Ergonomia aplicada na qualificação da ambiência do espaço de nascer.

Cristiane Neves da Silva

Resumo


Este estudo tem como objetivo rever as evidências disponíveis sobre o projeto de ambientes destinados ao nascimento, mais especificamente os quartos PPP (pré- parto, parto e puerpério), a fim de identificar características relativas aos aspectos ergonomicos dos ambientes e equipamentos utilizados que possam auxiliar na diminuição do estresse materno e facilitar a fisiologia do parto.  Entendendo-se a ergonomia como uma disciplina dedicada a relacionar o entendimento das interações entre os seres humanos e outros elementos ou sistemas dos ambientes e relacionando-a com as proposições relativas aos estudos de ambiência, que atentam para os aspectos subjetivos que influenciam na percepção do ambiente, busca-se identificar elementos projetuais e ergonômicos que contribuam para experiências de nascimento seguras e satisfatórias para todas as mulheres.

Palavras-chave


Ergonomia; Ambiência; Quarto PPP; Ambiente de nascer

Texto completo:

PDF

Referências


ABERGO- Associação brasileira de Ergonomia. O que é ergonomia? Disponível em: http://www.abergo.org.br/internas.php?pg=o_que_e_ergonomia acesso em fevereiro de 2018.

ALBUQUERQUE, Y.P.; PROENÇA, R.P.C.; HECK, A.P.F.; LUZ, C.M. Ambiência de unidade de alto risco em maternidade pública: uma abordagem ergonômica. Arquivos Catarinenses de Medicina. 2016 jan.-mar; 45(1): 65-77.

BEZERRA, M. G.; CARDOSO, M. V. L. M. L. Fatores culturais que interferem nas experiências das mulheres durante o trabalho de parto e parto. Rev. Latino-Am. Enfermagem [online]. 2006, vol.14, n.3 [cited 2018-03-29], pp.414-421. Disponível em: . Acesso em: janeiro de 2018.

BRASIL, Ministério do Trabalho e Previdência Social. Norma Regulamentadora NR-17 – Ergonomia. Norma Regulamentadora. Portaria MTPS n.º 3.751, de 23 de novembro de 1990.

_______ Agência Nacional de Vigilância sanitária – ANVISA. Resolução – RDC nº 50, de 21 de fevereiro de 2002. Brasília – DF

_______ Ministério da Saúde; Secretaria de Atenção à Saúde, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Ambiência. 2ª ed. Brasília: 2010

_______ Ministério da Saúde. Orientações para elaboração de projetos: centros de parto normal (CPN); casa da gestante, bebê e puérpera (CGBP); adequação da ambiência; unidade neonatal e banco de leite humano. (Ampliação e reforma). Área Técnica de Saúde da Mulher e Área Técnica de Saúde da Criança e Aleitamento Materno. Ministério da Saúde. Brasília. DF. 2011. www.saude.gov.br/redecegonha

_______ Ministério da Saúde. Oficina de Ambiência para o Parto e Nascimento. Rede Cegonha. Humanizasus. Política Nacional de Humanização DAPES /SAS Ministério da Saúde. Brasília. DF. 2012.

_______ Ministério da Saúde. Orientações para Elaboração de Propostas da Rede Cegonha. Brasília. DF. 2012a

_______ (2014) Ministério da Saúde. Cartilha da Gestante. Brasília DF

CARDOSO, V.M.B.; MORAES, A. Ergonomia hospitalar: atividades de alimentação e deficiências dos equipamentos disponíveis. XVIII Encontro Nacional de Engenharia de produção e IV Congresso Internacional de Engenharia Industrial. Rio de Janeiro. 1998.

ELY, V. M. B.; CAVALCANTI, P. B.; BEGROW, A. P.; DENK, E. C. Estudo de caso de unidade de internação hospitalar com foco na percepção e comportamento dos usuários. Anais do 14º Congresso Brasileiro de Ergonomia. Curitiba. 2006

FAHY, K.; FOUREUR, M.; HASTIE, C. Birth Territory and Midwifery Guardianship: Creating Birth Space. Oxford: Elsevier; 2008.

FORBES, I.; ET AL. Birthing unit design: researching new principles. Design & Health Scientific Review, 2008. 1: p. 47-53.

FREITAS, I. B. A ergonomia nos ambientes de saúde. Revista eletrônica saúde Business, novembro de 2012. Disponível em: http://saudebusiness.com/noticias/a-ergonomia-nos-ambientes-de-saude/ Acesso em janeiro de 2018.

HADDAD E. B. Revogação da Liminar em Desfavor à Casa de Parto no Rio de Janeiro Casas de Parto no Mundo. 2004 [online]. Disponível em: http://www.casasdeparto.com.br/casasdeparto/revogacao.asp Acesso em janeiro de 2018.

HODNETT, E.; ET AL. Continuous support for women during childbirth. Cochrane Database Syst Rev, 2011. 3.

JENKINSON, B.; JOSEY, N.; KRUSKE, S. BirthSpace: An evidence-based guide to birth environment design. Queensland Centre for Mothers & Babies, The University of Queensland. 2014.

LOTHIAN, J. Do not disturb: The importance of privacy in labor. The Journal of Perinatal Education, 2004. 13(3): p. 3-6.

MAIA, F.; FREITAS, S. Ergonomia Hospitalar e seu público alvo. 15º Ergodesign – Congresso Internacional de Ergonomia e Usabilidade de Interfaces Humano-tecnologia. UFPE – Recife – PE. junho de 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Fernanda_Maia3/publication/300579222_ERGONOMIA_HOSPITALAR_E_SEU_PUBLICO-ALVO/links/59c178dd0f7e9b21a8265cc0/ERGONOMIA-HOSPITALAR-E-SEU-PUBLICO-ALVO.pdf. Acesso em janeiro de 2018.

ROSENBERG, K.; TREVATHAN, W. Birth, obstetrics and human evolution. BJOG: an International Journal of Obstetrics and Gynaecology, 2002. 109: p. 1199-1206.

SCHEIDT, R.; BRÜGGEMANN, O. D. Parto na água em uma maternidade do setor suplementar de saúde de Santa Catarina: estudo transversal. Texto Contexto Enferm, 2016; 25(2):e02180015

SCHWEITZER, M., L. GILPIN, AND S. FRAMPTON, Healing spaces: Elements of environmental design that make an impact on health. The Journal of Alternative and Complementary Medicine, 2004. 10(1): p. S71-S83.

SERRANHEIRA, F.; SOUSA, A.; SOUSA, P. Ergonomia hospitalar e segurança do doente: mais convergências que divergências. Revista Portuguesa de Saúde Pública Volume 34, Número 3, Setembro - Dezembro 2016, Disponível em: http://www.elsevier.pt/pt/revistas/revista-portuguesa-saude-publica-323/artigo/ergonomia-hospitalar-e-seguranca-do-doente-mais-convergencias-X0870902510898591. Acesso em janeiro de 2018.

SMS-SP. (2012) Secretaria Municipal de Saúde. Manual de rotinas de enfermagem do centro obstétrico. Hospital Municipal e Maternidade Escola Dr. Mário de Moraes Altenfelder Silva. Vila Nova Cachoeirinha. Coleção Protocolos HMEC 2012. 4ª EDIÇÃO. São Paulo - SP

SILVA, A.L.C. (2015). Centro de parto normal: Humanizando o Espaço. Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 9ª Edição nº 010 Vol.01/2015 julho/2015

SILVA, C. N. Aspectos subjetivos dos ambientes de atenção à saúde e sua relação com o ambiente construído. Arquitextos, São Paulo, ano 18, n. 212.05, Vitruvius, jan. 2018

.

VITAL, M.C. Introdução à Ergonomia. Apostila do Curso de Especialização em Ergonomia Contemporânea do Rio de Janeiro. Universidade do Brasil – Coppe UFRJ. 2000. Disponível em: http://www.ergonomia.ufpr.br/Introducao%20a%20Ergonomia%20Vidal%20CESERG.pdf acesso em janeiro de 2018.

WALSH, D., Evidence-based care for normal labour and birth: a guide for midwives. 2007, London: Routledge.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2018.33609

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: