A EXPERIÊNCIA TRANSFORMADORA DA EDUCAÇÃO NO CONTEXTO DA PANDEMIA

Neide Cavalcante Guedes, Tiago Pereira Gomes

Resumo


O artigo trata da desigualdade social, domínio das tecnologias, e a presença da igualdade e da equidade na escola e na academia. Trazemos as questões estruturais que travam as atividades educacionais, discutimos igualdade e equidade na perspectiva de analisar a Lei e sua efetivação no que diz respeito ao sistema público de ensino e finalizamos com o estudo realizado pela Universidade Federal do Amazonas sobre a realização de Atividades Extracurriculares Especiais por meio das tecnologias. Em síntese, a pandemia mostra a real condição das instituições sociais tanto na educação quanto na saúde.


Palavras-chave


Igualdade. Equidade. Educação. Tecnologia. Pandemia

Texto completo:

PDF

Referências


BALL, S. J.; MAINARDES, Jefferson (Orgs.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

BARROSO, J. Organização e Regulação dos Ensinos Básico e Secundário, em Portugal: sentidos de uma evolução Educ. Soc., Campinas, vol. 24, n. 82, p. 63-92, abril 2003.

BRASIL. Lei n. 9394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Ministério da Educação e do Desporto. Brasília. 1996.

______. Ministério da Educação. Universidade Federal do Amazonas Pró-Reitoria de Ensino de Graduação-PROEG. Portaria de nº 31, de 30 de abril de 2020. Disponível em https://edoc.ufam.edu.br/bitstream/123456789/3102/40/PORTARIA_PROEG_31_30_04_2020AEE.pdf. Acesso em 26 maio 2020.

______. Portaria de nº 36, de 30 de maio de 2020. Disponível em https://edoc.ufam.edu.br/bitstream/123456789/3102/47/NOVA%20PORTARIA%2036%20AEE.pdf. Acesso em 26 maio 2020.

CHARLOT, B. Da relação com o saber - elementos para uma teoria. Porto Alegre: Editora Artmed, 2000.

CARVALHO, R. E. Removendo Barreiras para a aprendizagem. 4. ed. Porto Alegre: Mediação,2002. p. 70, 75,106, 111, 120, 174.

CERTEAU, M.; GIARD, L.; MAYOL P. A invenção do cotidiano: 2. Morar, cozinhar. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2008.

CIEB (2020). Planejamento das Secretarias de Educação do Brasil para Ensino Remoto. Disponível em: http://cieb.net.br/pesquisa-analisa-estrategias-de-ensino-remoto-de-secretarias-deeducacao-durante-a-crise-da-covid-19/. Acesso em 22 maio 2020.

HEERDT, M. L.; COPPI. P. de. Como Educar Hoje? reflexões e propostas para uma educação integral. São Paulo: Mundo e Missão, 2003.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, 2019. Cidades IBGE, Disponível em : https://cidades.ibge.gov.br/brasil/am/panorama. Acesso em: 3 jun. 2020.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. tradução Paulo Cezar Castanheira e Sérgio Lessa. São Paulo: Boitempo, 2002.

NOTA TÉCNICA. Análise: Ensino a Distância na Educação Básica Frente à Pandemia da COVID-19, 2020. Disponível: https://www.todospelaeducacao.org.br/_uploads/_posts/425.pdf . Acesso em: 22 maio 2020.

SANTOS, B. de S. A cruel pandemia do vírus. Editora Boitempo, 2020.

SODRÉ, M. Reinventando a cultura: a comunicação e seus produtos. Rio de Janeiro: Vozes, 1996.

SOUZA, J. C. R. de. A Geografia nas Escolas das Comunidades Ribeirinhas de Parintins: entre o currículo, o cotidiano e os saberes tradicionais. 2013. Tese (Doutorado em Geografia Física)- Universidade de São Paulo. São Paulo, 2013. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8135/tde-08082013-102213/publico/2013_JoseCamiloRamosDeSouza.pdf. Acesso em: 2 jun. 2020.

TENTI FANFANI, E. Introducción: Mirar la escuela desde afuera. In: TENTI FANFANI, Emilio (Org.). Nuevos temas em la agenda de política educativa. Buenos Aires: Siglo XXI Editores, 2008.

TURRA, C. M. G.; ENCONE, D.; SATÁNNA, F. M. Planejamento de ensino e avaliação. Porto Alegre: PUC - EMMA, 1975.

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos. Plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Tailândia. 1990.

VALENTE, J. A. O ensino híbrido veio para ficar. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. D. M. Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.51877

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: