A autoridade do educador no cenário tecnológico: interlocuções freireanas

Elaine Conte, Adilson Cristiano Habowski

Resumo


O estudo, de bases hermenêuticas, problematiza a questão da crise da autoridade do educador no cenário tecnológico, tomando como lócus investigativo a perspectiva freireana. Discutimos a questão da autoridade frente às múltiplas possibilidades de construção do conhecimento autoral na cultura digital. Em meio às contradições vigentes, trata-se de revitalizar as bases dialógicas entre autoridade e liberdade, pois é nesta tensão que se reconhecem e se retroalimentam as práticas formativas marcadas pela sensibilidade dialética e pelo respeito aos saberes pedagógicos. Há que se compreender e incorporar as novas linguagens digitais à reeducação dos conhecimentos, criando vínculos autônomos e cooperativos para fazer valer a autoridade da autocrítica e das inter-relações humanas.

Palavras-chave


Paulo Freire. Autoridade do educador. Cultura Digital.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. L. W. Dialética negativa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1966.

BENJAMIN, W. Obras Escolhidas: magia e técnica, arte e política – ensaios sobre literatura e história da cultura. Vol. 1. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985. p. 222-232.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. 11. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 36. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica educativa. 33. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2009.

FREIRE, P.; FAUNDEZ, A. Por uma pedagogia da pergunta. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

FREIRE, P.; SHOR, I. Medo e ousadia: cotidiano do professor. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

HABOWSKI, A. C.; CONTE, E.; PUGENS, N. B. A perspectiva da alteridade na educação. Conjectura: Filos. Educ., Caxias do Sul, v. 23, n. 1, p. 179-197, jan./abr. 2018. Disponível em: Acesso em: 29 maio 2018.

HABOWSKI, A. C.; CONTE, E. O ócio criativo e a educação para o século XXI. Artefactum – Revista de Estudos em Linguagem e Tecnologia. Ano X, n. 1, p. 1-15, 2018. Disponível em: Acesso em: 29 maio 2018.

JACOBI, D. F.; HABOWSKI, A. C.; CONTE, E. Do Caos ao Cosmos: a metamorfose do aprender. Revista Diálogos (RevDia), v. 6, n. 1, p. 7-23, jan.-abr., 2018. Disponível em: Acesso em: 30 maio 2018.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Editora Cortez, 1994.

MACHADO, D. F; HABOWSKI, A. C.; CONTE, E. Perspectivas entre educação, sociabilidades e redes. Anais do Congresso Latino-Americano de Gênero e Religião. São Leopoldo: EST, v. 5, 2017, p. 685-700. Disponível em: Acesso: 28 maio 2018.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007.

THEUNISSEN, M. Negativität bei Adorno. In: FRIEDEBURG, L. V.; HABERMAS, J. (Hrsg.). Adorno-Konferenz. Frankfurt/Main: Suhrkamp, 1983.

TÜRCKE, C. Sociedade excitada: filosofia da sensação. Campinas: Editora da Unicamp, 2010.

ZUIN, V. G.; ZUIN, A. Á. S. Professores, tecnologias digitais e a distração concentrada. Educar em Revista, Curitiba, n. 42, p. 213-228, 2011. Disponível em:< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602011000500014> Acesso em: 27 maio 2018.

ZUIN, A. Á. S. A autoridade pedagógica em tempos de cultura digital. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 29, n. 58, p. 745 – 769, 2015. Disponível em: < http://www.seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/26187/18047> Acesso em: 28 maio 2018.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2018.38035

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: