.; BURATTINI, M. N.; LEVY, D.; FUKUYA, L.A.; OLIVEIRA, T. M. P.; MASELLI, L. M.

F.; CONN, J. E.; MASSAD, E.; BYDLOWSKI, S. P.; SALLUM, M. A. Plasmodium falciparum in the

southeastern Atlantic forest: a challenge to the bromeliad-malaria paradigm?. Malar J. Disponível em:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25909655. Acesso em: 29 mar. 2019.

LAPOUBLE, O. M. M.; SANTELLI, A. C. F. S.; MUNIZ-JUNQUEIRA, M. I. Situação epidemiológica da

malária na região amazônica brasileira, 2003 a 2012. Rev Panam Salud Publica, n° 38, v. 4, 2015. Disponível

em:

https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/rpsp/v38n4/v38n4a06.pdf.

Acesso em: 28 mar. 2019.

LAPOUBLE, O. M. M.; SANTELLI, A. C. F. S.; MUNIZ-JUNQUEIRA, M. I. Situação epidemiológica da

malária na região amazônica brasileira, 2003 a 2012. Revista Panamericana de Salud Pública. 2015.

Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rpsp/2015.v38n4/300-306/. Acesso em: 31 jul. 019.

MACIEL, G. B. M. L.; ESPINOSA, M. M.; ATANAKA-SANTOS, M. Epidemiologia da malária no município

de Colniza, Estado de Mato Grosso, Brasil: estudo descritivo do período de 2003 a 2009. Epidemiol. Serv.

Saúde, v. 22, n. 3, 2013. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v22n3/v22n3a11.pdf. Acesso em: 25 jun.

MASELLI, L.M.F., LEVY, D., LAPORTA, G.Z., MONTEIRO, A.M., FUKUYA, L.A., FERREIRA-DA-

CRUZ, M.F., DANIEL-RIBEIRO, C.T., DORLHIACLLACER, P.E., SALLUM, M.A.M. & BYDLOWSKI,

S.P. Detection of Plasmodium falciparum and Plasmodium vivax subclinical infection in nonendemic region:

implications for blood transfusion and malaria epidemiology. Malar J. 2014. Disponível em:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24906577. Acesso em: 29 mar. 2019.

MASSEY, N. C.; GARROD, G.; WIEBE, A.; HENRY, A. J.; HUANG, Z.; MOYES, C. L.; SINKA, M. E. A

global bionomic database for the dominant vectors of human malaria. Sci. Data, v. 6, 2016. Disponível em:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26927852. Acesso em: 29 mar. 2019.

MONTEIRO, M. R. C. C.; RIBEIRO, M. C.; FERNANDES, S. C. Aspectos clínicos e epidemiológicos da

malária em um hospital universitário de Belém, Estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude, v. 4, n. 2, 2013.

Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/rpas/v4n2/v4n2a05.pdf. Acesso em: 25 jun. 2019.

OLIVEIRA, F. J.; LACERDA M. V. G.; BRASIL, P.; LADISLAU, J. L. B.; TAUIL, P. L.; DANIEL-RIBEIRO,

C. T. Malária no Brasil: uma visão geral. BioMed Central, n° 9, v. 115, 2010.

Organização Pan-Americana de Saúde – OPAS. Malária. 2016. Disponível em:

https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5287:malaria-2&Itemid=875.

Acesso em: 28 mar. 2019.

PINA, C. A.; BRASIL, P.; SANTI, S. M.; ARAUJO, M. P.; SUÁREZ-MUTIS, M. C.; SANTELLI, A. C. F. S.;

OLIVEIRA-FERREIRA, J.; LOURENÇO-DE-OLIVEIRA, R.; DANIEL-RIBEIRO, C. T. Malaria in Brazil:

what happens outside the Amazonian endemic region. Mem. Inst. Oswaldo Cruz, n° 5, v. 109, 2014.

RAMALHO, A. L. S.; CASTRO, O. B.; LIMA, R. A.; DENE, Y.; LEITE, G. L.; SOUZA, A. R.; CARVALHO,

L. H.; DINIZ, S. C.; OLIVEIRA, M. G.; PEREIRA, D. B. Uso de terapias naturais durante o tratamento da

infecção de plasmodium vivax no município de Porto Velho-RO. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 13,

ISSN 2178-2091. Disponível em: https://www.acervosaude.com.br/doc/REAS390.pdf. Acesso em: 28

mar. 2019.

RECHT, J.; SIQUEIRA, A. M.; MONTEIRO, W. M.; HERRERA, S. M.; HERRERA, S.; LACERDA, M. V. G.

Malaria in Brazil, Colombia, Peru and Venezuela: current challengs in malaria control and elimination. Malar j.

v. 16, n. 1, p. 273, 2017.

RECHT, J.; SIQUEIRA, A. M.; MONTEIRO, W. M.; HERRERA, S. M.; HERRERA, S.; MARCUS V. G.

LACERDA, M. V. G. Malaria in Brazil, Colombia, Peru and Venezuela: current challenges in malária control

and elimination. Malar J. v. 16, n. 273, 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28676055.

Acesso em: 25 jun. 2019.

ROGERSON, S. J.; DESAI, M.; MAYOR, A.; SICURI, E.; TAYLOR, S. M.; VAN EIJK, A.M. Burden,

pathology, and costs of malaria in pregnancy: new developments for an old problem. Lancet Infect Dis. V. 3, n.

, p. 08-20, 2018.

ROMI, R.; BOCCOLINI, D. VALLORANI, R.; SEVERINI, F.; TOMA, L.; COCCHI, M.; TAMBURRO, A.;

MESSERI, G.; CRISCI, A.; ANGELI, L.; COSTANTINI, R.; RAFAELLI, I.; PONTUALE, G.; THJERY, I.;

LANDIER, A.; GOFF, G. L.; FAUSTO, A. M.; DI LUCA, M. Assessment of the ris of malária re-introduction

in the Maremma (Central Italy) using a multi-factorial approach. Malar J. v. 11, n. 98, 2012. Disponível em:

https://malariajournal.biomedcentral.com/articles/10.1186/1475-2875-11-98. Acesso em: 25 jun. 2019.

SANTOS, V. R.; YOKOO, E. M.; SOUZA-SANTOS, R.; ATANAKA-SANTOS, M. Fatores socioambientais

associados à distribuição espacial de malária no assentamento Vale do Amanhecer, Município de Juruena,

Estado de Mato Grosso, 2005. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 42, 2009. Disponível

em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0037-86822009000100010&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em:

jun. 2019.

SILVA, R.; PAIVA, C. H. A. The Juscelino Kubitschek government and the Brazilian Malaria Control and

Eradication Working Group: collaboration and conflicts in Brazilian and international health agenda, 1958-1961.

Hist. Cienc. Saude-Manguinhos, n° 1, v. 22, 2015.

SILVA, Y. F.; GUTJAHR, A. L. N.; BRAGA, C. E. S.; MARQUES, J. R. A. Casos de malária registrados no

município de Cândido Mendes, Maranhão, no período de 2009-2014. Enciclopédia biosfera, Centro Científico

Conhecer, v. 14, n. 25, 2017. Disponível em:

http://www.conhecer.org.br/enciclop/2017a/sau/casos%20de%20malaria.pdf. Acesso em: 25 jun. 2019.

SIQUEIRA, A. M.; MESONES-LAPOUBLE, O.; MARCHESINI, P.; SAMPAIO, V. S.; BRASIL, P.; TAUIL,

P. L.; FONTES, C. J.; COSTA, F. T. M. DANIEL- RIBEIRO, C. T.; LACERDA, M. V. G.; DAMASCENO, C.

P.; SANTELLI, A. C. S. Plasmodium vivax Landscape in Brazil: Scenario and Challenges. The American

Journal of Tropical Medicine and Hygiene. 2016. Disponível em: https://doi.org/10.4269/ajtmh.16-0204.

Acesso em: 28 mar. 2019.

SOUSA, J. R.; SANTOS, A. C. F.; ALMEIDA, W. S.; ALBARADO, K. V. P.; MAGNO, L. D.; ROCHA, J. A.

M.; PIMENTEL, Z. N. S. Situação da malária na região do Baixo Amazonas, estado do Pará, Brasil, de 2009 a

: um enfoque epidemiológico. Rev. Pan-Amaz Saude, v. 6, n. 4, p 39 – 47, 2015. Disponível em:

http://scielo.iec.gov.br/pdf/rpas/v6n4/v6n4a06.pdf. Acesso em: 25 jun. 2019.

TIEDJE, K.E.; ODURO, A.; AGONGO, G.; ANYORIGIYA, T.; AZONGO, D.; AWINE, T.; GHANSAH, A.;

PASCUAL, M.; KORAM, K.; DAY, K. P. Seasonal variation in the epidemiology of asymptomatic Plasmodium

falciparum infections across two catchment areas in Bongo District, Ghana. Am. J. Trop. Med. Hyg., n° 97, v.

, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.4269/ajtmh.16-0959. Acesso em: 29 mar. 2019.

VITOR-SILVA, S.; SIQUEIRA, A. M.; SAMPAIO, V. S.; GUINOVART, C.; REYES-LECCA, R. C.; MELO,

G. C.; MONTEIRO, W. M.; PORTILLO, H. A.; ALONSO, P.; BASSAT, Q.; LACERDA, M. V. G. Declining

malaria trasmission in rural Amazon: changing epidemiology and challenges to achieve elimination. Malaria

Journal. 2016. Disponível em: https://malariajournal.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12936-016-1326-2.

Acesso em: 29 mar. 2019.

WOLFARTH-Couto, B.; SILVA, R. A. da; FILIZOLA, N. Variabilidade dos casos de malária e sua

relação com a precipitação e nível d’água dos rios no Estado do Amazonas, Brasil. Cadernos de

Saúde Pública, v. 35, n. 2, 2019.

WHO- World Health Organization. Overview of malaria elimination. 2018. Disponivel em:

https://www.who.int/malaria/areas/elimination/overview/en/. Acesso em: 29 mar. 2019.

WHO- World Health Organization . World malaria report. 2016. Disponível em:

https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/252038/9789241511711-

eng.pdf;jsessionid=EA4186333702CDFB4C1BF94FA851540E?sequence=1. Acesso em: 29 mar. 2019.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2020.50813

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: