ALUNOS E A RECONFIGURAÇÃO DA PRESENCIALIDADE EM TEMPOS DE CIBERCULTURA: ANÁLISE DE RELATOS EM REDES SOCIAIS SOBRE AS DIFICULDADES NO ENSINO REMOTO EM TEMPOS DE PANDEMIA

Felippie Anthonio Fediuk de Morais, Glaucia da Silva Brito

Resumo


Este artigo traz uma investigação de análise qualitativa de memes, produzidos por alunos da rede pública do estado do Paraná, durante o primeiro semestre de 2020, sobre as aulas remotas. Com o objetivo de identificar as percepções dos alunos sobre a adaptação ao ensino remoto.  Analisamos as postagens das redes sociais Twitter e Instagram, nas contas Memes da Aula Paraná, Aula Paraná Zueiro, Aula Paraná da Depressão, e publicados entre 06 de Abril e 28 de junho de 2020. A análise das postagens mostrou que as dificuldades na adaptação ao ensino remoto tem promovido um despejamento e acúmulo de atividades por falta de habilidades no uso de tecnologias, promovendo uma educação bancária, ampliando as desigualdades sociais e reprimindo a efetivação de uma educação democrática.

Palavras-chave


cibercultura, presencialidade, memes, redes sociais, tecnologias

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: educação infantil e ensino fundamental. Brasília, DF: MEC, 2018.

BRITO, G.S; SIMONIAN, M. Conceitos de tecnologias e currículo: em busca de uma integração. In: Diálogos epistemológicos e culturais. Organizadores HAGEMEYER, R. C.;

Castells, Manuel (2003). A Galáxia da Internet: Reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

Comitê Gestor da Internet no Brasil. Tic Domicílio: Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros. São Paulo. 2018

Comitê Gestor da Internet no Brasil. Tic Educação: Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras. São Paulo. 2018

COUTINHO, C. LISBÔA, E. Sociedade da informação, do conhecimento e da aprendizagem: desafios para a educação no século XXI. Revista de Educação. Vol. XVIII. nº1. Págs 5-22. 2011.

DELORS, J. et al. Educação um tesouro a descobrir. Relatório para a Unesco da comissão internacional sobre educação para o século XXI. Editora Cortez. Unesco, 1996. Impresso no Brasil em 1999.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Editora Paz e Terra. Rio de Janeiro. 1981

GÓMEZ, Á. I. & Pérez. Educação na era digital: a escola educativa. Porto Alegre: penso, 2015.

HAGEMEYER, R. C. C. SÁ, R. A. GABARDO, C. V. Diálogos Epistemológicos e Culturais. GABARDO, C. V; SÁ, R. A. (Org). Curitiba: W&A Editores. vol 1. Curitiba. 2016.

LEMOS, A., & CUNHA, P (orgs). Olhares sobre a Cibercultura. Sulina, Porto Alegre, 2003; pp. 11-23

LEVY, P. Cibercultura. Ed. 34, São Paulo. 1999.

MILL, D. Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação à distância. Papirus. Campinas/ SP. 2018.

MORÁN, J. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Campinas. Papirus. 2007.

MOREIRA, J. A., & SCHLEMMER, E. Por um novo conceito e paradigma de educação digital onlife. Revista UFG, 2020, V.20, 63438. Disponível em https://www.revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/63438/34772

OLIVEIRA, K. E. E; PORTO, C. M; ALVEZ, A. L. Memes de redes sociais digitais enquanto objetos de aprendizagem na Cibercultura: da viralização à educação. Acta Scientiarum Educ. Vol 41. 2019.

POZO, J. I. A sociedade da aprendizagem e o desafio de converter informação em conhecimento. Revista Pátio. Ano VIII – Nº 31- Educação ao Longo da Vida. 2004.

POZO, J. I. A sociedade da aprendizagem e o desafio de converter a informação em conhecimento. Projeto Pedagógico. 2007.

VALENTE, J. A. ALMEIDA, M. E. B. Narrativas digitais e o estudo de contextos de aprendizagem. EM REDE revista de educação a distância. V1. Nº1. 2014.

VALENTE, J. A. Aspectos críticos das tecnologias nos ambientes educacionais e nas escolas. Educação e Cultura Contemporânea. V 2. N 3. Jan/jun. págs 11- 28. 2005.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.52233

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: