Ensino de ciências e biologia e o cenário de restauração conservadora no Brasil: inquietações e reflexões CONSERVADORA NO BRASIL: INQUIETAÇÕES E REFLEXÕES

Rodrigo Cerqueira do Nascimento Borba, Maria Carolina Pires de Andrade, Sandra Escovedo Selles

Resumo


O presente artigo aciona o conceito de restauração conservadora elaborado por Michael Apple (2001; 2015; 2017) para refletir sobre os rumos das políticas curriculares que interpelam as disciplinas escolares Ciências e Biologia na atualidade. Aproximando-nos de tensões que são fruto das históricas disputas entre o público e o privado na educação brasileira, debatemos incursões recentes do conservadorismo sobre os currículos dessas disciplinas. Assim, apresentamos e discutimos tentativas de constrangimento ao ensino de determinadas temáticas que são atravessadas por controvérsias socioculturais: evolução biológica; corpo humano, saúde e diferença; diversidade étnico-racial. Por fim, também sinalizamos severas ameaças aos princípios democráticos que regem a educação do país.


Palavras-chave


Ensino de Ciências e Biologia; restauração conservadora; currículo; BNCC

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Marcelo; TEIXEIRA, Pedro. A escola num mundo secular e religioso: poderia ser a tolerância uma alternativa? Teias (Rio de Janeiro. Impresso), v. 14, p. 61-79, 2014.

ANDRADE, Maria Carolina; MOTTA, Vânia. Base Nacional Comum Curricular e a Crise Orgânica do Capital: elementos para pensar o Ensino Religioso. Anais IX Colóquio Internacional Marx e Engels. Universidade Estadual de Campinas, 17 a 20 julho 2018.

APPLE, Michael. A luta pela democracia na educação crítica. Revista e-curriculum. São Paulo, v. 15, n. 4, 2017. pp. 894 – 926.

APPLE, Michael. Reestruturação educativa e curricular e as agendas neoliberal e neoconservadora: entrevista com Michael W. Apple. Currículo sem Fronteiras. v.1, n. 1, 2001, pp. 5-33.

APPLE, Michael. Produzindo diferença: neoliberalismo, neoconservadorismo e a política de reforma educacional. Linhas Críticas. Brasília, n. 45. 2015. pp. 606-544.

AQUINO, Fernanda Etter Motta; ALVES, Luisa Lemos; FERREIRA, Marcia Serra; GOMES, Maria Margarida. Sentidos de sexualidade em produções acadêmicas: investigando os anais dos Encontros Nacionais de Ensino de Biologia (2005-2012). Revista de Ensino de Biologia da Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBEnBio), v. 7, p. 2085-2096, 2014.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA (Anpuh). Manifestação Pública da Anpuh sobre a Base Nacional Comum Curricular. 2016. Disponível em: < https://www.anpuh.org.br/index.php/2015-01-20-00-01-55/noticias2/noticias-destaque/item/3352-manifestacao-publica-da-anpuh-sobre-a-base-nacional-comum-curricular>, acesso em 04 jan 2019.

BASTOS, Felipe. Diversidade sexual na prática de professores/as de Ciências: da polêmica ao (re)conhecimento escolar. In: Anais do 37ª Reunião Nacional da ANPEd, Florianópolis. 2015.

BASTOS, Felipe; ANDRADE, Marcelo. Cabe discutir gênero e diversidade sexual no ensino de Biologia? In: LIMA-TAVARES, Daniele; VILELA, Mariana Lima; AYRES, Ana Cléa Moreira; MATOS, Maria (Org.). Tecendo laços docentes entre ciência e culturas. 1ed.Curitiba: Prismas, 2016, v. , p. 159-183.

BENVENUTO, Fabiana; AYRES, Ana Cléa Moreira. Currículo de Ciências e Relações Étnico-Raciais: uma relação em construção. Revista de Ensino de Biologia da Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBEnBio), v. 7, p. 1899-1910, 2014.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 1989.

BRASIL. Lei n. 9.394, 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília, DF: 1996.

BRASIL. Lei n°. 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. 2003.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013. 542p.

BRASIL. Projeto lei n° 8.099, de 13 de novembro de 2014. Ficam inseridos na grade curricular das Redes Pública e Privada de Ensino conteúdos sobre Criacionismo. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (3ª versão -abril de 2017). Brasília, DF, 2017a. 396p.

BRASIL. Medida provisória n° 746, de 2016 (Reformulação do Ensino Médio). Institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e a Lei nº 11.494 de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, e dá outras providências. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (3ª versão revista -dezembro de 2017). Brasília, DF, 2017b. 472p.

CAVALIERE, Ana Maria. O mal-estar do ensino religioso nas escolas públicas. Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas. Impresso), v. 37, p. 303-332, 2007.

CRUZ, Ana Cristina. O lugar da história e cultura africana e afro-brasileira nos debates contemporâneos do currículo brasileiro. Ensino Interdisciplinar, v. 3, nº. 08, Maio/2017.

CUNHA, Luiz Antonio. A laicidade em disputa: religião, moral e civismo na educação brasileira. Teias (Rio de Janeiro. Impresso), v. 14, p. 5, 2014.

____. A Entronização do Ensino Religioso na Base Nacional Curricular Comum. IN: Educação e Sociedade, Campinas, v. 37, nº. 134, p.266-284, jan.-mar., 2016.

DE CERTEAU, Michel (1998). A invenção do cotidiano: artes de fazer. 3. ed. Petrópolis: Vozes.

DORVILLE, Luis Fernando; SELLES, Sandra Escovedo. Criacionismo

bíblico, principais transformações ao longo do tempo e implicações para o ensino de Ciências e Biologia. Cadernos de Pesquisa, v. 46, p. 442-465, 2016.

FERREIRA, Marcia Serra. Currículo e cultura: diálogos com as disciplinas escolares Ciências e Biologia. In: MOREIRA, Antonio Flavio; CANDAU,

Vera Maria (Org.). Currículos, disciplinas escolares e culturas. 1ed.Petrópolis: Vozes, p. 185-213, 2014.

GOMES, Nilma Lino. Relações Étnico-Raciais, Educação e Descolonização dos Currículos. Currículo sem Fronteiras, v. 12, p. 98-109, 2012.

GOODSON, Ivor Frederick. Currículo: Teoria e História. Petrópolis: Vozes, 1995

GOODSON, Ivor Frederick. A Construção Social do Currículo. Lisboa: Educa, 1997

G1 EDUCAÇÃO. MEC lança documento preliminar da base nacional comum curricular. 2015. Disponível em:

, acesso em 02 jan 2019.

LEVY, Rachel Santos; SELLES, Sandra Escovedo; FERREIRA, Márcia Serra. Examining the ambiguities of the human race concept in biology textbooks: tensions between knowledge and values expressed in school knowledge. In: HAMMA, Marcus; REISS, Michael; BOULTER, Carolyn; TUNNICLIFFE, Sue Dale (Org.). Biology in Context: Learning and teaching for the twenty-first century. 1ed.Londres: Institute of Education University of London, 2008, v. 1, p. 338-346.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LIMA, Jacqueline Girão Soares de. Educação ambiental e educação científica na perspectiva Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS): pilares para uma educação crítica. Acta Scientiae (ULBRA), v. 11, p. 88-100, 2009.

MACEDO, Elizabeth. Esse corpo das Ciências é o meu? In: MARANDINO, Martha Marandino; SELLES, Sandra Escovedo; FERREIRA, Marcia Serra; AMORIM, Antonio Carlos Rodrigues (Org.). Ensino de Biologia: conhecimentos e valores em disputa. 1ed.Niterói: EdUFF, 2005, v. 1, p. 131-140.

MARANDINO, Martha; SELLES, Sandra Escovedo ; FERREIRA, Marcia Serra. Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2009. v. 1. 215p.

MIRANDA, Edgar. Educação científica e Cultura Política democrática: Um estudo sobre o

processo de recontextualização de elementos de formação política na prática do ensino de

ciências nas séries iniciais. Rio de Janeiro, 2018. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Saúde) – Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde – NUTES, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, 2018.

PICCININI, Cláudia; ANDRADE, Maria Carolina. O ensino de Ciências da Natureza nas versões da Base Nacional Comum Curricular, mudanças, disputas e ofensiva liberal-conservadora. REnBio - Revista de Ensino de Biologia da SBEnBio, vol. 11, n. 2, p. 34-50, 2018.

RODRIGUES, M. MEC apresenta segunda versão da base nacional comum curricular. 2016. Disponível:

, acesso em 04 jan 2019.

SANTOS, Maria Cristina Ferreira dos. A Biologia de Candido de Mello Leitão e a História Natural de Waldemiro Alves Potsch: Professores autores e livros didáticos - conhecimento e poder em disputa na constituição da Biologia escolar (1931 - 1951). (Tese de Doutorado). Universidade Federal Fluminense, 2013.

SELLES, Sandra Escovedo; FERREIRA, Marcia Serra. Disciplina escolar Biologia: entre a retórica unificadora e as questões sociais. In: MARANDINO Martha; SELLES, Sandra Escovedo; FERREIRA, Marcia Serra; AMORIM, Antonio Carlos Rodrigues. (Org.). Ensino de Biologia: conhecimentos e valores em disputa. Niterói: EDUFF, p. 50-62, 2005.

SELLES, Sandra Escovedo; DORVILLE, Luis Fernando; PONTUAL, Leandro Vahia. Ensino religioso nas escolas estaduais do Rio de Janeiro: novas implicações para o ensino de Ciências/Biologia. Ciência e Educação (UNESP. Impresso), v. 22, p. 875-894, 2016.

SEPULVEDA, Denize; SEPULVEDA, José Antonio. A disciplina Ensino Religioso: história, legislação e práticas. Educação (Santa Maria. Online), v. 42, p. 177-190, 2017

TEIXEIRA, Pedro. Aulas de evolução e religiosidade: conflitos velados e intensos. Revista de Ensino de Biologia da Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBENBio), v. 9, p. 2470-2482, 2016.

TEIXEIRA, Pedro; LEVINSON, Ralph. Crenças religiosas e evolução: um modelo para o diálogo em aula. Alexandria (UFSC), v. 11, p. 195-216, 2018.

VERRANGIA, Douglas; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. Cidadania, relações étnico-raciais e educação: desafios e potencialidades do ensino de Ciências. Educação e Pesquisa (USP. Impresso), v. 36, p. 705-718, 2010.

VIEIRA, Viviane; FALCAO, Eliane Brígida Morais. Laicidade e Ensino de Ciências: a necessária reflexão na escola privada. Alexandria (UFSC), v. 5, p. 83-100, 2012.

VILELA, Mariana Lima; SELLES, Sandra Escovedo. Corpo humano e saúde nos currículos escolares: quando as abordagens socioculturais interpelam a hegemonia biomédica e higienista. Bio-grafía: escritos sobre la biología y su enseñanza, v. 8, p. 113-121, 2015.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2019.44845

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: