A PANDEMIA DA COVID-19 COMO VITRINE DA PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE E DA EDUCAÇÃO: DESAFIOS PARA O ENSINO EM UMA DEMOCRACIA FRAGILIZADA

Fernanda Fochi Nogueira Insfran, Paulo Afonso Prado, Samela Estéfany Francisco Faria, Thalles Azevedo Ladeira, Tiago Afonso Sentinelli, Waldyr Barcellos Jr.

Resumo


Motivados por uma pesquisa em andamento sobre educação e pandemia, objetivamos debater o processo antidemocrático construído nas entranhas da educação pública, que responde por seu estrangulamento. Em meio à pandemia do Covid-19, vozes docentes rompem as mordaças para denunciar as impossibilidades de uma educação democrática, após a intensificação dos desmontes, das ameaças de perda de autonomia e da precarização das condições de trabalho/ vida com a imposição intencional, atabalhoada e excludente do ensino remoto. Assim, reflexões teóricas e dados sobre a crise sanitária e o desigual acesso à tecnologia e direitos básicos, apontam para a necessidade de uma democracia participativa mais forte, com debate e elaboração coletiva de políticas públicas que garantam saúde e educação para todos.


Palavras-chave


Democracia; Participação; Ensino remoto; Autoritarismo; Pandemia

Texto completo:

PDF

Referências


ABRUCIO, F. L.; LOUREIRO, M. R. Burocracia e ordem democrática: desafios contemporâneos e experiência brasileira In: PIRES, R.; LOTTA, G.; OLIVEIRA, V. E. (Orgs.). Burocracia e políticas públicas no Brasil: interseções analíticas. Brasília: IPEA, Enap, 2018, p. 23-57.

ASBAHR, F. S. F. Sobre o Projeto Político-Pedagógico: (im)possibilidades de construção. In: VIÉGAS, L. S.; ANGELUCCI, C. B. (Orgs.). Políticas Públicas em Educação. Uma análise Crítica a partir da Psicologia Escolar. 2.ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011. p. 229-243.

BIJEGA, G. L. Cidadania no Brasil: a nossa jovem democracia em risco. Foz do Iguaçu: Espirales, ed. especial, p. 1-13, 2019.

BOULOS, G. A onda conservadora. DEMIER F., HOEVELER R., (Orgs.). A Onda Conservadora: ensaios sobre os atuais tempos sombrios no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Mauad; 2016. p. 29 - 32.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2020]. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 03 jul. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília - DF: Presidência da República, [2009]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 03 jul. 2020.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília, DF: Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf. Acesso em: 03 jul. 2020.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Portaria nº555/2007, prorrogada pela Portaria nº 948/2007. Brasília, DF: Ministério da Educação e do Desporto, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 03 jul. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: Ministério da Educação e do Desporto, 2017. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/base-nacional-comum-curricular-bncc. Acesso em: 03 jul. 2020.

CASTRO, G. A. Mais duas cidades aprovam lei da escola sem partido. Curitiba: Gazeta do Povo, nov. 2017. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/educacao/mais-duas-cidades-aprovam-lei-da-escola-sem-partido-4wz257b4i37yzgjh3juletc9w/. Acesso em: 01 jul. 2020.

CETIC. Acesso a Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) - Domicílios 2019. Cetic, São Paulo, 26 maio. 2020. Disponível em: https://www.cetic.br/pt/pesquisa/domicilios/indicadores/. Acesso em: 04 jul. 2020.

CFP. Conselho Federal de Psicologia. Referências técnicas para atuação de psicólogas(os) na educação básica. 2. ed. Brasília : CFP, 2019.

CIRNE, M. Professora da UCPel explica diferença entre EAD e atividade remota. Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, 30 abr. 2020. Disponível em: https://www.ucpel.edu.br/noticias/professora-da-ucpel-explica-diferenca-entre-ead-e-atividade-remota. Acesso em: 04 jul. 2020.

CONJUVE. Pesquisa Juventudes e a pandemia do coronavírus. Conselho Nacional de Juventude. 2020. Disponível em: https://www.juventudeseapandemia.com. Acesso em 4 jul. 2020.

DEMIER F. O barulho dos inocentes: a revolta dos “homens de bem”. In: DEMIER F., HOEVELER R., (Orgs.). A Onda Conservadora: ensaios sobre os atuais tempos sombrios no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Mauad; 2016. p. 9-24.

FELICIO, S.C. Subjetividades docentes e a expansão do judiciável: a “escola sem partido” e o adoecimento de professores. Tese (doutorado acadêmico). Universidade Federal Fluminense. Programa de Pós-graduação em Psicologia, 2019.

FERNANDES, F. A Revolução Burguesa no Brasil. Ensaio de Interpretação Sociológica. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.

FERNANDES, F. A sociologia no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1980.

FERNANDES, F. Mudanças sociais no Brasil: aspectos do desenvolvimento da sociedade brasileira. 1. ed. Dig. São Paulo: Global Editora, 2013.

FERREIRA, R. M. Sociologia da Educação. São Paulo: Moderna, 1994.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FRIGOTTO, G. A gênese das teses do Escola sem Partido: esfinge e ovo da serpente que ameaçam a sociedade e a educação. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: UERJ, 2019. p. 19-36.

GOMES, R.L.R. Aspectos da educação brasileira em meio aos dilemas de um momento dramático. In: LOLE, A.; STAMPA, I.; GOMES, R.L.R. (Orgs.). Para além da quarentena: reflexões sobre crise e pandemia. E-book. Mórula Editorial; 2020.

GRANDELLE, R. Três em cada dez jovens pensam em largar a escola após pandemia do coronavírus. Jornal O Globo, Rio de Janeiro, 22 jun. 2020. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/tres-em-cada-dez-jovens-pensam-em-largar-escola-apos-pandemia-do-coronavirus-diz-pesquisa-1-24493252. Acesso em 4 jul 2020.

INSFRAN, F. F. N. A formação de professores num contexto neoliberal: como resistir? In:

LEMOS, F. C. S. et al (Orgs.). Conversas transversalizantes entre psicologia política, social-comunitária e institucional com os campos da educação, saúde e direitos. v. 7, 1. ed. Curitiba: CRV, 2017. p.191-198.

INSFRAN, F. F. N.; MUNIZ, A. G. C. R.; ARAUJO, G. G. Problemas de escolarização, medicalização e docência: outros olhares. Práxis Educacional, [s.l.], v. 15, n. 36, p. 84-107, dez. 2019.

INSFRAN, F. F. N.; MUNIZ, A. G. C. R. Maternagem e Covid-19: desigualdade de gênero sendo reafirmada na pandemia. Diversitates. Dossiê especial: COVID-19 e Desafios Contemporâneos da Saúde Coletiva e Bioética. v.12, n.2, p.26-47, 2020.

JOAS, H. Interacionismo Simbólico. In: GIDDENS, A.; TURNER, J. (Orgs.). Teoria Social Hoje. São Paulo: Editora UNESP, 1999.

LEAL, B. Pedagoga explica diferença entre ensino remoto e EAD. Centro Universitário Maurício de Nassau, Maceió, 20 maio. 2020. Disponível em: https://www.uninassau.edu.br/noticias/pedagoga-explica-diferenca-entre-ensino-remoto-e-ea. Acesso em: 04 jul. 2020.

LINARES, A.; BEZERRA, J.E.B. Obscurantismo contra a liberdade de ensinar. In: CASSIO, F. (Org.). Educação contra a barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2019. p.127-133.

MARKOFF, J. Democracia: transformações passadas, desafios presentes e perspectivas futuras. Porto Alegre: Revista Sociologias, a. 15, n. 32, p.18-50. jan/abr 2013.

MONTESQUIEU, C.. Do Espírito das Leis - Livro 1: Leis e Costumes. MELVILLE, J. (Trad.). Coleção a Obra Prima de Cada Autor. São Paulo: Martins Claret, 2007.

MUÑOZ, R. A experiência internacional com os impactos da COVID-19 na educação. Nações Unidas Brasil. 08 abr. 2020. Disponível em: https://nacoesunidas.org/artigo-a-experiencia-internacional-com-os-impactos-da-covid-19-na-educacao/. Acesso em: 04 jul. 2020.

NOBRE, N. Sem consenso, projeto sobre Escola sem Partido será arquivado. Agência Cãmara de Notícias. Câmara dos Deputados, Brasília, 11 dez. 2018. Disponível em: https://www.camara.leg.br/noticias/549616-sem-consenso-projeto-sobre-escola-sem-partido-sera-arquivado/. Acesso em: 04 jul. 2020.

NOGUEIRA, F. M. G. (Org.). Estado e políticas sociais no Brasil. Cascavel: Edunioeste, 2006.

OLIVEIRA, A.C.;PAIVA, A.R.; RIZZINI, I. As/os assistentes sociais na linha de frente: violência e violações de direitos na pandemia da COVID-19. In: LOLE, A.; STAMPA, I.; GOMES, R.L.R. (Orgs.). Para além da quarentena: reflexões sobre crise e pandemia. E-book. Mórula Editorial; 2020.

PATTO, M. H. S. A cidadania negada: políticas públicas e formas de viver. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2009.

PATTO, M. H. S. A Produção do Fracasso Escolar: histórias de submissão e rebeldia. 4. ed., revista e ampliada. São Paulo: Intermeios, 2015.

PENNA, F. A. O Escola sem Partido como chave de leitura do fenômeno educacional. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: UERJ, 2019. p. 35-48.

PESSANHA, J. A. M.; SOUZA, J. C.; PALEIKAT, J.; COSTA, J. C. Os Pensadores: Platão. 5ª ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991.

PICARELLI, M. Militarização das escolas públicas: soldado ou cidadão?. São Paulo: Revista Educação, ed. 257, abr., 2019. Disponível em: https://revistaeducacao.com.br/2019/04/29/militarizacao-das-escolas/. Acesso em: 03 jul. 2020.

RAMOS, M.N. Escola sem Partido: a criminalização do trabalho pedagógico. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: UERJ, 2019. p. 77-87.

SALDAÑA P.; CARAZZAI E. H.; GAMBA E.; TAKAHASHI F. Escolas militares e colégios civis com mesmo perfil têm desempenho similar. Folha de São Paulo, São Paulo, fev. 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2019/02/escolas-militares-e-colegios-civis-com-mesmo-perfil-tem-desempenho-similar.shtml. Acesso em: 01 jul. 2020.

SCHNEIDER, A. O pesadelo do ensino remoto. Folha de São Paulo, São Paulo, 02 jul. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/alexandre-schneider/2020/07/o-pesadelo-do-ensino-remoto.shtml. Acesso em: 04 jul. 2020.

SILVEIRA, D. Coronavírus e desafios à prevenção: Brasil tem 31,3 milhões sem água encanada e 11,6 milhões em casas 'superlotadas'. G1, Rio de Janeiro, 28 mar. 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/03/28/coronavirus-e-desafios-a-prevencao-brasil-tem-313-milhoes-sem-agua-encanada-e-116-milhoes-em-casas-superlotadas.ghtml. Acesso em: 04 jul. 2020.

SOUZA, H.J. Como se faz análise de conjuntura. 34. ed. Petrópolis: Vozes, 2016.

SOUZA, M.P.R. Políticas Públicas e Educação: desafios, dilemas e possibilidades. In: VIÉGAS, L. S.; ANGELUCCI, C. B. (Orgs.). Políticas Públicas em Educação. Uma análise Crítica a partir da Psicologia Escolar. 2. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011, p. 229-243.

TEÓFILO, S. Apuração de protestos anti democráticos deve ganhar mais força. Brasília, DF: Correio Braziliense, jun. 2020. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2020/06/28/interna_politica,867478/apuracao-de-protestos-antidemocraticos-deve-ganhar-mais-forca.shtml. Acesso em: 01 jul. 2020.

TOCQUEVILLE, A. A Democracia na América. BRANDÃO, E. (trad.). São Paulo: Martins Fontes, 2005.

WEFFORT, F. C. (Org). Os clássicos da política. São Paulo: Ática, 1998.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.52309

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: