Competências e habilidades para aplicar a avaliação subjetiva global para fins de diagnóstico nutricional

Fábio Costa de Vasconcelos, Lizomar de Jesus Maués Pereira Moia, Irland Barroncas Gonzaga Martens

Resumo


A avaliação subjetiva do estado nutricional de indivíduos enfermos deve ser feita por meio de abordagem multivariada, sendo essencialmente clínica. Assim, a Avaliação Subjetiva Global, é vista como um dos melhores métodos para obtenção do diagnóstico do paciente. O estudo teve o objetivo de verificar se os discentes concluintes do curso de nutrição apresentam competência e habilidades para aplicar a avaliação subjetiva global para fins de diagnóstico nutricional. Trata-se de uma pesquisa descritiva, analítica-exploratória, transversal, com abordagem quantitativa. A população foi constituída de cem discentes, ambos os sexos, regularmente matriculados, concluintes de quatro Instituições de Ensino Superior do curso de Nutrição de Belém/Pará. A coleta de dados foi realizada por meio de questionário semiestruturado, com perguntas fechadas sobre à percepção dos discentes no processo de avaliação e diagnóstico nutricional pela avaliação subjetiva global. Aplicou-se análise de correspondência para verificar associação entre as categorias das variáveis quantitativas relacionadas com a avaliação nutricional subjetiva e as respostas dos discentes das respectivas instituições de ensino superior. As variáveis associadas foram: finalidade da ferramenta; classificação do estado nutricional do paciente e técnica para realizar o exame físico. Destaca-se problemas relacionados: abordagem ao paciente; interpretação das perguntas de cunho clínico; como realizar o exame físico; e o mais preocupante, como interpretar o resultado da avaliação subjetiva global para fins de diagnóstico nutricional do paciente. As dificuldades observadas na aplicação da avaliação subjetiva global limitaram as habilidades e competências adquiridas no âmbito acadêmico pelos discentes. 


Palavras-chave


Estudantes; Ensino; Competência Profissional; Avaliação Nutricional; Estado Nutricional.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, P. A. et al. Importância do rastreamento de disfagia e da avaliação nutricional em pacientes hospitalizados. Einstein, v.16, n. 2, p. 01-06, 2018. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2018.

AQUINO, R. C; PHILIPPI, S. T. Desenvolvimento e avaliação de instrumentos de triagem nutricional. Rev Bras Enferm, Brasília, v. 65, n. 4, p. 607-13. 2012. Disponível em: . Acesso em: 22 mai. 2016.

AYRES, M. et al. BioEstat 5.0: aplicações estatísticas nas áreas das ciências biológicas e médicas. Belém: MCT; IDSM; CNPq, p. 364. 2007.

AZEVEDO, A. S. et al. Perfil Nutricional de Pacientes Adultos e Idosos Hospitalizados. Revista Saúde e Pesquisa, v. 9, n. 1, p. 25-29. 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2017.

BASSOLI, F. Atividades práticas e o ensino-aprendizagem de ciência (s): mitos, tendências e distorções. Ciênc. Educ, v. 20, n. 3, p. 579-593, 2014. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, n. 12, 13 de junho de 2013 - seção 1, página 59. Disponível em: . Acesso em: 09 set. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº5, de 7 de novembro de 2001. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em nutrição. Diário Oficial da União. Brasília, 2011. 39 p. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2012.

COSTA, E. Q. et al. Desafios à reforma curricular em um curso de graduação em nutrição. Demetra, v. 8, n. 3, p. 469-485, 2013. Disponível em: . Acesso em: 19 fev. 2015.

CUNHA JUNIOR, M. V. M. Análise Multidimensional de Dados Categóricos: A aplicação das análises de correspondência simples e múltipla em marketing e sua integração com técnicas de análise de dados quantitativos. Rio Grande do Sul: UFRGS, 1997.

DETSKY A. S. et al. What is subjective global assessment of nutritional status? JPEN J Parenter Enteral Nutr, v.11, p. 8-13. 1987. Disponível em: . Acesso em: 22 mai. 2013.

DIAS, M. C. G. et al. Projeto Diretrizes - Triagem e Avaliação do Estado Nutricional. Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina, Volume IX, 2011. Disponível em: . Acesso em: 07 ago. 2012.

DOMINGUES, L. C. B. et al. Avaliação Nutricional Subjetiva Global: aplicabilidade em crianças e adolescentes com neoplasia maligna – Resultados Preliminares. Clin Biomed Res. v. 38, n. 3, 2018. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2018.

HANUSCH, F. D. et al. Avaliação nutricional de pacientes submetidos à cirurgia do trato gastrointestinal: associação entre avaliação subjetiva global, ferramentas de triagem nutricional e métodos objetivos. Nutr. Clín. Diet. Hosp., v. 36, n. 2, p. 10-19, 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2017.

JUNQUEIRA, T. S.; COTTA, R. M. M. Matriz de ações de alimentação e nutrição na Atenção Básica de Saúde: referencial para a formação do nutricionista no contexto da educação por competências. Ciênc. Saúde Coletiva. v. 19, n. 5, p. 1459-1474, 2014. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2015.

LIM, S. L.; LIN, X. H.; DANIELS, L. Seven-Point Subjective Global Assessment Is More Time Sensitive Than Conventional Subjective Global Assessment in Detecting Nutrition Changes. JPEN J Parenter Enteral Nutr. v. 40, n. 7, p. 966-972, 2016. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2018.

MALONE, A.; HAMILTON, C. The Academy of Nutrition and Dietetics/The American Society for Parenteral and Enteral Nutrition Consensus malnutrition characteristics: application in practice. Nutr Clin Pract. v. 28, n. 6, p. 639-650, 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2015.

PAZ, L. S. C.; COUTO, A. V. Avaliação nutricional em pacientes críticos: revisão de literatura. BRASPEN J., v. 31, n. 3, p. 269-277, 2016. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2017.

RAMOS, E. M. L. S.; ALMEIDA, S. S.; ARAÚJO, A. R. Segurança pública: Uma abordagem estatística e computacional, v. 2, Belém: EDUFPA, 2008.

RASLAN, M. et al. Comparison of nutritional risk screening tools for predicting clinical outcomes in hospitalized patients. Nutr, v. 26, n. 7-8, p.721-26, 2010. Disponível em: . Acesso em: 03 jan. 2012.

SANTOS, A. F. D. et al. Scored patient-generated Subjective Global Assessment: Length of hospital stay and mortality in cancer patients. Rev. Nutri. Campinas, v. 30, n. 5, p. 545-553, 2017. Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2018.

SOUSA JUNIOR, J. B. et al. Comparação entre avaliação subjetiva global e o novo diagnóstico nutricional proposto pela ASPEN em pacientes cirúrgicos. BRASPEN J, v. 31, n. 4, p. 305-310, 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 set. 2018.

SOUZA, G. S. F. et al. Contribuição da semiologia para o diagnóstico nutricional de pacientes hospitalizados. International Journal of Nutrology, v. 11, n.1, 2018. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2018.

TREVISO, P.; COSTA, B. E. P. Percepção de profissionais da área da saúde sobre a formação em sua atividade docente. Texto Contexto Enferm, v. 26, n. 1, p. 01-09, 2017. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2018.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2020.39228

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

IBI Factor: 2.2

 

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: