EDUCAÇÃO DEMOCRÁTICA EM TEMPOS PANDÊMICOS

Carla Chagas Ramalho

Resumo


As escolas servem como aparelhos ideológicos do estado, e por este motivo faz-se primordial mostrar a importância da democracia, no seu sentido literário, nesses espaços em tempos pandêmicos. Assim, este trabalho teve por objetivo pensar num ensino democrático que nos faça refletir o valor da educação escolarizada em tempos de pandemia. Foi utilizada como metodologia a pesquisa bibliográfica de estudos sobre educação. Como reflexão deste estudo, foi visto a necessidade de uma nova pedagogia onde o foco seja utilizar a realidade da classe trabalhadora neste momento como possibilitador primário para conscientização de classe, mas cientes que a escola, sozinha, não conseguirá trazer transformações profundas para a sociedade.


Palavras-chave


Educação; Democracia; Pandemia

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. Ideologia e aparelhos ideológicos de Estado. Lisboa: Editorial Presença, 1980.

BRASIL. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros: TIC domicílios 2018. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2019. Disponível em: Acesso em: 04 junho 2020.

______. Ministério da Saúde. Tem dúvidas sobre o coronavírus?, 2020a. Disponível em Acesso em: 02 junho 2020.

______. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Nota de esclarecimento. 2020b. Disponível em: < http://consed.org.br/media/download/5e78b3190caee.pdf> Acesso em: 02 junho 2020.

______. Parecer no 5/2020, de 28 de abril de 2020c. Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Disponível em: Acesso em: 02 junho 2020.

CANABARRO, Askery; TENPORIO, Elayne; MARTINS, Renato; MARTINS, Lais; BRITO, Samurai; CHAVES, Rafael. Data-Driven Study of the the COVID-19 Pandemic via Age-Structured Modelling and Prediction of the Health System Failure in Brazil amid Diverse Intervention Strategies. Medrxiv. Disponível em Acesso em: 09 jun 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

HOOKS, bell. Erguer a voz: pensar como feminista, pensar como negra. São Paulo: Elefante, 2019.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. O manifesto comunista. Edição Ridendo Castigat Mores. Versão para eBook: eBooksBrasil.com. Fonte Digital: Rocket Edition de 1999. Disponível em: < http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/manifestocomunista.pdf>. Acesso em: 10 maio 2020.

MOREIRA, Eduardo. Desigualdade e Caminhos para uma Sociedade mais justa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira 2019.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade, poder, globalização e democracia. Revista Novos Rumos, Ano 17, n° 37, 2002. Disponível em: Acesso em: 08 jun 2020.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, Boaventura de Souza; MENEZES, Maria Paula. (Org.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Almedina, 2009. p. 23-71.

______. Direitos Humanos, democracia e desenvolvimento. In CHAUÍ, Marilena; SANTOS, Boaventura de Sousa. Direitos humanos, democracia e desenvolvimento. São Paulo: Cortez, 2014.

______. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Almedina, 2020.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

WOOD, Ellen Meiksins. Capitalismo e democracia. Buenos Aires: CLACSO, 2007.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.51737

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: