Educação permanente em saúde e interface com a gestão do cuidado

Maria Antonia Ramos Costa, Verusca Soares de Souza, Gabriella Michel dos Santos Benedetti, Elen Ferraz Teston, Laura Misue Matsuda, Verônica Francisqueti Marquete

Resumo


O enfermeiro deve adotar a prática administrativa gerencial durante os processos de tomada de decisão, visando o alcance de melhores resultados assistenciais, com a utilização da educação permanente em saúde para que ocorra a produção do conhecimento entre a equipe, com base nos problemas vivenciados, qualificando e formando a equipe. Objetivou-se analisar a percepção de enfermeiros sobre o uso da Educação Permanente em Saúde na gestão do cuidado. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, abordagem qualitativa, no qual participaram 15 enfermeiros supervisores de um hospital público do Sul do Brasil. Os dados foram coletados de maio a julho de 2014, por meio do Círculo de Cultura. Dos resultados da análise emergiram dois eixos temáticos: Educação Permanente em Saúde como estratégia para a melhoria da gestão do cuidado apontou que a Educação Permanente consiste numa valiosa estratégia à melhoria da gestão do cuidado e; Possibilidades e fragilidades na operacionalização da Educação Permanente em Saúde, no qual se constatou a intenção dos enfermeiros em implantar a lógica da Educação Permanente na instituição. Entretanto, a gestão centralizada, foi apontada como fator que dificulta essa iniciativa. Conclui-se que apesar das fragilidades institucionais e profissionais, os enfermeiros percebem a Educação Permanente como estratégia potente à melhoria da gestão do cuidado e alvitram implementá-la no serviço.


Palavras-chave


Educação na enfermagem; Gestão em Saúde; Educação Continuada; Tomada de decisão.

Texto completo:

PDF

Referências


ACIOLI, S., David, H. M. S. L., FARIA, M. G. A. Educação em saúde e a enfermagem em saúde coletiva: reflexões sobre a prática. Revista Enfermagem UERJ, v.20, n.4, p. 533-536, 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2017.

AIKEN, L. H., SLOANE, D. M., BRUYNEEL, L., VAN DEN HEEDE, K..; GRIFFITHS, P., BUSSE, R., SERMEUS, W. Nurse staffing and education and hospital mortality in nine European countries: a retrospective observational study. Lancet, v. 383, n.9931, p. 1824-1830, 2014. Disponível em : . Acesso em: 15 abr. 2017.

BERNARDES, A., CECÍLIO, L. C. O., ÉVORA, Y. D. M., GABRIEL, C. S., CARVALHO, M. B. Collective and decentralized management model in public hospitals: perspective of the nursing team. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v.19, n.4, p. 1003-10010, 2011. Disponível em:< http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692011000400020>. Acesso em: 16 maio. 2017.

BRASIL, Ministério da Saúde. Portaria GM/MS nº 1.996, 20 de agosto de 2007: Dispõe sobre as diretrizes para a implantação da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Brasília( DF): Ministério da Saúde; 2007.

CHRISTOVAM, B. P., PORTO, I. S., OLIVEIRA, D.C. Nursing care management in hospital settings: the building of a construct. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 46 n.3, p. 734-741, 2012. Disponível em: . Acesso em 20 abr. 2017.

DUBOIS, C. A., D’AMOUR, D., TCHOUAKET, E., CLARKE, S., RIVARD, M.; BLAIS, R. Associations of patient safety outcomes with models of nursing care organization at unit level in hospitals. International Journal for Quality in Health Care, v. 25, n. 2, p.110-117, 2013. Disponível em: <.http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23422039>. Acesso em 16 abr. 2017.

FREIRE, P (2013). Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro (RJ): Paz e Terra.

GONÇALVES, L., CORTEZ, E., CAVALCANTI, A. Continuous education in health and the implementation of nursing diagnoses: A descriptive study. Online Brazilian Journal of Nursing, v. 11, n.2, p. 550-554. 2012. Disponível em: . Acesso em 18 abr. 2017.

JULIANI, C. M. C. M., KURCGANT, P. Educação continuada e gerência participativa: indicadores de qualidade da gestão de recursos humanos em enfermagem. Ciência, Cuidado e Saúde, v.9, n.3, p. 456-463. 2010. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v9i3.7960>. Acesso em 20 abr. 2017.

KLERING, L. R., PORSSEB, M. D. C. S., GUADAGNINC, L. A. Novos caminhos da administração pública brasileira. Análise. A revista acadêmica da Face, v.21, n.1, p. 4-17. 2010. Disponível em: < http://www.tre-rs.jus.br/arquivos/KLERING_Novos_CaminhosADM.pdf>. Acesso em 18 jan. 2018.

LORENZETTI, J., ORO, J., MATOS, E., GELBCKE, F. L. Work organization in hospital nursing: literature review approach. Texto & Contexto Enfermagem, v. 23, n. 4, p. 1104-1112. 2014. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072014001510012>. Acesso em 24 abr. 2017.

MACÊDO, N. B., ALBUQUERQUE, P. C., MEDEIROS, K. R. O desafio da implementação da educação permanente na gestão da educação na saúde. Trabalho, Educação e Saúde, v. 12, n. 2, p. 379-401. 2014. Disponível em: . Acesso em 26 abr. 2017.

MUNIZ, M. P., TAVARES, C. M. M. Understanding the nursing tea month e educational process of a psychiatric hospital. Cuidado é Fundamental Online, v. 4, n.2, p. 2883- 2897. 2012. Disponível em: . Acesso em 28 abr. 2017.

MUNIZ, M. P., PACHECO, C. K. R., FIGUEIREDO, L., TAVARES, C. M. M., SOUZA, A. C. Unveiling the design of therapeutic nursing in mental health: an experience report. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, v.6, n.1, p. 132-140. 2014. Disponível em: . Acesso em 29 abr. 2017.

NEEDLEMAN, J., BUERHAUS, P., PANKRATZ, S., LEIBSON, C.L., STEVENS, S. R., HARRIS, M. Nurse staffing and inpatient hospital mortality. The New England Journal of Medicine, v. 364, p. 1037-1045. 2011. Disponível em: < http://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/nejmsa1001025>. Acesso em 30 abr. 2017.

OLIVEIRA, Á. C. C. A., ANDRADE, M. Permanent education in health in the supervised treatment of tuberculosis: a descriptive study. Online Brazilian Journal of Nursing, v. 11, n.2, p. 509-513. 2012. Disponível em: . Acesso em 19 abr. 2017.

OLIVEIRA, F. M. C. S. N., FERREIRA, E. C., RUFINO, N. A. SANTOS, S., SOLEDADE, M. Educação permanente e qualidade da assistência à saúde: aprendizagem significativa no trabalho da enfermagem. Aquichan, v.11, n.1, p.48-65. 2011. Disponível em: . Acesso em 18 abr. 2017.

PEIXOTO, L. S., GONÇALVES, L. C., COSTA, T. D., TAVARES, C. M. M., CAVALCANTI, A. C. D., CORTEZ, E. A. Educação permanente, continuada e em serviço: desvendando seus conceitos. Enfermería Global, v. 29, p. 324-340. 2013. Disponível em: < http://scielo.isciii.es/pdf/eg/v12n29/pt_revision1.pdf>. Acesso em 23 abr. 2017.

PORTELLA, J. R., PEREIRA, L. R. (2012). Permanent education in health. An instrument to enhance interpersonal relations in nursing work. Investigación y Educación en Enfermería, v.30, n.3, p. 412-417. 2012. Disponível em: . Acesso em 24 abr. 2017.

SIMÕES, T. R., VANNUCHI, M. T. O., ROSSANEIS, M. A. SILVA, L. G., MARIA DO CARMO LOURENÇO HADDAD, M. C. L., JENAL, S. Continuing education as conceived by nurses in a high-complexity philanthropic hospital. Revista Enfermagem UERJ, v. 21, n. SP1, p. 642-648. 2013. Disponível em: < http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/10042>. Acesso em 23 abr. 2017.

VERSA, G. L. G. S., INOUE, K. C., NICOLA, A. L., MATSUDA, L. M. (2011). Influence of dimensioning the nursing staff on the quality of care of the critical patient. Texto & Contexto Enfermagem, v.20, n.4, p. 796-802. 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-07072011000400020&script=sci_arttext>. Acesso em 24 abr. 2017.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2018.30708

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: