GESTÃO AMBIENTAL EM RODOVIA: PERÍCIA EM RODOVIA PARA IDENTIFICAR E VALORAR IMPACTO AMBIENTAL POR DESCARTE E ACÚMULO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Dennis Pinto de Menezes, Carlos de Azevedo, Elenice Rachid da Silva, Andréia Lisboa da Cunha, Gustavo Aveiro Lins, Josimar Ribeiro de Almeida

Resumo


Este artigo buscou avaliar o Sistema de Gestão Ambiental da Concessionária da BR-116 baseado nas informações obtidas na execução do levantamento e da valoração do passivo ambiental, escopo de uma perícia demandada por uma Ação Civil decorrente dos impactos ambientais por lançamentos e acumulo de resíduos sólidos na Rodovia Rio-Teresópolis/BR 116. A perícia foi executada durante os meses de Fevereiro a Abril de 2001, abrangendo uma área com cerca de 22,0 ha, em um segmento de 14,40 km (do km 104,0 até o km 896,0), a jusante e/ou a montante adentrando até 15 (quinze) metros nas bordas florestais (área de amortecimento) do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, doravante denominado PARNASO.

 

DOI: 10.12957/ric.2016.25000


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ric.2016.25000

Direitos autorais


 

ISSN: 2316-7041 | Indexada em:

 

Licença Creative Commons

A Revista Internacional de Ciências está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.