EDUCAÇÃO BÁSICA EM TEMPOS DE PANDEMIA: PADRONIZADA, REMOTA, DOMICILIAR E DESIGUAL

Thiago Colmenero Cunha, Isabel Scrivano, Erick da Silva Vieira

Resumo


O presente manuscrito tem por objetivo discutir como as estratégias de educação remota implementadas nas redes estadual e municipal de ensino do Rio de Janeiro funcionam como ferramentas de acirramento das desigualdades sociais e educacionais durante o tempo de isolamento social imposto como forma de evitar o contágio pela COVID-19. Para apresentar como isso se efetiva no cotidiano escolar em tempos pandêmicos, utiliza-se como dispositivo de análise entrevistas com profissionais de educação sobre o ensino remoto padronizado adotado nas referidas redes de ensino. Por fim, problematizamos a discussão sobre uma estratégia considerada inevitável no momento: uma (im)possível educação domiciliar por parte das famílias

Palavras-chave


COVID-19; Desigualdade social; Educação básica; Educação domiciliar; Ensino remoto

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO DE PÓS-GRADUANDOS DA UFRJ - APG-UFRJ. Ninguém fica pra trás: propostas e questões para debates sobre aulas remotas. Maio, 2020.

BARROS, Regina Benevides de. Grupo: afirmação de um simulacro. 2 ed. Porto Alegre: Sulina/UFRGS, 2009.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências.

BRASIL. Portaria n. 343, de 17 de março de 2020a. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus - COVID-19. Disponível em:

-de-17-de-marco-de-2020-248564376>. Acesso em: 23 mai. 2020.

BRASIL. Medida provisória n. 934, de 1º de abril de 2020b. Estabelece normas excepcionais sobre o ano letivo da educação básica e do ensino superior decorrentes das medidas para enfrentamento da situação de emergência de saúde pública de que trata a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. Disponível em:

/medida-provisoria-n-934-de-1-de-abril-de-2020-250710591>. Acesso em: 23 mai. 2020.

BRASIL. Portaria n. 376, de 3 de abril de 2020c. Dispõe sobre as aulas nos cursos de educação profissional técnica de nível médio, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19. Disponível em:

-de-3-de-abril-de-2020-251289119>. Acesso em: 23 mai. 2020.

BRASIL. Decreto n. 10.312, de 4 de abril de 2020d. Amplia, temporariamente, o escopo de multiprogramação com conteúdo específico destinado às atividades de educação, ciência, tecnologia, inovações, cidadania e saúde de entidades executoras de serviço de radiodifusão de sons e imagens em tecnologia digital, com fins exclusivamente educacionais ou de exploração comercial, em razão da pandemia da Covid-19. Disponível em:

gov.br/en/web/dou/-/decreto-n-10.312-de-4-de-abril-de-2020-251139882>. Acesso em: 23 mai. 2020.

BRASIL. Censo da Educação Básica 2019: Resumo Técnico. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), 2020e. Disponível em:

document/id/6874720>. Acesso em: 25 mai. 2020.

BOTELHO, Patrick Silva; CUNHA, Thiago Colmenero; BICALHO, Pedro Paulo Gastalho de. Processos de criminalização da pobreza no território escolar. Revista Psicologia Escolar e Educacional, 2020.

CARDOSO, Wilton. Crise é oportunidade. TOSTES, Anjuli; MELO FILHO, Hugo. (Org.). Quarentena: reflexões sobre a pandemia e depois. 1. ed. Bauru: Canal 6, p. 241-255, 2020.

CGI.BR. Três em cada quatro brasileiros já utilizam a Internet, aponta pesquisa TIC Domicílios 2019. 26 mai. 2020. Disponível em: https://www.cgi.br/noticia/releases/tres-em-cada-quatro-brasileiros-ja-utilizam-a-internet-aponta-pesquisa-tic-domicilios-2019/. Acesso em: 12 jun. 2020.

DAVIS, Angela.; KLEIN, Naomi. Construindo movimentos [recurso eletrônico]: uma conversa em tempos de pandemia. Tradução: Leonardo Marins. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2020.

DELEUZE, Gilles. O mistério de Ariana. Lisboa: Ed. Vega: Passagens, 1996.

FERNÁNDEZ, Alicia. Os idiomas do aprendente: análises de modalidades ensinantes com famílias, escolas e meios de comunicação. Trad. Neusa Kern Hickel e Regina Orgler Sordi. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Paz e Terra, 1991.

FREIRE, Paulo. Educação como prática de liberdade: a sociedade brasileira em transição. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2000.

GENTILI, P. Neoliberalismo e educação: manual do usuário. In: SILVA, T. T. da; GENTILI, P. (Orgs.). Escola S.A.: quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília, DF: CNTE, 1996, p. 9-49.

GUATTARI, Felix. Caosmose: um novo paradigma estético. São Paulo: 34, 2006.

GUATTARI, Felix; ROLNIK, Suely. Micropolítica: Cartografias do Desejo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

IWASAKI, Camila; AZEVEDO, Clara; PEÇANHA, Erica; ROZA, Erick. Educação em tempos de COVID-19/Coronavírus: reflexões a partir da pesquisa sobre o uso da tecnologia nos sistemas públicos brasileiros. Metaxy, Rio de Janeiro, 2020.

KRENAK, Ailton. O amanhã não está à venda. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

LOURAU, René. Análise Institucional e Práticas de Pesquisa. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 1993.

MARTI, José. Revista Universal, México, 1875, p. 132-135.

MORAES, Marcia. PesquisarCOM: política ontológica e deficiência visual. MORAES, Márcia; KASTRUP, Virginia. Exercícios de ver e não ver: arte e pesquisa com pessoas com deficiência visual. Rio de Janeiro: Nau Editora, p. 36-51, 2010.

NASSIF, Ricardo. José Martí. Recife: Fundação Joaquim Nabuco-Editora Massangana, 2010.

OLIVEIRA, Fabiane Lopes de. Educação transformada em EAD durante a pandemia: quem e o que está por trás dessa ação? AUGUSTO, Cristiane Brandão; SANTOS, Rogério Dultra dos. (Org.). Pandemias e pandemônio no Brasil. 1 ed. São Paulo: Tirant lo Blanch, p. 247-260, 2020.

OLIVEIRA, Romualdo Luiz Portela; BARBOSA, Luciane Muniz Ribeiro. O neoliberalismo como um dos fundamentos da educação domiciliar. Pro-posições, Campinas, SP, v. 28, n. 2 (83), p. 193-212, 2017.

PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da. (Orgs.) Pistas do método da cartografia: Pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015.

PATTO, Maria Helena Souza. A família pobre e a escola pública: anotações sobre um desencontro. Psicol. USP, São Paulo, v. 3, n. 1-2, 1992, p. 107-121.

PATTO, Maria Helena Souza. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. 4 ed. São Paulo: Intermeios, 2015.

PAIXÃO, Léa Pinheiro. A escola dos carentes: um projeto em Minas Gerais. ARROYO, Miguel G. (Org.). Da escola carente à escola possível. 6ª ed., São Paulo: Loyola. 2003.

RIBEIRO, Álvaro Manuel Chaves; PALHARES, José. O homeschooling e a crítica à escola: hibridismos e (des)continuidades educativas. Pro-posições, Campinas, v. 28, n. 2 (83), p. 57-84, 2017.

RIBEIRO, Darcy. Sobre o óbvio. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

SANTA-BÁRBARA, Isabel Scrivano Martins; CUNHA, Fabiana Lopes; BICALHO, Pedro Paulo G. Escola 'sem' Partido: Visibilizando racionalidades, analisando governamentalidades. In: FRIGOTTO, Gaudêncio. (Org.). Escola 'sem' partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. 1ed. Rio de Janeiro: UERJ/LPP, v. 1, p. 105-120, 2017.

SEVERO, Valdete Souto. Sobre a COVID-19 e as nossas escolhas. TOSTES, Anjuli; MELO FILHO, Hugo. (Org.). Quarentena: reflexões sobre a pandemia e depois. 1. ed. Bauru: Canal 6, p. 219-225, 2020.

TEDESCO, Silvia Helena; SADE, Christian; CALIMAN, Luciana Vieira. A entrevista na pesquisa cartográfica: a experiência do dizer. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP; Virginia; TEDESCO, Silvia (Orgs.). Pistas do método da cartografia: a experiência da pesquisa e o plano comum. Porto Alegre: Sulina, 310 p., v.2, 2014.

VASCONCELOS, Maria Celi Chaves. Educação na casa: perspectivas de desescolarização ou liberdade de escolha? Pro-posições, Campinas, v. 28, n. 2 (83), p. 122-140, 2017.

ZAIDAN, Junia de Matos; GALVÃO, Ana Carolina. COVID-19 e os abutres do setor educacional: a superexploração da força de trabalho escancarada. AUGUSTO, Cristiane Brandão; SANTOS, Rogério Dultra (Org.). Pandemias e pandemônio no Brasil. 1 ed. São Paulo: Tirant lo Blanch, p. 261-275, 2020.

ZIBECHI, Raúl. Coronavírus: a militarização das crises. DAVIS, Mike. et al. Coronavírus e a luta de classes. Terra sem Amos: Brasil, p. 31-33, 2020.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.51907

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: