Ensino superior na perspectiva da pessoa com deficiência, condições de acesso, permanência e sucesso

Maria Edith Romano Siems-Marcondes, Dafne Souza Oliveira

Resumo


Este artigo analisa a vivência de estudantes com deficiência em relação às condições de acesso, permanência e sucesso no percurso do ensino superior. Fundamenta-se nos pressupostos da pesquisa qualitativa e adota como fundamento teórico-metodológico a perspectiva da História Oral. O procedimento metodológico utilizado neste trabalho foi a realização de entrevistas temáticas com estudantes com deficiência matriculados no ensino superior e com representante do Núcleo de Acessibilidade de uma universidade federal. Os resultados são analisados nas seguintes categorias: o acesso de pessoas com deficiência ao ensino superior  na perspectiva dos estudantes; condições de acessibilidade e seus impactos na permanência; tecnologias assistivas e de relações sociais. Concluímos que na perspectiva dos estudantes os processos seletivos que dão acesso ao Ensino superior têm homogeneizado as deficiências o que dificulta a inserção dos estudantes na universidade. Além disso, apesar dos avanços nas políticas de inclusão e na postura da comunidade acadêmica, ainda temos ajustes a fazer, para que haja real acessibilidade no ensino superior.


Palavras-chave


História Oral. Ensino superior. Deficiência

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTI, V. Manual de História Oral. – 2. Ed. Ver. E atual. – Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

ALBERTI, V. Tratamento das entrevistas de história oral no CPDOC. Rio de Janeiro: CPDOC, 2005.

BOSI, E. O tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

CURY, C. R. J. Direito à educação: direito a igualdade, direito à diferença. In: Cadernos de pesquisa. Fundação Carlos Chagas, n. 116. São Paulo/Campinas: Autores associados, p. 245-262. 2002.

DINIZ, D.. Modelo social da deficiência: a crítica feminista. Brasília: Letras Livres. 2003. (Série Aniz, 28).

MARQUES,C. A.; MARQUES, L.P. Do universal ao múltiplo: os caminhos da inclusão. Rio de Janeiro: RJ. DP&A, 2003.

MITTLER, P. Educação inclusiva: contextos sociais. Tradução Windyz Brazão Ferreira. Porto Alegre: Artmed, 2003.

MOREIRA, L. C. Das indagações ao cotidiano da sala de aula: perspectivas de inclusão na universidade. In: Baptista C.; CAIADO, K. R. e JESUS, D. M.. (Org.). Educação Especial: diálogo e pluralidade. 01. ed. Porto Alegre: Mediação, 2008, v. 01, p. 204-213.

PIECZKOWSKI, T. M. Z. NAUJORKS, M. I. – (Orgs.). Educação, inclusão e acessibilidade: diferentes contextos. Chapecó: Argos, 2014.

SASSAKI, R. K. Nada sobre nós, sem nós: Da integração à inclusão – Parte 1. Revista Nacional de Reabilitação, ano X, n. 57, jul./ago. 2007, p. 8-16.

SILVA, Luciene Maria. A deficiência como expressão da diferença. Educação em revista. Belo Horizonte. V.44, p. 111-133. 2006

SIQUEIRA, I. M.; SANTANA, C. da S. Proposta de acessibilidade para a inclusão de pessoas com deficiências no Ensino Superior. Revista Brasileira de Educação Especial. V.16; p.127-136, jan-abr. 2010.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2019.44857

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: