Metodologia de problematização como processo avaliativo em um curso profissionalizante na área da saúde

Luís Felipe Pissaia, Marli Teresinha Quartieri, Nélia Maria Pontes Amado, Susana Paula Graça Carreira, Márcia Jussara Hepp Rehfeldt, Arlete Eli Kunz da Costa

Resumo


Este estudo objetiva analisar a utilização da metodologia da problematização como processo avaliativo de estudantes na área da saúde. Utilizou-se como campo de estudo uma turma composta por cinco estudantes de um curso profissionalizante de cuidador de idosos. Os resultados observados versam sobre a dificuldade em incorporar a metodologia da problematização como um processo avaliativo em um currículo já estruturado. Verificou-se que os alunos ainda possuem um estigma quando indagados sobre avaliações, inferindo sobre situações punitivas. Observou-se que os estudantes compreenderam a importância do processo e utilizaram-se dele para exercitar sua própria aprendizagem. Considera-se que a metodologia utilizada possibilitou mensurar de modo subjetivo a aprendizagem dos estudantes, contemplando suas próprias discussões e conhecimentos prévios estabelecidos em sala de aula.

Palavras-chave


Avaliação; Ensino Profissionalizante; Problematização; Ensino em Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, R. C.; FARIA, M. L. C.; COSTA, F. M. Avaliação dos conhecimentos dos alunos sobre a espécie invasora Achatina fulica (Pulmonata, Achatinidae) em uma escola de ensino fundamental de Colorado do Oeste, Rondônia, Brasil. Gaia Scientia, v. 11, n. 1, 2017.

BATISTA, V. M. D. et al. Avaliação do conhecimento e atitudes dos profissionais de saúde de um hospital de ensino sobre proteção radiológica. 2017.

CARNEIRO, V. F. et al. Avaliação da aprendizagem: concepções e olhares de docentes do curso de odontologia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 12, n. esp., p. 900-915, 2017.

CARVALHO, R. M.; MEIRELLES, R. M. S. Ensino de Ciências e Saúde para Idosos: Uma proposta de construção de Cartilha Informativa em Grupos de Convivência. Revista Práxis, v. 1, n. 2, 2017.

COSTA, G. D.; COTTA, R. M. M. Representações sociais de estudantes da saúde sobre o portfólio reflexivo como método de ensino, aprendizagem e avaliação. CIAIQ2016, v. 1, 2016.

COUTINHO, C. V.; DIAS, G. Á. Curta SUS: avaliação sobre um projeto de cinema e educação popular na promoção à Saúde Pública. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, v. 18, n. 4, p. 46-54, 2017.

CUNHA, M. et al. Atitudes do enfermeiro em contexto de ensino clínico: uma revisão da literatura. Millenium-Journal of Education, Technologies, and Health, n. 38, p. 271-282, 2016.

FERNANDES, D. Avaliações externas e melhoria das aprendizagens dos alunos: questões críticas de uma relação (im)possível. Conferência apresentada no colóquio: Avaliação externa e qualidade das aprendizagens. Conselho Nacional de Educação, 2014.

FREIRE, P. Educação e mudança. 27ª Ed. Paz e Terra. 1979.

GUERIN, C. S. et al. Promovendo educação em saúde no espaço não formal de aprendizagem. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 30, n. 1, p. 5-12, 2017.

HARTZ, Z. M. A. Cuidados primários, avaliação e ações intersetoriais em promoção da saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 3, p. 687-688, 2017.

POLIZELI, L. V. B. et al. Caracterização e impacto dos projetos de pesquisa em saúde encaminhados a um conselho municipal de avaliação em pesquisa. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, v. 7, 2017.

RIBEIRO, D. G.; DOVIGO, L. N.; SILVA, S. R. C. Avaliação de um método educativo em saúde bucal aplicado em escolares de ensino público. Arquivos em Odontologia, v. 45, n. 3, 2016.

ROCHA, P. F.; WARMLING, C. M.; TOASSI, R. F. C. Preceptoria como modalidade de ensino na saúde: atuação e características do preceptor cirurgião-dentista da atenção primária. Saberes Plurais: Educação na Saúde, v. 1, n. 1, 2016.

SANTOS, B. É. F. Avaliação discente sobre interação ensino, serviços e comunidade em equipes de saúde integradas ao Programa Mais Médicos em estado da Amazônia. 2016.

SORDI, M. R. L.; LUDKE, M. Da avaliação da aprendizagem à avaliação institucional: aprendizagens necessárias. Avaliação, Campinas, Sorocaba, SP, v. 14, n. 2, p. 253-266, 2009.

VELOSO, L.; ABRANTES, P.; CRAVEIRO, D. A avaliação externa de escolas como processo social. Educação, Sociedade & Culturas, n. 33, p. 69-88, 2011.

XAVIER, D. B. et al. Portfolio Reflexivo Eletrônico: experiência inovadora de sanitaristas na Residência Multiprofissional em Atenção Básica do Hub/UnB. Tempus Actas de Saúde Coletiva, v. 11, n. 1, 2017.

ZIMMERMANN, M. H.; SILVEIRA, R. F. M.; GOMES, R. Z. Formação continuada no ensino de ciência da saúde: avaliação de habilidades e feedback efetivo. Ensino & Pesquisa, v. 14, n. 02, 2016.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2017.30285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em:

 


A partir da 7ª edição da Revista SUSTINERE (V.4, Nº2, 2016), todos os trabalhos das colunas Artigos, Comportamento e Ambiente, e Ensaios, são submetidos a um exame de confiabilidade através dos serviços do iThenticate, cujos relatórios são analisados pelos editores, para a aprovação da publicação destes.