Gestão escolar e parceiros – elementos imprescindíveis na promoção da paz no ambiente escolar, com vistas a aprendizagem

Genilda Alves Nascimento Melo, Andréia Quinto dos Santos, Célia Jesus dos Santos Silva

Resumo


Esta pesquisa se propõe discutir como o ambiente escolar influencia na aprendizagem do aluno, qual responsabilidade da gestão escolar, em parceria com a comunidade escolar, em transformar o ambiente escolar na cultura de paz.  Tema surgiu quando um aluno foi assassinado em frente à escola.  A base teórica para sustentação está em Jean Piaget; Jerome Bruner; L. Vygotsky; J. Sacristán & Pérez Gómez; H. Gardner; César Coll; Celso Antunes; Carlos Callado; Ducemara Benato; Cabral et al. Será discutida a paz sobre dois aspectos: como ausência de guerra; bem como, comportamentos e atitudes que respeitam a vida, a dignidade, os direitos humanos, como um conjunto de valores indissociáveis.  Alinhado ao conceito negativo de paz surge a violência direta – agressão que uma pessoa deflagra contra a outra ou outras; a violência estrutural – aquela que não se consegue identificar o sujeito ou sujeitos que cometem, pois está estritamente ligada à injustiça social. O clima de violência na escola, além de incidir no desempenho negativo dos resultados de aprendizagem, intervém na atuação técnico-pedagógica dos profissionais da educação, como ainda na visão física da unidade escolar; como ainda, a maneira pela qual os órgãos de apoio a escola podem contribuir para apaziguamento. Método pesquisa – ação com análise de entrevista semiestruturada, possibilitou entender o novo perfil do estudante e como isto interfere no ambiente escolar. Resultados: A escola, como sede da produção de conhecimento, deve empreender parcerias para que se torne ambiente de paz e apaziguador, com segurança para que a aprendizagem aconteça.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Celso. Novas Maneiras de Ensinar, Novas Formas de Aprender. Porto Alegre: Artimed, 2002.

BENATO, Dulcemara Terezinha. FAMÍLIA E ESCOLA: uma relação de desafios. Paraná: Secretaria de Educação, 2014. Vol 1.

BRUNER, Jerome S. Uma Nova Teoria da Aprendizagem. Rio de Janeiro: Bloch, 1976.

CABRAL, Raquel; GOTHARDO, Josiane; MURBACK, Lucas. A cultura da paz no contexto das relações públicas comunitária e responsabilidade social. RAZÓN Y PALAVRA – Primeira Revista Eletrônica Iberoamérica Especializada em Comunicación. Nº 88, dezembro de 2014 a fevereiro de 2015.

Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/135509

Acesso em: 18.01.2019

CALLADO, Carlos Velásquez. Educação para a Paz: promovendo valores humanos na escola, através da educação física e jogos cooperativos. Tradução de Maria Rocio Bustius da Veiga Santos. São Paulo: Editoras Cooperação, 2004.

COLL, César. Aprendizagem Escolar e a Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Artimed, 1994.

GARDNER, H. Inteligência: um conceito reformulado. Rio de Janeiro: Objetiva, 1999.

MARCHESAN, Michele Roos.; QUARTIERI, Marli Teresinha.; SCHUCK, Rogério José.; SCHWERTNER, Suzana Feldens. Os desafios da escola contemporânea: enunciações de uma professora da rede pública de educação. Lajedo- Rio Grande do Sul: Revista Thema 2017. Vol. 1.

OLIVEIRA, André Luiz Regis de. Entre a escola e a família: nuances de um (des)encontro. Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação. Rio de Janeiro: PUC, 2015.

Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/25938/25938.PDF

Acesso em: 18.01.2019

OLIVEIRA, Gilberto Carvalho de. Estudos da paz: origens, desenvolvimentos e desafios críticos atuais. Belo Horizonte: Rev. Carta Inter., v. 12, n. 1, 2017.

PEREIRA, Marcelo Fernandes. Educação para a paz na filosofia de Emanuel Lévinas. Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas para obtenção do título de Doutor em Educação São Paulo: UNICAMP, 2015.

Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/322082/1/Pereira_MarceloFernandes_D.pdf

Acesso em: 18.01.2019

PIAGET, J. A Linguagem e o Pensamento da Criança. Tradução de Manoel Campos. Rio de Janeiro: Fundo da Cultura, 1959.

SACRISTÁN, J.G.; GÓMEZ, A.I. Pérez. Compreender e Transformar o Ensino. Porto Alegre: Artimed, 2000.

SANTOS, Luana Rocha.;TONIOSSO, José Pedro. A importância da relação escola-família. Bebedouro- São Paulo: Centro Universitário – UNIFAFIBE, 2014.

SEC – BA. Manual Orientador do Colegiado Escolar. Salvador, 2017.

Disponível em: file:///C:/Users/Genilda%20Melo/Downloads/colegiado-portaria-no-1480-2017.pdf

Acesso em: 18.01.2019

SILVA, Elias do Nascimento.; GONÇALVES, Sueli Silva da Mota. GESTÃO ESCOLAR PARTICIPATIVA: algumas inquietações. Semana Acadêmica.org., 2015.

Disponível em: https://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/artigo_gestao.pdf

SOBREIRO, Albertina de Barros.; ESTRADA, Adrian Alvarez. Articulação entre os segmentos de Gestão da Escola: o Conselho Escolar em análise. Paraná: SEC-PA, 2016.

TANAJURA, Laudelino Luiz Castro.; BEZERRA, Ada Augusta Celestino. Pesquisa-Ação sob a ótica de René Barbie e Michel Thiollent: aproximações e especificidades metodológicas. Rev. Eletrônica Pesquiseduca, Santos, v. 07, n. 13, p.10-23, jan.-jun.. 2015.

Disponível em: https://www.google.com/search?source=hp&ei=xTlCXLOfFOHD5OUPyLiusA8&q=pesquisa+a%

Acesso em: 18.01.2019.

TOLEDO, Renata Ferraz de.; GIATTI, Leandro Luiz.; JACOBI, Pedro Roberto. A pesquisa-ação em estudos interdisciplinares: análise de critérios que só a prática pode revelar. Butucatu-São Paulo: Revista Interface – Comunicação, Saúde, Educação, 2014.

VYGOTSKY, L. S. A Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2019.40788

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

IBI Factor: 2.2

 

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: