A temática saúde nos documentos internacionais sobre esporte e lazer entre os anos de 1964 e 1985

Alessandro Barreta Garcia, Rui Anderson Costa Monteiro, Almir de França Ferraz, Erinaldo Luiz de Andrade, Aylton Figueira Junior

Resumo


O tema saúde sempre suscitou curiosidades de muitos pesquisadores. Sendo ela uma temática de grande importância, diferentes trabalhos são expostos com variados pontos de vistas e críticas. Na área da educação física não é diferente, e essa discussão se arrasta por muitos anos em um cenário de rediscussão constante. Nesse contexto, muitas críticas acabam por surgir, uma delas é a ideia de que a saúde não foi amplamente debatida no período dos governos militares e pouco havia de documentação a esse respeito. A pergunta de partida do presente estudo é: não havia uma preocupação mais ampla com a saúde, bem como, documentos que tratassem dessa temática no âmbito da educação física escolar e do esporte? O objetivo da pesquisa consistiu em identificar, analisar e sintetizar documentos relacionados à saúde com ênfase no esporte e lazer/educação física brasileira no período de 1964 a 1985. Os documentos utilizados a partir da indicação da bibliografia do professor Manoel Gomes Tubino. A análise dos documentos fundou-se no item “conteúdos sobre saúde” à luz do conceito de saúde de 1946. Foi possível entender que as práticas esportivas na sociedade e na escola estavam alinhadas aos ideais de prevenção da saúde por meio do desenvolvimento dos aspectos físico, social e mental. Dessa forma, os resultados parecem contradizer o pensamento de parcos documentos abordando o fomento à saúde no período de 1964-1985, seja na escola ou na sociedade de forma geral.


Palavras-chave


Documentos Internacionais, Educação Física, Promoção da Saúde, Esporte.

Texto completo:

PDF

Referências


BOUCHARD C. Atividade física e obesidade. São Paulo: Manole; 2003.

BRASIL. Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa diretrizes e bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. Brasília – DF, 1971. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5692.htm. Acesso em 09 abr. 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. 45. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

CARTA EUROPÉIA DO ESPORTE PARA TODOS (1975). (Org) TUBINO, J. M.G.; FERREIRA, V. L.C.; CAPINUSSU, J.M. HomoSportivus – Coleção Especial de Educação Física e Desportos. V. 3. Rio de Janeiro: Palestra Edições Desportivas, 1985.

CARTA INTERNACIONAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS (1978) (Org) TUBINO, J. M.G.; FERREIRA, V. L.C.; CAPINUSSU, J.M. HomoSportivus – Coleção Especial de Educação Física e Desportos. V. 3. Rio de Janeiro: Palestra Edições Desportivas, 1985.

COSTA, L. P. D.; TAKAHASHI, G. M. Fundamentos do Esporte para Todos 1983. Rio de Janeiro: Secretaria de Educação Física e Desporto do MEC Secretaria de Educação física e Desportos, 1983.

DA COSTA, L. H.; DE SOUZA SANTOS, M.; GÓIS JUNIOR, E. G. O discurso médico e a Educação Física nas escolas (Brasil, século XIX). Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 28, n. 22; 2014, p.73-282.

DE FARIA JÚNIOR, A. G. Introdução à didática de educação física. Rio de Janeiro, Fórum Editora Ltda, 1972.

DE MELO, V. A. E.; PERES, F. DE, F. A gymnastica no tempo do Império. 1. ed. – Rio de Janeiro: 7 Letras, 2014.

FERREIRA, M. S.; NAJAR, A. L. Programas e campanhas de promoção da atividade física. Ciência & Saúde Coletiva, 10, 207-219, 2005.

FIGUEIRA JUNIOR, A. J.; CESCHINI, F. L. Atividade Física, Esporte e Promoção da Saúde em Crianças e Adolescentes. In: Jarbas Gomes Remonte; Luis Felipe TubagiPolito. (Org.). Educação Física Escolar e Esporte de Alto Rendimento: Dá Jogo?. 1 ed. Editora Fontoura: Várzea Paulista, 2018, v. 1, p. 209-226.

GARCIA, A. B.; FIGUEIRA JUNIOR, A. Produção da saúde nos Cadernos dos Professores que integram o currículo de Educação Física do Estado de São Paulo. I Seminário da Pós-Graduação Stricto Sensu da USJT? Desafios Para Pós-Graduação Stricto Sensu. 2019.

GASSET, O. Meditação sobre a técnica. Rio de Janeiro: Instituto Liberal, 1991.

GUEDES, D. P.; GUEDES, J. E. R. P. Implementação de programas de educação física escolar direcionados à promoção da saúde. Rev. bras. Saúde esc, 3 (1-4), p. 67- 75, 1994.

HIPÓCRATES. Conhecer, cuidar, amar. O juramento e outros textos. São Paulo: Landy, 2002.

MANIFESTO MUNDIAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA. Revista Brasileira de Educação Física e Desportos, Brasília, n. 10, p. 9-17, 1971.

MONTEIRO, P. H. N.; BIZZO, N. (2015). A saúde na escola: análise dos documentos de referência nos quarenta anos de obrigatoriedade dos programas de saúde, 1971-2011. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 22, n. 2, p. 411-428, 2015.

MONTEIRO, R. A. C. Uma Perspectiva da Lei de Diretrizes e Bases no Cotidiano Escolar. Jundiaí: Paco Editora, 2012.

MONTEIRO, R. A. C.; GONZÁLEZ, M. L.; GARCIA, A. B. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: o porquê e seu contexto histórico. Revista Eletrônica de Educação, v. 5, n. 2, p. 82-95. São Carlos, 2011. Disponível em http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/225. Acesso em 09 abr. 2020.

MOREIRA, J. C. C. Saberes em campo: a configuração do ensino escolar da educação física no Estado de São Paulo (1964-1985). Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras, Campus de Araraquara, 2013.

NEGRINE, A. O ensino da educação física. Rio de Janeiro, Editora Globo, 1977.

NOEL-BAKER, P. Manifesto Mundial do Desporto. 1964. (Org) TUBINO, J. M.G.; FERREIRA, V. L.C.; CAPINUSSU, J.M. HomoSportivus – Coleção Especial de Educação Física e Desportos. V. 3. Rio de Janeiro: Palestra Edições Desportivas, 1985.

OMS. Constituição da Organização Mundial da Saúde (OMS/WHO) – 1946. (In) Universidade de São Paulo – Biblioteca Virtual de Direitos Humanos. Disponível em:http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/OMS-Organiza%C3%A7%C3%A3o-Mundial-da-Sa%C3%BAde/constituicao-da-organizacao-mundial-da-saude-omswho.html Acesso em: 22 de janeiro 2020

PELICIONI, M. C. F.; PELICIONI, A. F. Educação e promoção da saúde: uma retrospectiva histórica. Mundo da saúde, v. 31, n 3, p. 320-328, 2007

RANKE, L. V. O conceito de história universal (1831) In. (Org) MARTINS, E. D. R. A história pensada: teoria e método na historiografia européia do Século XIX. 1ª Ed, 2ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2015.

SAMARA, M. S.; TUPY, I. S. S. T. História & documento e metodologia da pesquisa. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

SÃO PAULO. Secretaria da Educação. Centro de Estudos Humanos e Pesquisas Educacionais Prof. Laerte Ramos de Carvalho. Guias Curriculares para o ensino de 1º Grau. São Paulo: CEHURP, 1973.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do Professor: educação física, ensino médio – 2ª série, volume 4 / Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; equipe, Adalberto dos Santos Souza, Jocimar Daolio, Luciana Venâncio, Luiz Sanches Neto, Mauro Betti, Sérgio Roberto Silveira. – São Paulo: SSE, 2009.

TUBINO, M. G. O que é esporte? São Paulo: Brasiliense, 1999.

TUBINO, M. G. Teoria geral do esporte. São Paulo: IBRASA, 1987.

WHO, W. Global recommendations on physical activity for health. Geneva World Heal Organ, 60. 2010. Disponível em: https://www.who.int/dietphysicalactivity/global-PA-recs-2010.pdf Acesso em: 22 de janeiro 2020




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2021.50715

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

IBI Factor: 2.2

 

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: