Pedagogia do transteatro: educação, gênero e diversidade sexual

Joaquim Pires Reis

Resumo


Este artigo visa elucidar o aprendizado da arte na educação sem perder sua estética, como momento propício para falar de gênero e diversidade sexual, para desconstruir e desnaturar o machismo e a homofobia nas escolas e para a afirmação das minorias. Para compreender, entender e vivenciar a Arte Educação unindo-se para transpor algo inovador, abrir sabedorias, resgatar possibilidades e ultrapassar o pensar fragmentado. É a busca constante de investigação na tentativa de superar a imposição da cultura heterosexista. A Pedagogia do Transteatro foi estudada no Mestrado Interdisciplinar em Artes, Urbanidades e Sustentabilidade da Universidade Federal de São João Del Rei e aplicada em Escolas da Rede Municipal de Contagem.


Palavras-chave


Arte Educação; Escola Laica; Práxis Sociais; Igualdade de Gênero, Pedagogia do Transteatro.

Texto completo:

PDF

Referências


ADAME, Domingo; NÚÑEZ, Nicolas. Transteatro: Entre, a através y más del Teatro. Benos Aires, Argentina: Argus-a, 2018.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovitch. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovitch. Toward a Philosophy of the Act. University of Texas Press, 1993.

BOAL, Augusto. Teatro do Oprimido: e Outras Poéticas Políticas. São Paulo: Editora Cosac Naify, 2013.

CADERNOS SECAD. Gênero e Diversidade Sexual na Escola: Reconhecer diferenças e superar preconceitos. Ministério da Educação. Org. HENRIQUE, Ricardo; BRANDT, Maria Elisa Almeida; JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Brasília, 2007.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Transdisciplinaridade. São Paulo: Palas Athema, 1997.

DESGRANGES, Flávio. Pedagogia do Teatro: Provocação e Dialogismo. 3ª Ed. São Paulo: Hucitec, 2011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 50ª Ed. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 2011.

FREITAS, L.; MORIN, E.; NICOLESCU, B. Carta da Tansdisciplinaridade. Primeiro Congresso Mundial da Tansdisciplinaridade. Arrábida: UNESCO, 1994.

LEERS, Bernadino; TRASFERETTI, José. Homossexuais e Ética Cristã. Campina, São Paulo: Editora Átomo, 2002.

JÚNIOR. João Francisco Duarte. Por que Arte-Educação? 10ª ed. Campinas: Papirus, 1996.

KAGAN, Sacha: Volker. Sustainability as a new frontier for the arts and cultures. Frankfurt am Main: Verlag fur Akademische Schriften, 2008.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2008.

MARX, KAL. O Capital. São Paulo. Boitempo, 2013.

MARX, K.; ENGELS, F. O Manifesto do Partido Comunista. 6ª Ed. São Paulo: Global Editora, 1986.

MORIN, E.; ROGER, E.; MOTTA, R. D. Educar na Era Planetária: O pensamento complexo como método de aprendizagem no erro e na incerteza humana. São Paulo: Cortez Editora, 2003.

NICOLESCU, Basarab. O Manifesto da Transdisciplinaridade. São Paulo: Editora Triom, 1999.

PAVIS, Patrice. Dicionário de Teatro. Trad. J. Guinsbug e Maria Lúcia Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 1999.

PRADO, Marco Aurélio Máximo; MACHADO, Frederico Viana. Preconceito conta Homossexualidades: A hierarquia da invisibilidade. São Paulo. Editora Cortez, 2008.

REVERBEL, Olga. Um caminho do teatro na escola. São Paulo: Editora Scipione, 1989.

ROSENFELD, Anatol. Brecht e o Teatro Épico. São Paulo: Perspectiva, 2012.

SEFFNER, Fernando. Equívocos e Armadilhas na articulação entre Diversidade Sexual e Políticas de Inclusão Escolar. In: Rogério Diniz Junqueira (org.). Coleção educação para todos. Diversidade sexual na educação: Problematizações sobre a homofobia nas escolas. MEC/UNESCO, Brasília, 2009, p.

Meios eletrônicos

CADERNOS EBAPE. BR. Do desenvolvimento sustentável à economia verde: a constante e acelerada investida do capital sobre a natureza. v. 10, n.3, 2012. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cadernosebape/article/view/5479. Acesso em: 03/06/2018.

CONFERÊNICAS DAS NAÇÕES UNIDAS SOBREO MEIO AMBIETNE. Declaração de Estocolmo sobre o ambiente humano. Estocolmo, 1972. Disponível em: < http://www.silex.com.br/leis/normas/estocolmo.htm>. Acesso em: 03/09/2016

INSTITUTO FLORESTAL DE SÃO PAULO. Rodrigo Victor. Avaliação Ecossistêmica do Milênio. Disponível em: . Acesso em: 05/09/2016.

PENSAMENTO VERDE. Nosso futuro em comum: conheça o relatório de Brundtland. 2014. Disponível em: < http://www.pensamentoverde.com.br/meio-ambiente/nosso-futuro-em-comum-conheca-o-relatorio-de-brundtland/ > Acesso em: 10/10/2016.

PIRES. Joaquim Pires. Transteatro: Sustentabilidade do diálogo teatral como práxis. 2018. 95 f. Qualificação (Mestrado Interdisciplinar em Artes, Urbanidades e Sustentabilidade) Pós Graduação Interdisciplinar em Artes, Urbanidades e Sustentabilidade (PIPAUS), Universidade Federal de São João Del Rei, São João Del Rei, 2018.

TEIXEIRA, Hélio. O que é Transdisciplinaridade? Novembro de 2015. Disponível em: http://www.helioteixeira.org/ciencias-da-aprendizagem/o-que-e-transdisciplinaridade/. Acesso em: 24/03/2018.

TUTZINGER MANIFEST. Seminário Estética do Sustentável. Manifesto de Tutzing. Alemanha, 2001. Disponível em < http://www.kupoge.de/ifk/tutzinger-manifest/pdf/tuma-p.pdf>. Acesso em: 04/03/2017.

UNESCO. I Congresso Mundial de Transdisciplinaridade. Basarab Nicolescu. Carta da Transdisciplinaridade. São Paulo: Triom, 1999. Disponível em: < https://blogmanamani.files.wordpress.com/2013/08/carta-da-transdisciplinaridade.pdf>. Acesso em: 12/06/2017.

UNESCO. Representação da Unesco no Brasil. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para a Educação. Disponível em: . Acesso em: 20/08/2016.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2019.44851

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: