A PANDEMIA DO CORONAVÍRUS E OS EFEITOS NA EDUCAÇÃO: REFLEXÕES EM CURSO

Roberta Mendonça Porto, Jessica Coelho de Lima Pereira

Resumo


Inspiradas em algumas pistas deixadas por Michel Foucault sobre sua ontologia do presente, seguimos o questionamento: “o que somos nós como presente?” em meio a pandemia provocada pelo novo coronavírus, para analisar alguns efeitos na educação que emergiram logo após sua disseminação. Nessas reflexões em curso com o avanço da doença, articulamos duas questões centrais: os modos de vida baseados na educação escolarizada e os modos de subjetivação produzidos no contexto de uma racionalidade neoliberal. Analisamos alguns efeitos das experiências vividas durante o período de isolamento social e propomos um diálogo com os estudos de Ivan Illich e M. Foucault para interrogar a atualidade, os modos de vida, bem como as possibilidades de uma educação para além da escolarização da vida.

 

 


Palavras-chave


ontologia do presente; escolarização da vida; racionalidade neoliberal;

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO DE DOCENTES DO COLÉGIO PEDRO II. Por que trabalhar se as aulas estão suspensas? A questão da EAD. Disponível em: . Acesso em 22 abr. de 2020.

ALONSO, K.M. Educação à distância no Brasil: A busca de identidade. In PRETI, O. (org.), Educação à distância: Inícios e indícios de um percurso. Nead/IE – UFTM: Cuiabá, 1996, p. 57-74.

BELLONI, M.L. Ensaio sobre a educação à distância no Brasil. Educação e Sociedade, ano XXIII, n.78, abril 2002, p. 117-142.

FOUCAULT, M. O que são as luzes? In FOUCAULT, M. Ditos e escritos vol.II: Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005, p. 335-351.

______. Diálogo sobre o Poder. In: Ditos e escritos IV. Estratégia poder-saber. 2ª Ed. Rio de Janeiro. Forense Universitária, 2006.

______. Nascimento da biopolítica: curso dado no Collège de France (1978-1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

________. Outros Espaços. In: Ditos e Escritos III. Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

______. Do governo dos vivos: curso no Collège de France (1979-1980). São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2014.

______. Foucault. In: FOUCAULT, M. Ditos e escritos, volume V: ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017, p. 228-233.

______. A ética como cuidado de si e prática da liberdade. In: FOUCAULT, M. Ditos e escritos, volume V: ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017, p. 258-280.

________. História da Sexualidade 2: O uso dos prazeres. Paz e Terra, 2018.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. Educação básica no Brasil na década de 1990: Subordinação ativa e consentida à lógica do mercado. Educ. Soc., Campinas, vol. 24, n.82, abril 2003, p. 93-130.

GADELHA, S. Empresariamento da sociedade e da educação: o complexo corpo-subjetividade do homo economicus neoliberal, o imperativo da alta performance e seus efeitos. In: REZENDE, H. (Org.). Michel Foucault: a arte neoliberal de governar e a educação. São Paulo: Intermeios; Brasília: CAPES/CNPQ, 2018, p. 227-245.

GUARESHI, N. M. de F.; LARA, L. de; ADEGAS, M. A. Políticas públicas entre o sujeito de direitos e o homo oeconomicus. PSICO, Porto Alegre, PUCRS, v. 41, n.3, jul/set. 2010, p.332-339.

ILLICH, I. Sociedade sem escolas. 2. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1973.

LEHER, R. Da ideologia do desenvolvimento à ideologia da globalização: a educação como estratégia do Banco Mundial para alívio da “pobreza”. Tese de doutorado apresentada à Faculdade de educação. Universidade do Estado de São Paulo, SP, 1998.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sobre a doença. Disponível em: . Acesso em 22 abr. de 2020.

PASSOS, S.S; LUPATINI, M. A contrarreforma trabalhista e a precarização das relações de trabalho no Brasil. Rev. Katálysis. Florianópolis, vol. 23, n.1, jan./abr. 2020, p.132-142.

PORTO, R.M. “Vidas outras para mundos outros” Sobre desescolarizar as práticas de educação. Tese de doutorado apresentada ao Programa de pós-graduação em políticas públicas e formação humana. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2020.

RODRIGUES, H. de B. C; Caixa de ferramentas para uma atitude histórico- crítica na pesquisa intervenção. Polis e Psique: PPGPS/UFRGS, Rio Grande do Sul, v. 2, n.6, 2015.

WORLD BANK GROUPE. Políticas educacionais na pandemia do covid-19: O que o Brasil pode aprender com o resto do mundo. Publicado em 25 de março de 2020. Disponível em . Acesso em 25 abr. de 2020.

WORLD HEALT ORGANIZATION. Q&A on coronaviruses (COVID-19). Disponível em: . Acesso em 22 abr. de 2020.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.50615

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: