EDUCAÇÃO DA PEQUENA INFÂNCIA: (RE)PENSANDO LIMITES E POSSIBILIDADES DIANTE DE ALGUMAS INFLEXÕES IMPOSTAS PELA PANDEMIA DA COVID-19

FABIANA NERY DE LIMA PESSANHA, NAYARA ALVES MACEDO

Resumo


O presente artigo discute os limites e as possibilidades provocadas pelos efeitos da pandemia da covid-19 na educação da pequena infância. Trata-se de um exercício reflexivo, fundamentado nos Estudos da Infância, em diálogo com nossas pesquisas etnográficas com crianças pequenas. Temos o objetivo de problematizar alguns paradoxos da tríade crianças, famílias e escolas, visibilizando seus dilemas e contradições. Nesse movimento de ruptura e criação de novos paradigmas, destacamos alguns princípios e o compromisso ético-político e epistêmico assumidos na educação das infâncias. A discussão evidencia a necessidade de construção de vínculos afetivos e alteritários na relação família e escola, potencializando esses tempos de incertezas como um tempo, também, de criação.

Palavras-chave


Pandemia da covid-19; Educação da pequena infância; Escolas das infâncias; Relação família-escola.

Texto completo:

ESP PORT

Referências


Referências

ALVARENGA, M. S. de; TAVARES, M. T. G. Relações entre poder local e políticas educacionais em contextos de periferias urbanas. In: ALVARENGA, M. S. de; TAVARES, M. T. G. (orgs). Poder Local e Políticas Públicas para Educação em periferias Urbanas do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Quartet: Faperj, 2015.

BARBIER, René. A escuta sensível em educação. Revista Anped, Caxambu, 1992.

BENJAMIN, Walter. Experiência e Pobreza. In: Magia e Técnica, Arte e Política. Traduzido por Paulo Sérgio Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BRASIL. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2020). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – (PNAD) Contínua.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Subsídios para Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica – Diretrizes Curriculares Nacionais Específicas para a Educação Infantil. Brasília, DF: MEC; SEB, 2009.

DAVIS, Mike. A crise do coronavírus é um monstro alimentado pelo capitalismo. In: DAVIS, Mike. et al. Coronavírus e a luta de classes. Brasil: Terra sem Amos, 2020.

FOCHI, Paulo Sérgio. “Mas os bebês fazem o quê no berçário, heim?”: documentando ações de comunicação, autonomia e saber-fazer de crianças de 6 a 14 meses em um contexto de vida coletiva. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Os circuitos da história e o balanço da educação no Brasil na primeira década do século XXI. RBE, vol.16, n.46, p.235-254, jan.-abr./2011.

FRIGOTTO, G. A gênese das teses do Escola sem Partido: esfinge e ovo da serpente que ameaçam a sociedade e a educação. In: FRIGOTTO, G. (org). Escola "sem" partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2017. =

GALLO, Sílvio. Infância e poder: algumas interrogações à escola. In: KOHAN, W. O; (org). Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010. Devir-criança da filosofia: infância da educação.

GARCIA, Regina Leite (org.) A formação da professora alfabetizadora: reflexões sobre a prática. 5ª Edição. São Paulo, SP: Cortez, 2008.

KOHAN, Walter. A infância descolonizadora do tempo In: SANTOS, Solange; SANTIAGO, Flávio; BARREIRO, Alex; MACEDO, Elina; FARIA, Ana Lúcia (Orgs). Pedagogias descolonizadoras e infâncias: por uma educação emancipatória desde o nascimento. Maceió: EDUFAL, 2018.

LÓPEZ, María Emilia. Um mundo aberto: cultura e primeira infância. São Paulo: Instituto Emília, 2018.

NOGUEIRA, Maria Alice. Trajetórias escolares, estratégias culturais e classes sociais: notas em vista da construção do objeto de pesquisa. Teoria & Educação, vol.3, p.89-112, 1991.

PAIXÃO, Léa Pinheiro. Significado da escolarização para um grupo de catadoras de um lixão. Cadernos de Pesquisa, vol. 35, n. 124, p. 141-170, jan.-abr/2005.

RINALDI, Carla. Diálogos com Reggio Emília: Escutar, investigar e aprender. Tradução: Vânia Cury. – 1.ed. –São Paulo: Paz e Terra, 2012.

ROSEMBERG, Fúlvia. A criação de filhos pequenos: tendências e ambiguidades contemporâneas. In: DUARTE, L, F, D.; et al. (orgs). Família em Processos Contemporâneos: Inovações Culturais na Sociedade Brasileira. São Paulo: Loyola, 1995. (Coleção Seminários Especiais / Centro João XXIII)

TONUCCI FILHO, João B. M; PATRICIO, Pedro Araujo; BASTOS, Camila. Nota Técnica (NT) – desafios e propostas para enfrentamento da COVID-19 nas periferias urbanas: análise das condições habitacionais e sanitárias dos domicílios urbanos no Brasil e na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Cedeplar/UFMG, 2020.

UNICEF. 30 Anos da Convenção Sobre os Direitos da Criança: Avanços e desafios para meninas e meninos no Brasil. UNICEF: (coordenação editorial Elisa Meirelles Reis... [et al.]. São Paulo: UNICEF, 2019.

VARELA, J; ALVAREZ-URIA, F. A maquinaria escolar. In: Teoria e Educação. Pannonica, 1992. (Dossiê: História da Educação, v. 6)




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.52291

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: