AS PRÁTICAS CIRCENSES E A RELAÇÃO DO CORPO DA CRIANÇA EM SITUAÇÃO DE RUA NO MUNDO

Ranulfo Cavalari Neto

Resumo


O artigo tem o objetivo de narrar uma experiência com as práticas corporais e crianças e adolescentes em situação de rua, a partir da ótica do corpo, da corporeidade e dos processos escolares encontrados na leitura da ‘pedagogia da diferença.’ Ao propor a oficina abre-se uma oportunidade de abrir o debate sobre as práticas corporais das crianças e adolescentes, e que nesse caso, alguns se utilizam como forma de trabalho pelas ruas e sinaleiras das cidades.  A cultura da rua, ou melhor a cultura de viver na rua faz marcas no corpo e interfere no processo de desenvolvimento do ser humano. A corporeidade de uma criança em situação de rua deve ser observada com um olhar cuidadoso adotando a pedagogia da diferença, de modo que promova corpos potentes, criativos, alegres e livres.


Palavras-chave


Criança e adolescente em situação de rua; corporeidade; pedagogia da diferença.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei 8.069 de 13 de julho de 1990. Estatuto Da Criança E Do Adolescente. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm

CASTEL, R. As armadilhas da exclusão social. In: CASTEL, R., WANDERLEY, L. E. W., BELFIORE-WANDERLEY, M. Desigualdade e a questão social. 2ª ed., p.17-50, São Paulo: Educ; 2004.

DAOLIO, J. A construção cultural do corpo humano. In: DAOLIO, J. Da cultura do corpo. Campinas: Papirus. 1995. p. 31-49.

FREIRE, P. Educação na cidade. São Paulo: Olho d´Água, 2006.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 11º ed. Rio de Janeiro: paz e terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 65 ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2018.

LOURO, G. L. Currículo, gênero e sexualidade: o “normal”, o “diferente” e o “excêntrico”. In: LOURO, G. L.; NECKEL, J. F.; GOEELNER, S. V. (Orgs.). Corpo, Gênero e Sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis: Vozes. 2003. p. 41-52.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. 2 ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

NASCIMENTO, M. L. do (Org.). Pivetes: a produção de infâncias desiguais. Rio de Janeiro: Oficina do Autor, 2002.

NOGUEIRA, C. M. M.; FORTES, M. de F. A. A importância dos estudos sore trajetórias escolares na Sociologia da Educação contemporânea. Paidéia/FUMEC, ano III, nº 2, 2004.

OLIVIER, G. G. F. O corpo vivido, o corpo no mudo. In: OLIVIER, G. G. F Imagem Corporal, Consciência Corporal e Corporeidade.. Ijuí: Unijuí, 2000. p. 35-64.

PAIVA, I. K. S. de.; LIRA, C. D. G.; JUSTINO, J. M. R. et al. Direito à saúde da população em situação de rua: reflexões sobre a problemática. Ciência Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 8, p. 2595-2606, 2016. Disponível em

PROJETO CONHECER PARA CUIDAR – Relatório final do levantamento de dados quantitativos e qualitativos sobre crianças e adolescentes em situação de rua e em Acolhimento Institucional como medida protetiva à situação de rua. Maio, 2020. Disponível em: https://www.neca.org.br/arquivos/9708 Acesso em: 10 ago. 2020.

SAUCEDO, I. A.; TARACENA, B. E. Habitar la calle: pasos hacia una ciudadanía a partir de este espacio. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, v.1 n.9, p.269-285, 2011. Disponível em https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=77320072014. Acessado em 25 ago. de 2020.

SILVA, S. C. A escola e a rua: interação possível? Revista de Ciências Humanas. Florianópolis: EDUFSC, n. 37, p. 67-87, abril, 2005.

TRINDADE, A. L. Do corpo da carência ao corpo da potência: desafios da docência. In: Garcia, R. L. (Org.).: O corpo que fala dentro e fora da escola. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 65-88.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2021.54954

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: