A SOLIDÃO PROFISSIONAL DE PROFESSORAS DE BEBÊS

Marlene Oliveira dos Santos

Resumo


com a intenção de refletir sobre uma temática crescente no âmbito da docência em Educação Infantil, este artigo discute a solidão profissional vivida por professoras de bebês, a partir dos resultados de uma pesquisa sobre currículos praticados com bebês. A pesquisa de abordagem qualitativa, do tipo descritiva, ouviu seis professoras que exerciam a docência com bebês na rede municipal de ensino de uma cidade brasileira. As narrativas de cada docente foram escutadas em encontros denominados Tertúlias Narrativas. O que é vivido no cotidiano de cada Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) é ressonância da qualidade e do alcance das políticas públicas destinadas à Educação Infantil, em nível nacional e local. Concluiu-se que a solidão profissional de professoras de bebês possui interfaces com as políticas públicas impregnadas da lógica produtivista-mercantil e de mercado.


Palavras-chave


Professoras. Bebês. Solidão. Docência. Educação Infantil.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, Tânia Maria de; PINHO, Paloma de Sousa; MASSON, Maria Lucia Vaz. Trabalho e saúde de professoras e professores no Brasil: reflexões sobre trajetórias das investigações, avanços e desafios. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 35, supl. 1, e00087318, 2019. Disponível em . Acessos em 14 nov. 2019. Epub 30-Maio-2019. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00087318.

CAGLIARI, Paola et al. A equipe de coordenação pedagógica e o desenvolvimento profissional. In.: EDWARDS; GANDINI; FORMAN (Org.). As cem linguagens da criança: a experiência de Reggio Emilia em transformação (V.2). Porto Alegre: Penso, 2016, p. 143-152.

CAMPOS, Maria Malta. Dimensões práticas (Entrevistada por Rubem Barros). Revista Educação, Educação Infantil, São Paulo, 2ª edição. Editora segmento, outubro, 2011, p. 6-11.

CERISARA, Ana Beatriz. Professoras da Educação Infantil: entre o feminino e o profissional. São Paulo: Cortez, 2002. (Coleção Questões da Nossa Época; v. 98).

ESTEVE, J. M. Mudanças sociais e função docente. In: NÓVOA, A. Profissão professor. 2. Ed. Porto: Porto Editora, 1995. p. 93-124.

GENTILLI, Pablo A. A.; SILVA, Tomaz Tadeu da (Orgs.). Neoliberalismo, qualidade total e educação: visões críticas. RJ, Petrópolis: Vozes, 2001.

GONZALEZ, J.; COSTA, M. Neoliberalismo, neoconservadorismo e educação: Quaestio - Revista de Estudos em Educação, v. 20, n. 3, p. 551-565, 17 dez. 2018.

LIMA, I.; HYPOLITO, ÁLVARO. A expansão do neoconservadorismo na educação brasileira. Educação e Pesquisa, v. 45, p. e190901, 24 set. 2019.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARTINS FILHO, Altino José; Delgado, Ana Cristina Cool. A Construção da docência com bebês e crianças bem pequenas em creches. In.: MARTINS FILHO, Altino José (Org.). Educar na creche: uma prática construída com os bebês e para os bebês. Porto Alegre: Mediação, p. 9-22.

ORDINE, Nuccio. A utilidade do inútil. Rio de Janeiro, Zahar, 2016.

POPKEWITZ, Thomas S. Profissionalização e formação de professores: algumas notas sobre a sua história, ideologia e potencial. In: NÓVOA, António (Coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p. 35-50.

ROSEMBERG, Fúlvia. A criança pequena e o direito à creche no contexto dos debates sobre infância e relações raciais. In: BENTO, Maria Aparecida Silva (Org.). Educação Infantil, igualdade racial e diversidade: aspectos políticos, jurídico, conceituais. São Paulo: Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdade (CEERT), 2011, p.10-46.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

TOMMASI, Livia De; WARDE, Mirian Jorge; HADDAD, Sergio (Orgs.). O Banco Mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 2000.

TRIVINÕS, Augusto N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.46690

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: