A importância do trabalho coletivo na gestão dos riscos do/no trabalho em saúde

Josiane dos Santos Patrício, Daniel de Souza Costa Calvo, Davidson Passos Mendes, Geraldo Fabiano de Souza Moraes

Resumo


Esse artigo tem como objetivo identificar as necessidades e possibilidades de antecipação, regulação e as variabilidades presentes na atividade de uma equipe de enfermagem, assim como as estratégias individuais e coletivas que surgem para gerir elementos no contexto de trabalho. A metodologia empregada no estudo tem embasamento na Análise Ergonômica do Trabalho (AET), juntamente com a Ergologia, para aprofundar os conceitos. Os sujeitos da pesquisa são duas enfermeiras e nove técnicas de enfermagem do hospital em estudo. Os resultados evidenciaram como a atividade das técnicas de enfermagem é inundada de elementos e é um processo complexo, em que as estratégias e antecipações se mostram fundamentais para o trabalho. Essas estratégias estão associadas ao trabalho coletivo dentro da equipe, que por sua vez, compartilha valores e saberes colocados em prática para gestão dos constrangimentos e variabilidades apresentadas durante a atividade de trabalho, e se tornam primordiais para a conclusão de atendimentos com qualidade e para a manutenção da saúde e segurança de cada trabalhador.


Palavras-chave


Técnico em Enfermagem; Trabalho Coletivo; Estratégias de Regulação.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAHÃO, J. I. Reestruturação produtiva e variabilidade do trabalho: uma abordagem da ergonomia. 2000.

BEDIN, E.; RIBEIRO, L. B. M.; BARRETO, R. A. S. S. – Humanização da assistência de enfermagem em centro cirúrgico. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 07, n. 01, p. 118 – 127, 2005.

CUNHA, D. M. Notas conceituais sobre atividade e corpo si na abordagem ergológica do trabalho. Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, v. 30, 2007

DANIELLOU, F.; SIMARD, M.; BOISSIÈRES, I. Fatores humanos e organizacionais da segurança industrial: um estado da arte. Traduzido por: ROCHA, R; LIMA, F; DUARTE, F. Facteurs Humains et Organisationnels de la Sécurité Industrielle. Cadernos da Segurança Industrial, Toulouse, França (2010).

DAVID, H. M. S. L. et al. Organização do trabalho de enfermagem na atenção básica: uma questão para a saúde do trabalhador. Texto Contexto Enferm, v. 18, n. 2, p. 206-14, 2009.

GUÉRIN, F.; LAVILLE, A.; DANIELLOU, F. et al. Compreender o Trabalho para Transformá-lo: a Prática da Ergonomia. 1 ed. São Paulo, Editora Edgard Blücher, 2001.

MANTOVANI, C. et al. Manejo de paciente agitado ou agressivo. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 32, n. suppl 2, p. S96-S103, 2010.

MENDES, D. P. O agir competente como estratégia de gestão do risco de violência no trabalho: o ponto de vista da atividade humana do trabalho dos técnicos de enfermagem de uma instituição pública psiquiátrica. 2014. Tese (Doutorado) – Universidade Minas Gerais; Belo Horizonte, 2014.

MOREIRA, D. A. Produção e Operações. São Paulo: Pioneira, 1998.

OLIVEIRA, M. E. Mais uma nota para a melodia da humanização. In: OLIVEIRA, M. E.; ZAMPIERI, M. F. M; BRUGGEMANN, O . M. A melodia da humanização: reflexos sobre o cuidado durante o processo do nascimento. Florianópolis. Ed. Cidade Futura, 2001.

OLIVEIRA, S.; ALVAREZ, D.; BRITO, J. A dimensão gestionária do trabalho: aspectos da atividade de cuidado. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 6, 2013.

PENA, P. G. L.; GOMEZ, C. M. Premissas para a compreensão da saúde dos trabalhadores no setor serviço. 2010.

PINHO, D. L. M.; ABRAHÃO, J. I; FERREIRA, M. C. As estratégias operatórias e a gestão da informação no trabalho de enfermagem, no contexto hospitalar. Rev. LatinoAm Enfermagem, 11 (2), p. 168-176, 2003.

SCHERER, M. D. A.; PIRES, D.; SCHWARTZ, Y. Trabalho coletivo: um desafio para a gestão em saúde. Revista de Saúde Pública, v. 43, n. 4, p. 721-725, 2009.

SCHWARTZ, Y.; DURRIVE, L. Trabalho e Ergologia: conversas sobre atividade humana.1.ed. Niterói: Ed UFF, 2010.

SCHWARTZ, Y. Motivações do conceito de corpo si: corpo si, atividade, experiência. Letras de Hoje, v. 49, n. 3, p. 259-274, 2014.

TRIERWEILLER, A. C. et al. A estratégia operatória utilizada pelos trabalhadores e o hiato existente entre o trabalho prescrito e o trabalho real. Revista Gestão Industrial, v. 4, n. 1, 2008.

ZARIFIAN, P. Objectif compétence. Paris: Liaisons, 1999.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2019.40502

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: