Potencialidades da mídia independente como referencial didático no ensino médio para o combate ao racismo ambiental

Elissandro dos Santos Santana

Resumo


Esta é uma sugestão de pesquisa em torno das potencialidades da mídia independente como referencial didático no Ensino Médio para uma formação crítica de combate às injustiças e ao racismo ambiental. Como proposta sugestiva, o lócus objeto de estudo escolhido foi o CIEPS – Complexo Integrado de Educação de Porto Seguro – e o nível básico de execução foi o Ensino Médio, mas poderia ser outro, dado que a pesquisa poderia ser executada em qualquer espaço escolar, período e ano do Ensino Fundamental e Médio da Educação Básica brasileira. Cabe destacar que o trabalho em questão, além de contribuir para novas perspectivas de análise no que tange à arte do tema proposto, se configura como espaço para reflexão acerca dos processos e dos caminhos de pesquisa que poderão se desenrolar em uma proposta de investigação científica despontando como oportunidade para a alfabetização científica de graduandos e de pós-graduandos com dificuldades para elaboração de projetos de pesquisa para as seleções em todo o país. Para a discussão, apresentam-se algumas considerações iniciais sobre a importância da pesquisa, referências teóricas que poderão consubstanciá-la, possibilidade de problema de investigação, demonstrações e procedimentos para a condução da pesquisa-ação, provável produto final e resultados esperados.


Palavras-chave


Mídia Independente; Referencial Didático; Ensino Médio; Racismo Ambiental

Texto completo:

PDF

Referências


ALIER, Joan Martinez. El Ecologismo de los pobres. Barcelona: Içaria, 2004. In: HERCULANO, Selene. Lá como cá: conflito, injustiça e racismo ambiental. Texto apresentado no I Seminário Cearense contra o Racismo Ambiental. Fortaleza, 20 a 22 de novembro de 2006.

ALMEIDA, Thiago D’Angelo Ribeiro. EVANGELISTA, Amanda Falcão. Tecnologias móveis, mídias independentes e coberturas de mobilizações sociais urbanas: as influências do “midialivrismo” na sociedade midiatizada. Centro Internacional de Semiótica e Comunicação – CISECO II COLÓQUIO SEMIÓTICA DAS MÍDIAS• ISSN 2317-9147. Praia Hotel Albacora• Japaratinga – Alagoas. 25 de setembro de 2013.

AMORIM, Célia Regina Trindade Chagas; CASTRO, Mariana Costa; MACHADO, Roberta Aragão; OLIVEIRA, Ana Cruz de. O contexto da Imprensa Alternativa na Amazônia no período da ditadura militar (1964-1985). Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XI Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte – Palmas – TO – 17 a 19/05/2012.

BULLARD, Robert D. Dumping in Dixie: race, class and environmental quality. Boulder, Westview Press, 1990. In: HERCULANO, Selene. Lá como cá: conflito, injustiça e racismo ambiental. Texto apresentado no I Seminário Cearense contra o Racismo Ambiental. Fortaleza, 20 a 22 de novembro de 2006.

CHOMSKY, Noam. Mídia: propaganda política e manipulação. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

DAMATTA, Roberto. Explorações: ensaios de sociologia interpretativa. Rio de Janeiro: Rocco, 1986. In: BARROS, Judson e SOUZA, Carmo Antonio de. Aspectos históricos e socioculturais justificadores da imprescritibilidade do crime de racismo. Planeta Amazônia: Revista Internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas. Macapá, n. 4, p. 23-36, 2012.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia da Pesquisa-ação. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 483-502, set/dez, 2005.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? Tradução de Rosisca Darcy de Oliveira. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

_____________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 15ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande e senzala. Rio de Janeiro: Record, 1992, p. 307.

GINDRE, Gustavo. A sociedade civil brasileira e a luta pela democratização das comunicações. Fundação Ford, 2004. Disponível em: http://www.direitoacomunicacao.org.br/novo/content.php?option=com_docman&task=search_result. Acesso em 12 de março de 2018.

HERCULANO, Selene. Lá como cá: conflito, injustiça e racismo ambiental. Texto apresentado no I Seminário Cearense contra o Racismo Ambiental. Fortaleza, 20 a 22 de novembro de 2006.

KUCINSKI, Bernardo. Jornalistas e Revolucionários: Nos tempos da imprensa alternativa. São Paulo: Eccentric Duo, 2001. In: AMORIM, Célia Regina Trindade Chagas; CASTRO, Mariana Costa; MACHADO, Roberta Aragão; OLIVEIRA, Ana Cruz de. O contexto da Imprensa Alternativa na Amazônia no período da ditadura militar (1964-1985). Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XI Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte – Palmas – TO – 17 a 19/05/2012.

LEFF, Enrique. Racionalidade ambiental: a reapropriação social da natureza. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2006.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

_______________________. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Prefácio: Néstor García Canclini. 4. ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 2006.

_______________________. Uma aventura epistemológica. Entrevistador: Maria Immacolata Vassalo de Lopes. Matrizes, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 143-162, 2009. In: BARROS, L. M. Recepção, mediação e midiatização: conexões entre teorias europeias e latino-americanas. In: MATTOS, M. A., JANOTTI JUNIOR, J., and JACKS, N., orgs. Mediação & midiatização [online]. Salvador: EDUFBA, 2012, pp. 79-105. ISBN 978-85-232-1205-6. Available from SciELO Books http://books.scielo.org. Acesso em 12 de janeiro de 2018.

MCLUHAN, Marshall. A Galáxia de Gutemberg: a formação do homem tipográfico. São Paulo: Editora Nacional. Editora da USP, 1972.

MOUTINHO-DA-COSTA, Lara. Territorialidade e racismo ambiental: elementos para se pensar a educação ambiental crítica em unidades de conservação. Pesquisa em Educação Ambiental, vol. 6, n. pp. 101-122, 2011.

MUNANGA, Kabengele. Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade e etnia. Palestra proferida no 3º Seminário Nacional Relações Raciais e Educação-PENESB-RJ, 2003.

PACHECO, Tânia. Racismo ambiental: expropriação do território e negação da cidadania. In: Secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Superintendência de Recursos Hídricos (Bahia). Justiça pelas águas: enfrentamento ao racismo ambiental. Salvador: Superintendência de Recursos Hídricos, 2008.

QUIJANO, A. Raza, etnia, nación en Mariátegui: cuestiones abiertas. In: FORGUES, R. (Org.). José Carlos Mariátegui y Europa. La otra cara del descubrimiento. Lima: Amauta, 1992. In: MOUTINHO-DA-COSTA, Lara. Territorialidade e racismo ambiental: elementos para se pensar a educação ambiental crítica em unidades de conservação. Pesquisa em Educação Ambiental, vol. 6, n. 1 pp. 101-122, 2011.

____________. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, E. (Org.). A Colonialidade do Saber, Eurocentrismo e Ciências Sociais. Buenos Aires: CLACSO, 2005. In: MOUTINHO-DA-COSTA, Lara. Territorialidade e racismo ambiental: elementos para se pensar a educação ambiental crítica em unidades de conservação. Pesquisa em Educação Ambiental, vol. 6, n. 1 pp. 101-122, 2011.

SANTANA, Elissandro dos Santos. CÂMARA, Denys Henrique Rodrigues e SANTOS, Joceneide Cunha dos. Racismo ambiental no Brasil. Rio de Janeiro: Revista Ecodebate, 2016.

SCHUCMAN, Lia Vainer. Entre o “encardido”, o “branco” e o “branquíssimo”: Raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana. Tese de Doutorado, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

THIOLLENT, M. Pesquisa-Ação nas Organizações. São Paulo: Atlas, 1997.

WEDDERBURN, Carlos Moore. O racismo através da história: da Antiguidade à Modernidade. Disponível em: http://www.abruc.org.br/sites/500/516/00000672.pdf. Acesso em 20 de março de 2018.

_____________________________. O racismo através da história: da antiguidade à modernidade. Belo Horizonte: Ed. Mazza, 2007. In: BARROS, Judson e SOUZA, Carmo Antonio de. Aspectos históricos e socioculturais justificadores da imprescritibilidade do crime de racismo. Planeta Amazônia: Revista Internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas. Macapá, n. 4, p. 23-36, 2012.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2018.33785

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: